Tecnologia em benefício dos produtores rurais

No encontro com o presidente do Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio de Janeiro (Proderj), Paulo Coelho, na última segunda-feira (25), solicitei o apoio da instituição para ajudar a Secretaria na elaboração de um projeto que pretende beneficiar os produtores rurais do Estado.

A ideia é instalar portais de TV em todas as unidades do Ceasa do Rio de Janeiro onde seriam apresentadas as cotações dos produtos comercializados nos espaços. Os valores seriam atualizados diariamente e transmitidos via web direto para os televisores.

Essa informação é essencial para os produtores ficarem livres das especulações dos compradores. No meu entender, as negociações devem ocorrer de forma justa e transparente. Por isso, estabelecer uma parceria com o Proderj é tão importante. Mais que o suporte técnico, a integração pode favorecer a continuidade do projeto.

Com perfil do Facebook no limite, “curta” a minha página de trabalho.

 

Esta semana meu perfil do Facebook atingiu a marca de 5 mil amigos. Agradeço a todos que se interessam pelo meu trabalho e me adicionaram. Muitos participam ativamente colaborando com suas opiniões. Contudo este é o número limite que o site comporta, sendo impossível adicionar mais pessoas.

Para quem deseja receber informações sobre minha atuação política, a alternativa é “curtir” a minha página. O endereço é http://www.facebook.com/felipepeixotopdt. Ela está vinculada ao próprio Facebook e é atualizada com as mesmas informações do perfil. Por ser uma página comum, ela pode ser acessada por qualquer pessoa, ainda que esta não seja participante do grupo de relacionamento.

Como faço para “Curtir” a página Felipe Peixoto?

Você pode encontrar a Página através do navegador de buscas do Facebook, digitando o nome Felipe Peixoto. Logo o acesso à página aparecerá junto com outros links relativos ao nome.

O link da página também está disponível em Informações no meu perfil.

Outra opção é inserir o endereço http://www.facebook.com/felipepeixotopdt em seu navegador de busca da internet.

Ao visualizar a Página, clique em “Curtir” ao lado do meu nome.

Niterói possui um carro a cada três habitantes

A Coppe divulgou, hoje, um estudo trazendo um dado alarmante. Até 2020, o Estado do Rio de Janeiro terá um carro para cada dois habitantes  Atualmente, o Estado possui mais de 3 milhões de automóveis. A maior parte da frota está concentrada na Grande Rio.

É fato que a motorização no território fluminense cresce de maneira desproporcional à capacidade dos investimentos públicos em infraestrutura urbana. Sua causa está no desejo das pessoas terem o seu próprio veículo, facilidade de crédito e transporte público de má qualidade.

Em Niterói, por exemplo, o número de veículos registrados na cidade cresceu em média 28% nos últimos 10 anos de acordo com o estudo. O Denatran contabilizou, em março, mais de 160 mil carros. Isso dá um automóvel a cada três habitantes, hoje, no município.

A solução para controlar o excesso de carros nas ruas está no investimento do transporte público de massa. Em Niterói, principalmente, é preciso construir o metrô, implantar a BRT e melhorar o sistema de barcas.

Isso não exclui a necessidade das intervenções nas vias urbanas. Obras como ampliação da Avenida do Contorno, o mergulhão na Marques do Paraná e a construção do Túnel Charitas x Cafubá são essenciais para melhorar o fluxo interno da cidade e precisam de fato acontecer. Mas os 160 mil carros continuarão existindo e estarão nas ruas com mais alguns milhares até 2020, caso se confirme a estimativa da Coppe.

Sacolas plásticas, um veneno na natureza

Nesta segunda-feira (18), entrou em vigor em Belo Horizonte a lei que proíbe a utilização de sacolas plásticas em estabelecimentos comerciais. Outras 13 capitais também aderiram à restrição. No Rio de Janeiro, a proibição foi aprovada em 2009 e vale para todo o Estado.

A iniciativa ajuda a estimular a conscientização ambiental da população. Há algumas décadas, as pessoas só levavam as mercadorias em sacolas de papel. As sacolas de plástico foram introduzidas com a promessa de serem mais resistentes.

Hoje, quando vamos às compras no supermercado, nos deparamos com sacolas frágeis. Precisamos juntar duas, até mesmo três unidades, para carregar um litro de refrigerante. Resultado: são produzidos 18 milhões desse material no Brasil anualmente. E o destino delas é quase sempre o mesmo: amontoadas em casa ou nos lixões ou nas galerias pluviais, nos canais, rios e mares.

“Sacolas plásticas convencionais dispostas inadequadamente no meio ambiente levam mais de 100 anos para se decompor. Colaborem, descartando-as, sempre que necessário, em locais apropriados à coleta seletiva. Traga de casa a sua própria sacola ou use sacolas reutilizáveis”, essa é a mensagem que deve estar em todos os caixas de estabelecimentos que utilizam sacolas plásticas. Está na lei estadual. Você encontra esse aviso?

O prazo de um ano determinado para a adequação das grandes redes já terminou e ainda encontramos muitas empresas oferecendo sacolas à vontade. A lei 5.502/09 diz que elas devem se livrar totalmente das sacolas plásticas descartáveis e passar a trabalhar com bolsas feitas de material reutilizável. Esse é o mínimo de contrapartida socioambiental a ser oferecido.

Se você está se perguntando o que fazer com as sacolas que tem em casa, vai uma dica: a lei obriga os estabelecimentos a receber o material. E diz mais: a cada cinco itens comprados no estabelecimento, o cliente que não usar saco ou sacola plástica terá um desconto de, no mínimo, R$ 0,03 sobre as compras. A cada cinquenta sacolas ou sacos plásticos apresentados por qualquer pessoa a empresa deverá trocar por um quilo de arroz ou feijão. Os estabelecimentos que não comercializarem feijão ou arroz poderão efetuar a troca por um quilo de outro produto da cesta básica. Deixar de cumprir as obrigações previstas está sujeita a multa de cem a 10 mil Ufirs-RJ (entre R$ 200 a R$ 20 mil).

Faça sua parte. Use bolsas reutilizáveis. E exija seu direito!

Tempos modernos no mundo socialista

“Na atualização do modelo econômico, primará o planejamento, que levará em conta as tendências do mercado”. Não, essa frase não foi dita em nenhum evento empresarial. Ela faz parte do texto da resolução do VI Congresso do Partido Comunista de Cuba que termina hoje. O encontro também marcou a renúncia de Fidel Castro à direção do partido.

Modernização foi o ponto chave da reunião do Partido Comunista cubano. Os mil delegados do PCC presentes no evento deram seu aval às propostas de Raúl Castro para enxugar o funcionalismo público, estimular a iniciativa privada e implementar outras medidas destinadas a melhorar a produtividade, mas sem abrir mão do planejamento central.

Para o sucesso da iniciativa, a velha guarda política do país, está convocando a participação dos jovens. Uma demonstração que a revitalização estende-se ao quadro político. Fidel Castro, líder histórico da revolução cubana e ex-presidente de Cuba, em sua declaração de despedida, reconheceu que a nova geração é fundamental para corrigir os erros do passado e garantir que o sistema comunista se perpetue.

À juventude, Fidel disse ser preciso continuar a construir a revolução dos pobres, pelos pobres e para os pobres, e manter a defesa contra a influência dos Estados Unidos, que ainda mantêm um embargo comercial à ilha.

Transitar com a bicicleta é um direito. Abrace essa ideia!

O 1º Seminário de Mobilidade Urbana Sustentável de Niterói foi muito positivo. Ele levantou questões sobre a utilização das bicicletas como meio de transporte viável. Foram relatadas experiências, dificuldades e boas ideias. O evento foi importante porque não é comum a discussão do assunto na sociedade brasileira, menos ainda quando é provocado por um órgão do executivo.

Entre os participantes, foi consenso a opinião de que vivemos em uma cultura cujo sinônimo de progresso é ter carro. Todo planejamento de trânsito, no Brasil, é estruturado apenas para automóveis. E o único momento em que as secretarias de transportes falam sobre a bicicleta é para proibi-la.

Carro é sim uma comodidade e objeto de desejo de muitos, mas isso não é unanimidade. Para quem gosta de pedalar, bicicleta também é um veículo cujo uso está garantido e regulamentado pelo Código de Trânsito Brasileiro. O que falta é respeito e estrutura.

Quando elaborei o Estatuto da Bicicleta para Niterói, coloquei-me no lugar do ciclista que sou para defender esse direito. A cidade é pequena, fácil de transitar e com potencial turístico. Nada mais justo oferecer aos niteroienses mais uma alternativa de locomoção.

“Ah, mas essa não é a nossa cultura!” Então, é preciso mudar a cultura. E, para isso, é preciso um começo.

“No Rio é quente e chove muito!” E na Europa é frio e tem neve. Penso que cada ciclista sabe o melhor momento para sair com sua bike. O importante é garantir a estrutura. É isso que proponho com o projeto aprovado no último dia 14. Acredito que a cidade deve ser planejada para as pessoas e não para os automóveis, como acontece hoje em dia.

A bicicleta é um veículo de baixo custo de aquisição e manutenção. É utilizado em sua maioria por pessoas de baixa renda, estudantes e cidadãos com consciência ecológica. E pode ser uma ótima maneira de conhecer a cidade.

Reforma Política avança em Brasília

No dia 13, a Comissão da Reforma Política do Senado entregou ao presidente da Casa, José Sarney, o relatório final com as mudanças nas regras eleitorais. Agora, a mesma Comissão tem até o dia 20 de maio para apresentar um projeto de lei com os pontos aprovados.

A proposta do Senado prevê que o voto continua sendo obrigatório e defende o sistema eleitoral proporcional por lista fechada, o financiamento da campanha com dinheiro público, o fim da reeleição com mandatos de cinco anos, mudança na data da posse do executivo, entre outros.

O tema é polêmico e não é consenso entre os senadores de Brasília. Tudo indica que haverá mais de um projeto de lei, de forma a discutir os itens mais polêmicos em separado. Além disso, a Câmara de Deputados também está discutindo a proposta através da Comissão Especial da Reforma Política, mas não apresentou nenhum projeto até o momento.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Ricardo Lewandowski, já alertou que, se as mudanças não forem aprovadas logo, elas podem não valer para a eleição do ano que vem. É preciso que as novas regras sejam sancionadas até outubro para que sejam válidas ainda em 2012.

Para conferir os 14 pontos aprovados pela Comissão da Reforma Política, veja o Infográfico no site do Senado. Para entender os termos e os assuntos discutidos, acesse o Glossário.

Em breve, escreverei sobre o que penso da proposta. Antes, quero deixar você falar. O que achou? Está satisfeito com o texto apresentado?

Lei da Ficha Limpa: É hora de renovar a Política!

Após ser revista e aprovada pelo Supremo Tribunal Federal no dia 23 de março, a Lei da Ficha Limpa vive mais um capítulo. Dessa vez, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) avisou que vai ajuizar uma ação cobrando do STF uma decisão definitiva sobre a validade da Lei. A norma tem pontos que podem vir a ser considerados inconstitucionais por candidatos nas eleições municipais de 2012.
Não bastou a frustração da notícia de que a Lei não tem empregabilidade para o pleito de 2010, agora, assistimos com preocupação a luta por sua legitimidade. Para quem não sabe, a Lei da Ficha Limpa proíbe a candidatura de políticos condenados em decisões colegiadas e que renunciaram a mandato eletivo para escapar de cassação.
Apesar do resultado, enquanto a Lei vigorou, sustentada pela Justiça Eleitoral, ela provocou um amplo debate onde se discutiu profundamente os antecedentes dos candidatos. Inclusive, dentro dos partidos políticos. Em muitas situações, candidatos que entendiam que possivelmente seriam barrados, renunciaram à candidatura ou sequer se candidataram.
Essa é uma conquista que não deve ser abandonada. Esta Lei foi criada pela população que se organizou e reuniu mais de 2 milhões de assinaturas e teve o ampla divulgação nos veículos de comunicação. Precisamos manter a pressão e garantir a validade da Ficha Limpa. A sociedade já mostrou que não tolera mais os maus políticos. É hora de renovar a Política!

Bicicleta para melhorar o trânsito de Niterói

Eu gosto muito de andar de bicicleta. Para mim, é algo além da diversão, é um veículo. É um instrumento prático para locomoção, ideal para quem percorre curtas distâncias nos centros urbanos. Não é cara, não fica presa no trânsito, não há dificuldade para estacionar e não polui o meio ambiente.
Durante muito tempo, usei a bicicleta como meio de transporte. Fui várias vezes para o gabinete pedalando quando era vereador e já fiz campanha sobre uma. Eu realmente acredito em uma alternativa sustentável para o trânsito onde a bicicleta esteja entre os atores principais, juntamente com os veículos de transporte em massa.
Pensando nisso, elaborei o Estatuto da Bicicleta para Niterói. O projeto prevê a criação de ciclovias e bicicletários na cidade e regulamenta as bicicletas elétricas. Atualmente, o texto está em tramitação na Câmara Municipal.
Vou apresentar a ideia nesta sexta-feira (15), às 18h, no 1º Seminário de Mobilidade Urbana. O evento começará oficialmente amanhã (14), às 18h, na La Salle, em Santa Rosa, Niterói. O encontro, cuja organização estou apoiando, vai discutir as alternativas para a melhoria do trânsito utilizando a bicicleta como meio de transporte.
Para participar, é preciso fazer uma inscrição no site www.nitbikers.com.br ou no dia do evento.  Vamos contribuir para um trânsito melhor!
E você? Utilizaria regularmente a bicicleta como meio de transporte?

Mais um ano de vida

Gostaria de agradecer a todas as pessoas que enviaram mensagens no dia do meu aniversário. Foram muitas as felicitações e demonstrações de carinho. Fiquei muito feliz, de verdade. São 34 anos de idade, 25 dedicados à política. E o presente mais importante deste ano está sendo a oportunidade de desenvolver os projetos que sempre defendi num âmbito maior.

Julgo que esta oportunidade é fruto do reconhecimento do meu trabalho e do meu potencial. Para chegar até aqui foram muitos os desafios. As pessoas que acompanham a minha trajetória sabem disso.

Agradeço também às demonstrações de apoio e aos votos de confiança e garanto que continuarei fazendo o meu melhor pelo Estado. E conto gentilmente com a colaboração de cada um. Eu e vocês transformando o nosso Estado.

Obrigado.