Uma boa gestão começa com transparência pública

A transparência e o acesso à informação são fatores essenciais para uma boa gestão pública. Ampliar a divulgação do trabalho desenvolvido na prefeitura a todos os moradores, além de contribuir para o fortalecimento da democracia, prestigia e desenvolve as noções de cidadania. Penso que ações como essa fortalecem as ações de governo.

Além disso, são medidas seguras de prevenção da corrupção. Incentivam os gestores a agirem com mais responsabilidade e eficiência, e são fundamentais para possibilitar a participação popular. A página da prefeitura de Niterói, na minha gestão, vai ter espaço para que todos possam enviar sugestões, tirar dúvidas e acompanhar passo a passo a solução de suas solicitações.

Através do Portal Transparência Niterói, vou modernizar a prefeitura com o uso da tecnologia da informação, agilizando processos, minimizando os custos e aproximando os órgãos públicos dos moradores do município. Cada cidadão poderá conferir na internet como estão sendo aplicados os recursos. Esse, aliás, é um direito de todos.

Todo governo, para executar bem suas tarefas, precisa de uma sociedade civil organizada e fiscalizadora. Um administrador público da nova geração não apenas fornece à população as informações que deseja, mas também cobra dela que continue cumprindo seu papel de fiscalização.

O Portal da Transparência será o canal para garantir que essa fiscalização popular aconteça. Este é o caminho para colocarmos a prefeitura no século 21.

Educação de qualidade com o Programa Escola 10

Para que se tenha, de fato, educação de qualidade em nossas escolas, é preciso mais projetos e ações na área. A educação é um direito fundamental e essencial para o desenvolvimento humano. Sou filho de professora e sei que não se faz educação sem investimentos no setor.

Recentemente, falei sobre minha proposta de ampliar o número de creches na cidade para suprir a demanda de vagas que ainda é uma realidade em Niterói. Serão 4 mil novas vagas para crianças de zero a seis anos em 20 novas unidades.

Também para a área da educação, vou implantar em Niterói o Programa Escola 10. Eu quero ocupar o tempo das crianças com atividades extracurriculares. Por isso, além das aulas regulares, os alunos terão aulas de informática, inglês e reforço. Vão praticar esportes e fazer atividades culturais.

Os pais, que muitas vezes precisam deixar seus filhos em um local seguro para irem trabalhar, terão a opção de matricular o aluno em dois turnos, manhã e tarde. Esses alunos farão quatro refeições por dia: café da manhã, almoço e dois lanches. Vou investir na qualidade do nosso ensino e das nossas escolas.

Esse é o compromisso de um governo que vai iniciar um novo ciclo de desenvolvimento humano, de olho no futuro e com novas ações. Educação de qualidade é um direito dos nossos alunos!

A cultura como forma de integração social

A cultura é fundamental no processo de formação do cidadão. Por isso, quanto mais políticas públicas forem criadas para que todos tenham acesso à arte, música e outras manifestações artísticas, maior será o resultado positivo destas ações.

Em outro artigo publicado, falei da minha proposta de tornar o Teatro Popular um espaço para valorizar os artistas da cidade, que precisam de mais oportunidades para mostrarem seu trabalho.

Como prefeito, quero garantir, também, espaço para as mais diversas manifestações culturais de Niterói. Na Zona Norte, quero implantar lonas culturais para realização de shows e peças de teatro, oficinas de arte e cursos profissionalizantes.

Sei que ações culturais são capazes de promover formas de integração e socialização. Vou trabalhar para potencializar essas ações, contribuindo com a promoção da cultura no cotidiano das pessoas.

Nossa cidade tem uma enorme vocação cultural e é importante que saibamos valorizar, incentivar e fortalecer esse potencial. Acesso à cultura e à informação é um direito de todos!

Mais segurança com a criação do Centro de Operações de Niterói

Em maio, Niterói recebeu o apoio de policiais do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), que atuam aliados no combate à violência na cidade. As cabines de policiamento também foram reativadas e passaram a funcionar como ponto de referência para os moradores.

Desde que a onda de criminalidade na cidade começou, insisti em maior atenção e investimentos em segurança pública. E sei que não chegamos ainda a um ideal de segurança, mas esse é apenas o começo para que Niterói volte a ser uma cidade segura.

Minha proposta, como prefeito, é implantar novas câmeras de segurança nas principais vias e corredores da cidade, ligadas ao Centro de Operações de Niterói, que pretendo criar, a exemplo do que funciona na cidade do Rio de Janeiro, com todo o sistema de monitoramento de câmeras, bases da PM, Guarda Municipal e SAMU, todos trabalhando de forma integrada.

Antes mesmo de entrar para a política eu já promovia o debate sobre o tema. Aos 21 anos, decidi dar início ao Movimento Niterói Com Segurança, que mobilizou a população no fim da década de 90 para cobrar melhorias para a segurança pública em nossa cidade. Uma de nossas importantes vitórias foi trazer o policiamento comunitário para Niterói.

Tudo o que conquistamos foi sempre através da mobilização e reivindicação. Quando a população se une para dizer o que precisa, as coisas acontecem de fato. Por isso, considero importante ouvir de cada cidadão os problemas que precisam ser enfrentados. Como morador de Niterói, fico igualmente preocupado com a situação que a cidade passa. A segurança depende de cada um de nós!

A cidade das bicicletas

O ano de 2012 está sendo marcado por vários encontros e eventos com o objetivo de promover a bicicleta como meio de transporte. Andar de bicicleta para mim é algo além da diversão, é um veículo e um modo de vida mais prático, saudável e sustentável.

A mobilidade urbana está em destaque nos debates e projetos promovidos na cidade. Bom exemplo foi o 2º Seminário Sobre Mobilidade Urbana Sustentável, onde discutimos questões de prioridade no planejamento urbano. Desse encontro, foi assinado um convênio para estruturar as várias modalidades de deslocamento da população, firmado entre a Nittrans e o Instituto de Política de Transporte e Desenvolvimento (IDTP).

Quando elaborei o Estatuto da Bicicleta para Niterói pensava em garantir o trânsito das bicicletas em uma sociedade cuja cultura de progresso é ter carro. O planejamento de trânsito, no Brasil, é estruturado apenas para automóveis. Mas a bicicleta também é um veículo e seu uso está garantido e regulamentado pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Como prefeito, pretendo avançar ainda mais na área, intensificando as ações e as metas que estabelecemos no Estatuto, como a implantação efetiva de ciclovias, ciclofaixas e vias compartilhadas em toda a cidade. Assim como melhorar a sinalização e a iluminação das vias. Oferecer serviço público de aluguel de biciletas e intensificar as campanhas de educação para o trânsito, garantindo mais respeito aos ciclistas.

Se levarmos em conta que o CTB já possui normas de conduta para o tráfego compartilhado de veículos motorizados e bicicletas, devemos persistir nas ações educativas, assim como na fiscalização. Mudar os hábitos dos motoristas e dos próprios ciclistas é, sem dúvida, o maior desafio. Mas eu acredito em uma Niterói ciclável.

Vamos transformar Niterói na cidade da bicicleta!

Implantação do Parque Municipal e preservação da área verde

Niterói possui uma extensa área verde, de aproximadamente 650.000m², entre os bairros de Fátima, Pé Pequeno, Cubango, Fonseca e São Lourenço. Esta área tem um enorme potencial para se tornar um Parque com infraestrutura de esporte, lazer e turismo.

Sou autor da lei que propõe a criação da Área de Proteção Ambiental da Água Escondida (APA) e autoriza a implantação do Parque Municipal que garante a recuperação e preservação da área e seu entorno, prevenindo a continuidade da degradação e ocorrência de ocupações irregulares. É de minha autoria também, o projeto de lei que propõe o tombamento da Chácara do Vintém, no Bairro de Fátima, que guarda o primeiro manancial de água potável da cidade.

Realizei diversas reuniões e audiências públicas para discutir o tema. A criação da APA é o primeiro passo de um projeto maior, que envolve a identificação e proteção da diversidade biológica, a revegetação e a recuperação das áreas desmatadas ou degradadas. Com a implantação do Parque, conseguiremos conter as ocupações irregulares e a manutenção das unidades de conservação.

Na minha trajetória política, sempre defendi projetos de preservação da área verde do município. Agora não seria diferente. Como prefeito, vou ampliar essas áreas, com implantação de novos parques municipais, além de fortalecer a Guarda Municipal para proteger as áreas de preservação permanente.

Niterói tem tudo para se tornar uma cidade onde se possa engrandecer o turismo, promover a educação ambiental, a cidadania e a capacitação profissional através de ações de preservação do meio ambiente.