Um fim de semana de ações

Esse fim de semana, com certeza, foi marcado de grandes e importantes realizações em Niterói e no Rio de Janeiro.

No sábado, dia 28, ao lado do governador Pezão, pude ver o quanto os moradores do Morro do Cavalão, em São Francisco, ficaram satisfeitos com a inauguração da 5ª Companhia Destacada da Polícia Militar na comunidade. Mais um reforço na segurança da cidade, que soma no combate à violência em Niterói.

Depois foi a vez de inaugurarmos no Fonseca, na Rua Teixeira de Freitas, a Clínica da Família Doutor Antônio Peçanha, construída com recursos de mais de R$ 1,3 milhão do Governo do Estado, que vai atender cerca de 10 mil pessoas por mês nas áreas de Clínica Médica, Ginecologia, Cardiologia Pediatria e Urologia. Essa é a sétima das 59 Clínicas da Família que que deverão ser inauguradas.

E ainda inauguramos 15 novas ruas em Piratininga que foram contempladas pelo Programa Bairro Novo, da Secretaria de Estado de Obras. Ao todo, serão 25 vias asfaltadas, numa extensão de aproximados sete quilômetros e investimento de mais de R$ 11 milhões do Governo do Rio.

Também não paramos no domingo (29). O dia começou cedo com a Convenção do PSL (Partido Social Liberal), na Tijuca. Em seguida fomos até Irajá, para inaugurarmos, junto com prefeito Eduardo Paes, o Morar Carioca, projeto da Secretaria de Habitação, que vai beneficiar quem mora na Comunidade Vila São Jorge (Para Pedro). Uma bela iniciativa que vai dar aos moradores mais dignidade e qualidade de vida.

De lá, fomos a Belford Roxo onde comemoramos, junto com a população, 12 ruas do Bairro Nova Aurora, que receberam pavimentação, drenagem e asfalto do Programa Bairro Novo. Mais qualidade de vida para os moradores da Baixada Fluminense!

E ainda pudemos prestigiar a Convenção do PMN (Partido da Mobilização Nacional), no Centro. Só paramos depois de uma vistoria nas obras do Arco Metropolitano, uma das maiores e mais importantes obras viárias do estado, que será inaugurada na terça-feira, dia 01.

Bom mesmo é assim, quando o dia nos rende grandes ações!

A Estrada Parque Paraty-Cunha: uma obra esperada há 50 anos

No começo do mês, o governador Pezão assinou um convênio de R$ 42 milhões para concluir a Estrada Parque Paraty-Cunha, que corta o Parque Nacional da Serra da Bocaina. A via é uma das rotas de fuga das usinas nucleares de Angra dos Reis, e de grande importância para o desenvolvimento do turismo da Costa Verde.

Para pavimentar a rodovia, que liga Paraty ao município de Cunha, em São Paulo, onde faz conexão com a SP-171, o DER – responsável pelas intervenções – está usando bloquetes de concreto, que é uma exigência ambiental. E as obras incluem passagens subterrâneas e áreas conhecidas como ‘bichodutos’, para evitar eventuais atropelamentos de animais.

Os recursos, frutos da parceria do Governo do Estado com a estatal federal Eletronuclear, são parte dos R$ 92 milhões que estão sendo investidos na pavimentação da estrada, que tem pouco mais de nove quilômetros de extensão, dos quais quase três já estão prontos. O trecho entre o Centro de Paraty e a entrada do Parque Nacional já está pavimentado.

Essa é uma obra esperada há mais de 50 anos e é a redenção de Paraty e Angra dos Reis para o turismo, que coloca o Vale do Paraíba e o Sul de Minas a menos de uma hora do mar. Além da distância entre as cidades de Paraty e Cunha que será encurtada em 270 quilômetros, diminuindo o tempo de viagem em duas horas entre o Rio e São Paulo.

E há muita história para contar. O trajeto entre Paraty e Cunha tem 47 quilômetros e já fez parte da então Estrada Real, por onde, na época do Brasil Colônia, eram transportados o ouro e os diamantes, além de mercadorias e escravos, de Minas Gerais em direção ao porto de Paraty, rumo a Portugal. Na época, a Estrada Real era conhecida como Caminho Velho.

A construção da Estrada Parque Paraty-Cunha é uma das exigências do Ibama e do Instituto de Biodiversidade Chico Mendes (ICMBio) para a concessão da licença ambiental de construção da Usina Nuclear Angra 3, em Angra. Isso porque a ligação vai servir como rota de fuga também em caso de acidente. A previsão é que a obra seja concluída no início do ano que vem.

A Paraty-Cunha é a segunda estrada parque do estado do Rio. A primeira é a RJ-151, ligando Itatiaia e Resende, inaugurada no início do ano, que é pavimentada com asfalto de borracha.

O desencanto dos jovens pela política

Os mesmo jovens que, há um ano, foram às ruas pedir mudanças na política do Brasil, são os mesmos que não tiraram título de eleitor e deixarão de exercer sua cidadania nas próximas eleições de outubro. Ou, pelo menos, parte deles. Segundo informações do IBGE, apenas 25% dos brasileiros com 16 e 17 anos regularizaram sua situação e poderão votar.

Desde 2006, esse índice vem registrando quedas sucessivas. Naquele ano, o grupo de eleitores facultativos (menores de 18 anos) representava 39% da população nessa faixa etária. Em 2010, encolheu para 32%. Hoje, esses 25% representam apenas um quarto da população nessa faixa etária. Um resultado que mostra o quanto a juventude brasileira está indiferente em relação às urnas.

Ao que parece, aqueles que agora teriam o direito de eleger seus representantes demonstram não acreditar no direito de escolha como meio de transformação do país. Eis, então, que surge um cenário totalmente novo na história. Pela primeira vez o Brasil terá mais eleitores idosos, com mais de 60 anos, do que com idades entre 16 e 24 anos. O que pode influenciar os rumos das políticas públicas.

A conclusão que fica ao analisar a queda do número de títulos tirados pelos adolescentes de 16 e 17 anos é que os jovens parecem desinteressados pela política. Há um descontentamento. A política nacional não está conseguindo atingi-los. Eles não se sentem representados politicamente. Preferem ganhar tempo.

Penso que a participação ativa e construtiva do jovem na busca por um novo tipo de comprometimento político é um motor potente para a sociedade, que ganha em democracia e na capacidade de enfrentar os problemas que a desafiam. Se por um lado há o descrédito dos jovens brasileiros nos políticos, por outro existe a certeza do quanto esse voto pode fazer a diferença nas urnas.

Os jovens precisam acreditar que podem mudar a política e escolher o futuro do nosso país. Se todos se conscientizarem que só participando intensamente conseguirão mudar este estigma, a esperança irá prevalecer.

Dez anos sem Leonel Brizola

Lá se vão dez anos da morte de um dos mais dedicados líderes políticos que o Brasil já teve. Leonel de Moura Brizola, ou simplesmente Brizola, partiu em 21 de junho de 2004, mas nos deixou seu exemplo e seus ensinamentos como forma de inspiração para o PDT e para as lideranças comprometidas com o legado trabalhista.

Brizola começou na política ao lado de Getúlio Vargas, no recém-criado Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), em 1945. Ainda era universitário, estudante de engenharia. Teve uma infância pobre e sempre trabalhou para estudar. Sabia exatamente pelo que passava a classe trabalhadora. Tinha orgulho de sua origem popular.

Brizola cresceu e se afirmou como principal líder brasileiro de esquerda. Convocou as forças progressistas a se unirem a ele, numa Frente Nacional de Libertação, para as lutas de combate à exploração estrangeira e ao latifúndio improdutivo. Seu prestígio era tanto que, mantendo-se no governo do Rio Grande do Sul, se candidatou a Deputado Federal pelo Rio de Janeiro, alcançando a maior votação registrada na história brasileira.

Liderou a Campanha da Legalidade, pela posse de João Goulart, logo após a renúncia de Jânio Quadros. Convocou a população, e milhares de pessoas foram às ruas para garantir a posse de Jango em uma época que os militares comandavam.

Como parlamentar, fez fortes discursos defendendo a implantação da reforma agrária e a distribuição de renda no Brasil. Foi um político que sempre acreditou na força do povo e no processo social. Contribuiu para abolir o analfabetismo no Rio Grande do Sul, onde construiu mais de três mil escolas. E no Rio de Janeiro, implantou o programa de educação integral, construindo 500 Centros Integrados de Educação Pública, os CIEPs.

Como forma de homenagem, em fevereiro de 2012, foi lançado o livro ‘Leonel Brizola – A Legalidade e Outros Pensamentos Conclusivos’, dos jornalistas Oswaldo Maneschy, Apio Gomes, Paulo Becker e Madalena Sapucaia, publicado pela Editora Nitpress. E em março do ano passado, Brizola foi lembrado, no Palácio Tiradentes, num ato em memória aos 30 anos de sua posse no Governo do Estado.

Brizola viveu pela política brasileira e deixou um legado de grandes realizações. Sempre lutou sob a inspiração do nacionalismo e do trabalhismo, pelo desenvolvimento do país, por mais dignidade para o povo brasileiro, pelos direitos e conquistas do trabalho e da educação. Brizola é exemplo de lição. Um exemplo a ser seguido. Brizola vive em quem luta pelo povo. E lá se vão dez anos sem o filho do povo.

A importância do Programa Bairro Novo

Nos últimos meses, tenho acompanhado uma série de inaugurações do Programa Bairro Novo, do Governo do Estado, em cidades da Região Metropolitana que não possuem asfalto, canalização de esgoto sanitário e rede de drenagem.

São obras de pavimentação, construção de meio-fio e calçamento, num investimento de um bilhão de reais. São obras de qualidade que estão transformando cidades como Nova Iguaçu, Maricá, Itaboraí, São Gonçalo e Niterói, só para citar algumas.

Nessas andanças, tenho ouvido dos moradores a mesma resposta: “o sonho se tornou realidade”. E vale muito a pena ver em seus rostos o sorriso e a certeza de uma vida mais digna daqui pra frente.

E é justamente esse o objetivo.

Dar dignidade a muitos que, em dias de chuva, precisam colocar sacos nos pés quando saem de casa. Melhorar a qualidade de vida. Dar outro sentimento para quem, por muito tempo, conviveu com a lama e a poeira. Ter de volta a autoestima com vias totalmente revitalizadas.

Nosso bairro é muito importante em nossa vida, é parte da nossa identidade. E uma boa infraestrutura como a que propõe o Bairro Novo fazem o cidadão se orgulhar cada vez mais pelo lugar onde mora.

O Bairro Novo vai levar asfalto, drenagem, calçamento, e mais dignidade, a quase três mil ruas da Região Metropolitana. Um trabalho que está a todo vapor. Um trabalho de grande importância. Grande exemplo de um governo que está, literalmente, somando forças.

Vamos juntos por um Rio cada vez melhor

Foi dada a largada! Demos mais um passo importante rumo ao futuro do nosso estado. Na convenção estadual do PDT que realizamos na segunda, dia 16, na Fundação Leonel Brizola-Alberto Pasqualini, meu nome foi oficializado como vice na chapa do governador Pezão, candidato à reeleição. Agora é esperar pela convenção do PMDB que vai acontecer nos próximos dias.

Se a expectativa já era grande, agora, é ainda maior. É claro que estou muito feliz de estar ao lado do Pezão nessa disputa, mas sei da grande responsabilidade que tenho pela frente, como representante do meu partido nessa empreitada. E nessa projeção vejo a chance de darmos continuidade com o compromisso de seguirmos adiante, agora juntos, com nosso trabalho em benefício da população.

Eu e Pezão, inclusive, temos muito em comum. Temos caminhos parecidos. Fui vereador por dez anos, assim como ele. Que por sinal começou sua trajetória política no PDT, como eu. Não tive a oportunidade ser prefeito como Pezão foi, mas o destino me reservou um desafio muito maior. E chance de poder fazer ainda mais pelo nosso estado honrando a história de lutas e conquistas do meu partido.

Ao lado do Pezão, tenho acompanhado inúmeras inaugurações nas mais diversas regiões do estado como o Destacamento do Corpo de Bombeiros, em Bom Jardim, na Região Serrana; a Delegacia da Mulher, em Campos, no Norte Fluminense; e as mais recentes ruas contempladas pelo Bairro Novo em Itaipuaçu, na Região Metropolitana. A candidatura do Pezão é muito importante para darmos continuidade a avanços como estes.

Muito obrigado a todos que prestigiaram nossa Convenção. Que aprovaram minha indicação a vice. Que acreditam e confiam no propósito da aliança firmada entre o PDT e o PMDB. Encarar uma campanha eleitoral não é tarefa das mais fáceis. A pressão é enorme. Mas com garra e disposição, sigo em frente nessa nova trajetória que começa em breve. E vamos juntos! Unidos por um Rio cada vez melhor com Pezão governador.

OAB promove novo debate sobre a segurança de Niterói

Niterói realizou nesta terça-feira, 4, mais um encontro para debater a segurança na cidade. Agora, no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), no Centro. Na verdade, eu diria que esse, se comparado a outros debates que tivemos recentemente, foi o primeiro realmente disposto a discutir o tema em busca de soluções. A violência, os assaltos e a insegurança existem, e sabemos disso. O que precisamos é discutir ações efetivas!

E isso se faz apresentando dados, estatísticas, mostrando o que já foi feito e o que se tem planejado para combater essa realidade que nos aflige. E, claro, ouvindo os moradores. Mas de forma, repito, a buscar soluções, e não somente ouvindo reclamações. São espaços como esse que fazem a diferença quando se almeja resultados concretos para um problema que se agrava em Niterói.

A questão da sensação de insegurança da população nos últimos dias é algo que muito tem se falado. Eu, como morador de Niterói, também compartilho dessa sensação. Mas faço minhas as palavras do delegado da 79ª DP, Henrique Paulo Pessoa, quando diz que não é porque não se vê que nada tem sido feito. Muito tem sido feito, sim, e há, claro, ainda muito por fazer. Devemos reconhecer isso.

E como militante antigo da área de segurança, tema que sempre esteve entre minhas prioridades, também tenho agido, até onde tenho alcance, em busca de soluções. Ingressei há cerca de um mês na Alerj com três indicações ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame. Fora os movimentos e ações que sempre promovi ao longo da minha trajetória na política. Isso inclui as inúmeras audiências públicas que organizei e participei.

Penso que segurança é um tema que se discute em conjunto, mas de forma séria e construtiva. É um problema de todos, e todos precisamos intervir propondo medidas, dando sugestões, enfim, exercendo o direito da cidadania em busca do nosso maior bem comum: a tranquilidade de estarmos seguros.

Há disponível um espaço na internet para perguntas, dúvidas e sugestões para interagirmos sobre a segurança. É o seguranca@niteroi.rj.gov.br. Tem também o aisp12@gmail.com, para informações sobre o 12º Batalhão de Polícia Militar. Saibamos utilizar mais esses canais!

Quero parabenizar o tenente-coronel Wanderly Braga; o tenente-coronel Gilson Chagas, o presidente da Comissão de Segurança Pública, Bruno Rodriguez; a secretária Executiva da Prefeitura de Niterói, Maria Célia Valladares; o advogado criminalista Ennio Figueiredo; e o delegado da 79ª DP, Henrique Paulo Pessoa, pela oportunidade de debatermos a segurança de maneira civilizada, como deve ser!

95 anos do Instituto Vital Brazil

Tivemos ontem no plenário da Alerj, conduzida pelo deputado estadual Comte Bittencourt e que tive o prazer de prestigiar, a mais que merecida homenagem ao Instituto Vital Brazil (o IVB), que completou 95 anos de fundação.

Em 03 de junho de 1919, o cientista Vital Brazil Mineiro da Campanha fundou o órgão que logo se tornaria referência na área de soros antipeçonhentos. Ainda como “Instituto de Higiene, Soroterapia e Veterinária”, o órgão funcionou na Rua Gavião Peixoto, em Icaraí, até 1943.

Em setembro desse mesmo ano, foi inaugurada a sede atual, em um terreno doado pelo Governo do Estado, em troca do oferecimento à população de serviços de saúde pública. Em 1957, tornou-se órgão da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro.

Desde 2007, o Instituto vem avançando no aprimoramento da sua plataforma produtiva e tecnológica e expandindo seu campo de atuação. Além dos avanços nos estudos e pesquisas no campo farmacêutico, biológico, econômico e social.

Hoje, além da sede em Niterói, o IVB conta ainda com a Fazenda Vital Brazil, em Cachoeiras de Macacu; o Centro de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento (Cepe), na Gávea; o Módulo Científico e Cultural, em Tanguá; e a Plataforma Tecnológica Industrial, em Resende.

O Instituto Vital Brazil é um dos 21 laboratórios oficiais brasileiros, um dos quatro fornecedores de soros contra o veneno de animais peçonhentos e produtor de medicamentos estratégicos para o Ministério da Saúde.

Inaugurada a Transcarioca

O Rio deu neste domingo, dia 01/06, um importante passo para o incremento da mobilidade urbana com a inauguração do BRT Transcarioca, que vai movimentar 320 mil passageiros por dia, em 39 quilômetros de extensão com 22 das 45 estações prontas.

Nessa primeira fase, estarão em funcionamento todas as estações entre o Terminal Alvorada, na Barra, até o Tanque, além de Vicente de Carvalho e Galeão.

Em ônibus convencionais, esse trajeto pode demorar até três horas. Pela Transcarioca, o passageiro fará o caminho entre um extremo e o outro da via em cerca de uma hora, com 60% do tempo de viagem reduzido. Serão 16 veículos articulados, trafegando a cada cinco minutos.

Ao todo, sete linhas de BRT vão funcionar na Transcarioca. A primeira começa a operar na segunda, dia 2, no trecho Barra (Terminal Alvorada) – Tanque, em Jacarepaguá, com paradas em 19 estações, entre 10h e 15h, período entre os horários de pico.

A segunda, ligando o aeroporto do Galeão à Barra, entrará em operação na próxima quarta, dia 4. As linhas serão colocadas em funcionamento gradativamente, para que os usuários tenham tempo de ser adaptar ao novo sistema.

Quando estiver operando com toda a sua capacidade, o BRT da Transcarioca vai transportar 450 mil pessoas por dia. Serão criadas duas linhas de ônibus alimentadores, eliminadas 12, e o itinerário de outras oito será alterado, numa redução de 480 veículos da frota de ônibus.

Sem dúvidas, mais um grande ganho para a população!

Vale a pena conferir o 4º Salão da Leitura de Niterói

No sábado (31), prestigiei a abertura do 4º Salão da Leitura de Niterói, que acontece até o próximo domingo, dia 8, no Caminho Niemeyer. Sem dúvidas, um programa que recomendo para curtir em família. A programação, com atrações das mais variadas, agrada a todas as idades. Vale a pena conferir!

O Salão da Leitura de Niterói é um evento bienal, criado em 2006. Um dos maiores do segmento na região e que já faz parte do calendário oficial do município. Um espaço democrático para se debater e incentivar a cultura da leitura, tão importante para nosso crescimento e amadurecimento como formadores de opinião.

Mais do que isso, é muito importante difundirmos o incentivo à leitura em casa, com nossos filhos. Eu tenho duas meninas e exercito com elas esse hábito. Sempre que passo por uma livraria, compro algo novo para lermos juntos. É fundamental a leitura desde pequenos para formar jovens leitores.

Quero aproveitar esse artigo para falar, também, sobre uma iniciativa que me chamou bastante atenção no Salão. Na verdade, duas. A primeira é o Projeto Mais Leitura, ideia muito bacana promovida pela Imprensa Oficial do Estado, que propõe a venda de livros novos a preços populares.

Criado há dois anos, já soma mais de um milhão de livros vendidos, publicados por 40 editoras parceiras, como a Rocco e a Objetiva. São livros de todos os assuntos. Uma ideia que merece ser conhecida. Certamente, num próximo artigo, vou escrever sobre o projeto, que democratiza o acesso à leitura.

Outro ponto que queria destacar é novidade no circuito: a criação de uma moeda social – o Lobato – distribuída a estudantes das escolas públicas do município. Cada Lobato vale R$ 10, e poderá ser trocado por livros nos estandes.

Sem dúvidas, o Salão da Leitura de Niterói merece espaço no meu blog. Sou um ferrenho defensor da educação, e um evento como esse, que promove tamanha integração de todos, sem distinção, num único objetivo que é incentivar a leitura, vale a pena divulgar.

A programação com datas e horários, e outras informações, estão no site oficial do evento.

Vamos prestigiar!