Programa de governo prevê economia de energia

Essa nota saiu no site do Governo do Estado. A ação me parece muito boa. Não conheço o programa e vou aguardar o lançamento que ocorrerá hoje para saber detalhes.

Entretanto, acredito que todos os projetos voltados para a sustentabilidade e preservação do meio ambiente são bem-vindos. Depois de concretizado, devemos lutar para a manter esses projetos em funcionamento.

Governador lança o programa Rio Capital da Energia nesta quarta-feira

O governador Sérgio Cabral e o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, vão lançar nesta quarta-feira (31/8), às 17h, o programa Rio Capital da Energia. Parceria com empresas e entidades públicas e privadas, o programa tem o objetivo de fazer do Rio de Janeiro um centro de referência em racionalização, inovação tecnológica e sustentabilidade ambiental na área energética.

Participarão do encontro o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e presidentes de órgãos, entidades e empresas do setor energético.

Eventos ciclísticos agitam o Estado

Hoje, vou falar dos eventos ciclísticos que estão agitando o Estado do Rio.

O principal evento do mês de setembro será o passeio ciclístico “Um Dia Sem Carro”. O evento vai acontecer no dia 18 de setembro, às 8h, no Aterro do Flamengo e as inscrições já estão abertas no site da Federação de Ciclismo do Estado do Rio. Minha presença já está confirmada.

Neste final de semana, vão acontecer vários campeonatos e passeios. No dia 3 de setembro, haverá o Short Iron Moon, que é uma competição de Triathlon noturna. A competição será em Copacabana.

No mesmo dia, também começa o Campeonato Brasileiro de Ciclismo Master Sub 30 em São João da Barra na Região dos Lagos. A organização também é da Federação de Ciclismo do Estado do Rio. A competição está dividida em duas modalidades “Estrada” e “Contra Relógio”. O evento termina no dia 4 de setembro.

Para aqueles que desejam uma diversão tranquila e em família, será realizado no domingo (4), o Circuito Pedalar. A ideia do evento é estimular o uso da bicleta como um instrumento para um mundo sustentável. Ótima ideia!

Cidadania: o legado da Agenda 21

Semana passada estive na cerimônia de apresentação da Agenda 21 de Niterói. O evento marcou o final de um ciclo, pois foi a última cidade do Conleste a receber o documento.
A Agenda 21 de Niterói foi um projeto audacioso, realizado com uma dedicação enorme. Ele é um produto do povo, elaborado a partir de mais de 700 reuniões com representantes do governo, empresas, ONGs e lideranças comunitárias. Foram três anos de intenso debate para o apontamento das principais propostas para transformar Niterói em uma cidade sustentável e boa de viver, aliado ao crescimento econômico e urbano.
Todos os pontos apresentados no documento são resultado do consenso das discussões o que, particularmente, considero louvável. Um verdadeiro exercício de cidadania. Quem é do ambiente político sabe o quanto é difícil chegar a isso. Mas o desafio foi superado e hoje Niterói possui um guia de políticas públicas independente de gestão de governo ou posição partidária.
Eu fiquei muito feliz de participar do evento. Foi um momento especial. Me fez recordar de quando estava na 8ª série e participei junto com outros colegas de colégio da ECO 92 no Aterro do Flamengo. Ali, o sonho de muita gente interessada em construir um mundo melhor ganhou forma e virou compromisso internacional.
Hoje, me sinto lisonjeado de participar do maior projeto do mundo voltado para sustentabilidade das cidades como representante público e Secretário de Estado. Esse projeto foi o principal motivo do convite feito pelo governador Sérgio Cabral para ocupar um cargo no executivo. Nosso compromisso é auxiliar os municípios afetados pela instalação do Comperj a preparar seus planos diretores e projetos de infraestrutura.
Não posso deixar de parabenizar a Petrobras pela brilhante iniciativa. A empresa assumiu para si a responsabilidade pela elaboração e organização do projeto Agenda 21, apesar de toda sua complexidade e dificuldades encontradas. A todos os colaboradores, meu sincero reconhecimento.

Lei de Reuso de Águas Cinzas é destaque em noticiários nacionais

No mês de agosto, a lei municipal de Reuso de Águas Cinzas foi destaque em vários noticiários nacionais. Para comprovar isso, coloco aqui os vídeos da TV Brasil, do Jornal do SBT e da Web TV/Canção Nova com reportagens sobre as experiências já existentes na cidade que obedecem à nova regra.

A lei de Reuso tem como objetivo promover a reutilização de água usada nos edifícios, proporcionando uma economia de 30% no consumo de água. A água descartada vai para um sistema de tratamento e filtragem, vai para uma cisterna separada e serve para o funcionamento das descargas, lavagem de pátios e automóveis, regagem de jardim entre outras funções que não seja o consumo humano e a higiêne pessoal.

Essa é um forma de preservar nosso patrimônio mais valioso que é a água. Sem ela, não há vida. A reutilização vai exigir menos da rede de abastecimento de água potável, vai produzir menos esgoto, além de ser um aliado ao bolso do cidadão. É uma ação onde todos ganham.

TV Brasil – [Repórter Rio] Exemplo de aproveitamento de água em Niterói

WebTV CN – Lei da reutilização da água

Jornal do SBT – Reutilizar água doméstica agora é lei em Niterói

http://www.sbt.com.br/jornalismo/noticias/?c=8583&t=Reutilizar+agua+domestica+agora+e+lei+em+Niteroi%2C+RJ

BR 356 recuperada

Semana passada, quando estive no Noroeste do Estado, pude conferir as boas condições da BR 356. Na minha primeira visita pela região, há seis meses atrás, este trecho da rodovia estava em obras. Hoje, ela está um tapete e muito bem sinalizada. Bom trabalho executado pelo DNIT.

A BR 356 é uma rodovia federal que liga Minas Gerais ao Rio de Janeiro. Ela começa na cidade de Belo Horizonte e vai até São João da Barra no litoral do nosso Estado. Por cortar boa parte do nosso interior, a rodovia funciona como um corredor logístico para transporte de carga. E ela é fundamental garantir o tráfego de trabalhadores e materiais para o Porto do Açú.

50 anos da Cadeia da Legalidade

No dia 25 de agosto de 1961, o Brasil recebeu com perplexidade a renúncia do presidente Jânio Quadros. Na verdade, a manobra foi um golpe. Por um lado, estava a vontade de Jânio Quadros de testar a sua popularidade ao se ver pressionado por militares cada vez mais influenciados pela Guerra Fria que polarizava o mundo. De outro lado, estavam os próprios militares entusiasmados pela oportunidade de assumir o poder. Entre eles João Goulart: vice-presidente, altamente popular e nacionalista.

Ausente do país, numa viagem pela China, a oposição encontrou o momento ideal para acusá-lo de comunista e impedir que assumisse o cargo. Em um post anterior, falei aqui sobre um livro recentemente lançado que devolve a João Goulart sua dignidade e seu mérito. Jango era Brasil. Ele tentou fechar acordos com as duas potências e por em prática ideias hoje amplamente discutidas, mas que na época eram um assombro. Fazer a reforma agrária, reduzir a desigualdade social e garantir a soberania nacional eram temas por ele defendidos que causavam pavor.

Enfim…

Para garantir o que regia a Constituição, entrou em ação Leonel de Moura Brizola, governador do Rio Grande do Sul, aliado político pelo PTB e cunhado de Jango. De maneira heroica, ele se aquartelou no Palácio Piratini e convocou a população a defender a legalidade. Conseguiu o apoio das principais rádios locais que passaram a transmitir os chamados em ondas curtas, atingindo as rádios de todo o país. Em poucos dias, mais de 100 rádios no Brasil estavam mobilizados. Rádios de países vizinhos retransmitiam a informação em espanhol e inglês.

No estado gaúcho, milhares foram às ruas. A ponto do coronel do III Exército se emocionar e desistir de prender Brizola. Então, para que não ocorresse uma guerra civil, Jango retornou ao Brasil e aceitou o sistema de parlamentarismo proposto pela direita. Numa época em que os veículos de comunicação eram dominados pelos políticos de direita e pelos militares, o sucesso da ação foi muito comemorado. Ele retardou o golpe que já vinha se desenhando e tencionando governos anteriores. 

A Cadeia da Legalidade é um marco na história nacional que não pode cair no esquecimento. Ela carrega a força da mobilização popular e deve ser lembrada e divulgada entre a juventude tão descrente da política. Também foi um legado deixado por Brizola: um líder nato, orador invejável, além de ser homem audacioso e enérgico. Sua persistência fez com que temas de interesse nacional estivessem sempre em pauta. Concordo com o deputado federal Enio Bacci (PDT-RS) de que, se não fosse o Golpe de 64, certamente Brizola seria presidente da República.

Em memória dele, disponho aqui uma nota do Jornal do Comercio de Porto Alegre que fala sobre a intenção de transformar Brizola em herói nacional

Brizola: Herói Nacional

O legado de Leonel Brizola é tão grande que há gente que quer que ele seja considerado Herói Nacional, ao lado de Tiradentes e José Bonifácio. O deputado federal gaúcho Luiz Noé, do PSB, tem um projeto de lei que coloca Brizola ao lado de Heróis Nacionais que constam no Livro de Aço, no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, em Brasília. “A importância da Campanha da Legalidade passou despercebida no Brasil. Nesse ato, Brizola defendeu a democracia.” Noé, que já conhecia a história política de Brizola, se tornou admirador após conhecer a história pessoal do ídolo.

Boas ideias que vingam

Existem boas ideias que vingam. Hoje, ao ler O Fluminense, fiquei muito feliz em saber que a lei municipal de reúso de águas cinzas pode virar lei nacional.

O texto da lei foi elaborado quando fui vereador de Niterói, mas não pude representá-lo porque precisei assumir o mandato de deputado estadual. Pedi ao presidente da Câmara Municipal, Paulo Bagueira, que levasse o projeto de lei adiante. Bagueira foi sensível à proposta e conseguiu aprová-lo recentemente. Em função disso, hoje a lei tem a assinatura dele.

O melhor de tudo é o resultado obtido. A lei está em vigor em Niterói e pode virar nacional. É mais uma vitória (e também uma esperança) para aqueles que, como eu, lutam pela sustentabilidade do planeta. Por isso, torço para que a lei federal seja uma realidade.

 

INFORME FLU 25/08/2011

A lei de reúso de águas cinzas da autoria do presidente da Câmara Municipal, Paulo Bagueira (PPS), será aproveitada pela Câmara dos Deputados em Brasília. O deputado federal, Mauricio Trindade, do PR baiano, procurou a assessoria de Bagueira pedindo cópia do projeto. Vai usá-lo para estender a obrigação para todos os prédios do País.

UENF completa 18 anos

Semana passada, a Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) completou 18 anos de existência. Idealizada por Brizola e Darcy Ribeiro, a UENF tem como missão levar qualificação, pesquisas e desenvolvimento ao norte e noroeste fluminense.

Mesmo jovem, a universidade é uma das mais bem avaliadas do país. E, agora, atingindo sua maturidade, esta na hora dela se preparar para expandir seus campi para outras cidades da região. A expansão já estava prevista por seu projetista, Darcy Ribeiro, que participou da construção da Universidade de Brasília, foi convidado a trazer a experiência para o Rio de Janeiro.

A instalação de uma universidade é uma das grandes molas propulsoras de desenvolvimento. Em uma metrópole, o impacto disso não é nítido, mas no interior faz toda a diferença. Ela é responsável por produzir estudos voltados para a vocação regional, gerando tecnologia e alternativas de trabalho e renda.

Mobilização contra corrupção toma forma

Divulgo aqui trecho da matéria do O Globo com o resultado da audiência pública no Senado que discutiu o combate à corrupção. Essa reunião buscou formas para pressionar o Congresso a ter uma postura mais ética e comprometida com os interesses públicos e abrir canais de participação popular. Vejo isso como o ponta pé inicial para um movimento maior que lutará pela moralidade política. A OAB foi o primeiro a abrir um canal à sociedade. O link é www.observatorio.oab.org.br

 

Senadores e representantes da sociedade civil discutem próximos passos da Frente Suprapartidária contra a Corrupção

Publicada em 23/08/2011Adriana Mendes e Isabel Braga

BRASÍLIA – Senadores e representantes da sociedade civil discutiram, em audiência pública no Senado nesta terça-feira, propostas para ampliar o movimento suprapartidário de combate à corrupção, lançado na semana passada , pelo senador Pedro Simon. Entre as sugestões, está a criação de uma comissão no Congresso para analisar os projetos em andamento de combate à corrupção, a utilização das redes sociais para a participação da população e manifestação pacífica para pressionar o Supremo Tribunal Federal a analisar a constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa. A OAB anunciou que vai lançar, amanhã, o “Observatório da Corrupção” para o acompanhar processos no Judiciário sobre o tema.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/pais/mat/2011/08/23/senadores-representantes-da-sociedade-civil-discutem-proximos-passos-da-frente-suprapartidaria-contra-corrupcao-925184281.asp#ixzz1Vt1BZCmT
© 1996 – 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Entrevista ao programa Globo Comunidade

Hoje, participei do programa Globo Comunidade que discutiu como o Estado do Rio está se preparando para receber os novos investimentos. Atualmente, nós temos vários empreendimentos sendo realizados no nosso Estado. Entre eles estão o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) na Região Leste Fluminense, o estaleiro da Marinha em Itaguaí, o Porto do Açú na Região Norte Fluminense e as reformas e construções em função da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos na Região Metropolitana.

Abaixo estão os vídeos com o conteúdo desta edição. Estiveram presentes ao debate junto comigo o gerente de Investimentos e Infraestrutura da Firjan, Cristiano Prado Barbosa, e o coordenador de Projetos Educacionais do Senai-RJ, Allain José Fonseca. Confiram!

Rio de Janeiro recebe grandes investimentos

Cidades precisam estar preparadas para receber investimentos

Transporte é um desafio no caminho do desenvolvimento