A ciência em favor da saúde

Quero aproveitar este espaço do blog para repercutir uma conquista importante do Instituto Vital Brazil (IVB) nesta última semana: a produção do lote piloto da Octreotida, uma solução injetável utilizada no tratamento da acromegalia que atinge mais de sete mil brasileiros.

A acromegalia é uma síndrome rara causada pelo aumento do hormônio de crescimento (GH), que causa crescimento desordenado nas partes do corpo como mãos, pés e face. Dados do Ministério da Saúde, de 2008, apontavam para sete mil pacientes com essa doença no Brasil.

A produção de Octreotida acontece em parceria entre o IVB, a UFRJ e a Hygeia Biotech, empresa de base tecnológica, fundada em 2007, que busca atuar na transposição da escala de pesquisa para a industrial, em parceria com entes produtivos públicos e privados. E parte da pesquisa também foi financiada pelo Governo do Estado.

O medicamento é uma das parcerias de desenvolvimento produtivo assinados com o Ministério da Saúde para entrega à população por meio do SUS. A produção da Octreotida faz parte de um termo de compromisso entre o Vital Brazil e o Ministério da Saúde, firmado em abril de 2010, que garante a compra do medicamento produzido pelo instituto.

Esse acordo prevê a fabricação verticalizada, que é o desenvolvimento do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), produção e registro do medicamento. Para 2015, o projeto prevê o fornecimento dessa apresentação (injetável) para o Ministério da Saúde ainda com IFA importado e, a partir de 2018, com o IFA produzido no Brasil.

O Ministério da Saúde, por meio desses acordos de compromisso, estimula a produção nacional de insumos farmacêuticos ativos e medicamentos dentro de uma estratégia do que ele precisa comprar, que garanta a independência tecnológica. Historicamente, o Brasil depende de aproximadamente 85% de IFAs estrangeiros.

Este é, sem dúvida, mais um grande passo da ciência em benefício da saúde. Grande conquista que merece ser divulgada.

Uma nova conquista para os moradores do Preventório

Os moradores do Morro do Preventório, em Charitas, que, no início de agosto, foram contemplados com a regularização das suas casas por meio dos títulos de posse que foram entregues pelo Governo do Estado, ganharam agora um espaço para cursos profissionalizantes.

É o Centro de Oportunidades e Cidadania (COC), iniciativa da Prefeitura de Niterói em conjunto com o Instituto Sete, uma ONG que, há sete meses, atua na comunidade ministrando cursos para alunos da comunidade.

Com esse novo espaço, o instituto poderá ampliar o número de vagas (de 60 para 200) e aumentar a oferta de cursos, em parceria com o Senai e o Senac. E, além de cursos como de panificação e eletrônica, serão oferecidas aulas de música e pré-vestibular comunitário.

Uma iniciativa como essa vai beneficiar, e muito, quem mora no Preventório. Há todo um trabalho de integração social e prevenção, também, já que oferece aos jovens – por vezes sem quaisquer perspectivas de futuro – um campo de oportunidades que podem fazer toda a diferença.

Conhecendo o Projeto Mais Leitura

Recentemente comentei em um artigo sobre o Projeto Mais Leitura, iniciativa muito interessante promovida pela Imprensa Oficial do Estado, que propõe a venda de livros novos a preços populares. Pude saber mais sobre essa ideia durante o 4º Salão da Leitura de Niterói, que aconteceu em junho, no Caminho Niemeyer.

Cada estande, com 48 metros quadrados, tem capacidade para mais de 10 mil livros e 700 títulos. O área conta com expositores, computadores e balcões. No “lojão”, como ficou conhecido o espaço, são vendidos livros novos que podem variar entre R$ 2 e R$ 4. Tem pra todos os gostos e todas as idades.

A média de venda é de 15 mil livros por mês em cada unidade. E mais de 100 mil cidadãos são titulares do “Cartão do Leitor”, que garante um “livro-brinde” a cada 10 livros comprados. Ao todo, foram mais de 2 milhões de títulos vendidos, publicados por 40 editoras associadas.

O Mais Leitura deu tão certo que tem se espalhado pelo estado. O projeto, que tem uma versão itinerante, já passou por 50 municípios do estado, além das agências fixas em Niterói, no Bay Market; e nas unidades do Rio Poupa Tempo de São Gonçalo, Bangu, São João de Meriti. Uma grande proposta de democratização do acesso à leitura. Uma ideia que merece ser conhecida e reconhecida.

Vamos vacinar nossos pequenos

Começou no dia 18 de agosto (e sem data de término!) uma importante mobilização em todo o estado. É a campanha de prevenção contra a Hepatite A para os pequenos de 1 a 2 anos incompletos, aplicada em dose única.

A vacinação está incluída no calendário de imunização infantil. E a meta é imunizar, pelo menos, 95% do total de três milhões de crianças que temos no país, com essa faixa etária, nos próximos 12 meses. A vacina tomada na infância protege para a vida inteira.

Com isso, o Brasil passa a oferecer gratuitamente à população os 14 tipos de imunobiológicos básicos, conforme orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS). Estima-se que ocorram por ano 130 novos casos da doença a cada 100 mil habitantes. Por isso é importante a prevenção.

A Hepatite A é habitualmente benigna, e pode raramente apresentar uma forma grave. Mas, se agravada, pode levar à morte. As crianças menores de 13 anos foram responsáveis por 68,7% dos casos confirmados e constituem o grupo etário com as maiores taxas de incidência da doença.

A vacina tomada na infância protege para a vida inteira. Por isso é importante a prevenção. Em 100% dos casos, os níveis protetores de anticorpos contra o vírus são desenvolvidos no prazo de um mês após uma única dose da vacina.

Leve o seu pequeno para ser imunizado. Vamos cuidar das nossas crianças!

O Comperj em debate

Na última terça, dia 19, assisti a uma palestra do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, sobre o Comperj. O encontro aconteceu na Associação Conselho Empresarial e Cidadania (Acec).

Planejado, em 2005, para ser um complexo petroquímico, hoje o projeto, avaliado em R$ 20 milhões, contempla a construção de uma refinaria numa área de 45km² em Itaboraí. Na cadeia de produção seguem o óleo diesel, nafta petroquímica, querosene de aviação (QAV), coque, gás de cozinha (GLP) e óleo combustível.

Programado para ser inaugurado em 2016, o Comperj prevê, inicialmente, o refino de 165 mil barris de óleo por dia, principalmente, para a produção de diesel, volume que deverá dobrar na segunda fase, até 2020, com a expectativa de gerar até 200 mil empregos diretos e indiretos.

Os últimos dez anos foram de crescimento para a indústria de todo o estado, com destaque para o setor petroquímico. E um dos motores que temos para o desenvolvimento estadual é o Comperj. Seguimos uma nova dinâmica de investimentos que nos consolida como polo setorial.

Um fim de semana agitado!

Esse foi um fim de semana de muita agitação. Começamos o sábado (23), com um grande encontro em São Gonçalo de Pezão com mais de 300 pastores e lideranças evangélicas. Conosco estavam os candidatos Graça Matos, Soraya Santos, Filipe Ferreira, Aparecida e Marcio Panisset, só para citar alguns.

De lá, seguimos para uma caminhada no Rodo. Foi muito bom ouvir dos moradores suas sugestões e propostas. É o tipo de campanha que gosto. E depois da pausa para o almoço no tradicional Bar do Ferreirinha, fomos inaugurar o comitê do candidato José Luiz Nanci. E não paramos por aí.

Seguimos para mais uma caminhada, agora no Porto da Pedra, com o candidato Dilson Drumond. Campanha de verdade se faz na rua, ouvindo quem muito tem pra nos dizer, e pedindo voto. Foi bonito ver a galera aderindo à nossa campanha.

Mas o dia ainda nos reservou uma grandiosa carreata com o deputado Rafael do Gordo. Passamos pelo Porto do Rosa, Mutuaguaçu, Fazenda dos Mineiros, Salgueiro, Itauna e Luiz Caçador, terminando na Praça da Trindade.

E domingo, dia 24, foi o dia da turma “Sou Felipe, Sou Pezão” também ir pra rua. Fizemos um grande bandeiraço no Largo da Batalha, em Niterói. Temos ainda muito chão pela frente e muita campanha pra fazer. Disposição não falta. Vamos em frente!

O sucesso da Dupla Escola em Niterói

Na última quinta-feira, dia 21, acompanhando Pezão em uma agenda de campanha em Niterói, pude voltar ao CIEP 449 Governador Leonel de Moura Brizola, em Charitas, que desde janeiro oferece ao alunos o curso de Ensino Médio Intercultural Brasil-França.

O que mais me chamou atenção foi ver o brilho nos olhos e o sorriso estampado no rosto de cada aluno. Pude ver neles a certeza de um futuro melhor vindo da educação. Isso é recompensador. E mostra que estamos no caminho certo investimento na educação, e de qualidade.

Termos, em Niterói, uma unidade de ensino como essa é motivo de orgulho. É uma grande conquista para a Educação, e serve de referência para todo o estado. Uma importante relação de troca, já que as escolas francesas são nossas parceiras e também estudam a nossa cultura.

O CIEP 449 é uma das 26 unidades do programa Dupla Escola e a primeira escola bilíngue de nível médio em horário integral no Brasil. Antes apagada e sem vida, a nova fachada da unidade traz as cores da bandeira da França. A escola está linda!

Um grande feito que merece o nosso prestígio!

Vem aí o 4º Festival Gastronomia do Mar

Começa no próximo sábado, dia 23, a 4ª edição do Festival Gastronomia do Mar, realizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca (a Sedrap), que é sucesso absoluto em Niterói e presença certa no calendário de eventos da cidade.

Além dos 70 restaurantes de Niterói e do Rio que estarão no circuito gastronômico e dos palcos gourmets montados no Mercado de Peixe São Pedro, na Rua Nóbrega (Jardim Icaraí) e na Praia de Copacabana, a novidade, esse ano, fica por conta da Orla Gourmet, em São Francisco.

Fico muito feliz pela boa aceitação do Gastronomia em Niterói. Um projeto que nasceu aqui, pela vocação histórica e natural que temos, com o objetivo de informar sobre a importância do peixe na nossa refeição diária e cultivar a cultura do consumo de pescado no estado.

E o aumento no consumo do pescado faz o comerciante vender mais e gerar mais emprego, enquanto o pescador pode cobrar um preço mais justo pelo produto. E o que se busca é exatamente isso, a valorização do pescador e o fomento da cadeia produtiva de pesca.

Não há como negar a vocação que Niterói tem com o mar. Dois terços do seu território estão voltados para a água. E os principais órgãos de pesca estão na cidade: a Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj), a Federação dos Pescadores do Estado do Rio de Janeiro (Feperj), e o Sindicato dos Armadores de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Saperj).

E, claro, o Mercado São Pedro. O maior centro de venda de pescado do Rio. Por semana, são comercializadas cerca de 60 toneladas de peixes. O mercado é também um ponto turístico. É muito comum encontrar pessoas do Rio comprando peixe fresco ou almoçando nos restaurantes.

O 4º Gastronomia do Mar acontece de 23 a 31 de agosto. A programação completa, e outras informações,  estão na página oficial do evento. Bom festival a todos!

Pela integração da Região Metropolitana

Na segunda, dia 11, o governador Pezão assinou o decreto de criação da Câmara Metropolitana de Integração Governamental do Rio de Janeiro (CIG) e do Grupo Executivo de Gestão Metropolitana, que tem como objetivo promover a integração de políticas urbanas desenvolvidas pelo Estado e pelos municípios da Região Metropolitana.

A CIG terá dois objetivos principais: a retomada do processo de governança da Região Metropolitana, a partir de assuntos de interesse comum do Governo do Estado e dos municípios; e a preparação de um projeto de lei, que será enviado à Alerj em 2015, para aprovação de uma nova legislação adequada às necessidades atuais da região.

O Grupo Executivo de Gestão Metropolitana será dirigido pelo atual subsecretário estadual de Urbanismo, Vicente Loureiro, que vai promover o desenvolvimento integrado dos municípios, com foco em áreas tão importantes como a mobilidade urbana, a segurança, o saneamento básico, o uso do solo, a saúde e a educação.

Com a criação da Câmara será lançado também um edital para a contratação de três serviços essenciais, financiados com recursos do Banco Mundial: um plano estratégico para a Região Metropolitana; um trabalho de aerofotometria (que é a cobertura fotográfica aérea para o mapeamento); e a criação de um sistema de informações geográficas que permita a gestão integrada do desenvolvimento urbano da região.

A criação da CIG é de grande importância para que os 21 municípios da Região Metropolitana possam estar integrados, dialogando e discutindo sobre ações e questões que são vitais para o desenvolvimento urbano. É imprescindível construir um modelo de governança metropolitana participativa, eficiente e moderna. Todos saem ganhando.

A segurança é para todos!

Segurança, como todos sabem, é um tema recorrente no meu blog. E uma das causas pelas quais sempre lutei. Roubos a residência, moradores que são vítimas de homens armados em veículos roubados, que rendem comerciantes e levam tudo que podem. São muitas as queixas. E esse aumento da violência e da criminalidade, que gera a sensação de insegurança, muito nos preocupa.

Eu acredito que essa sensação de insegurança é um problema de todos, e que pode ser resolvido com a participação de todos. Acredito na mobilização. Foi assim que conseguimos implantar o policiamento comunitário, que ganhou força sendo incluído no programa de governo do Pezão. E foi assim também com o VIP (Vizinhos Integrados à Polícia). Uma iniciativa já utilizada na Região Oceânica, e conhecida em muitos bairros de Niterói.

A boa notícia é que o VIP vai ser implantado, agora, em São Francisco, na Zona Sul. O policiamento vai ser reforçado no bairro por meio de um “selo de segurança” fixado nas residências, com o qual os moradores poderão integrar a política de segurança. Medidas simples como um telefonema, por exemplo, podem fazer toda a diferença. O VIP deu certo na Região Oceânica com resultados muito positivos. E tem tudo para também dar certo agora.

A segurança pública, entretanto, deve ser pensada como macro. Em 32 anos, esta é a primeira vez que o Rio tem a taxa de homicídios menor que a do Brasil, de acordo com um estudo da Casa Fluminense. Esse estudo, ainda inédito, faz parte de um projeto muito maior que se propõe a pensar os problemas que mais afligem a população. E, por isso, é preciso pensar em uma política de segurança para todos, sem exceção.

Uma política de segurança, por exemplo, como a que vai beneficiar São Gonçalo com a chegada de 250 homens que vão somar no efetivo do 7º Batalhão da Polícia Militar (BPM) e mais 70 novas viaturas. São Gonçalo vive um grande desafio. Tem o dobro da população e a metade do efetivo de Niterói. Esse reforço vai trazer um aumento de 670 homens que hoje atuam na segurança da cidade, para 920 homens.

E, a curto prazo, existe ainda a possibilidade de que uma das Companhias Destacadas recém inauguradas em São Gonçalo tenha seu efetivo reforçado, além da implantação de uma terceira unidade. É assim, intensificando ações de segurança, que teremos garantido o nosso maior bem comum: a tranquilidade de estarmos seguros. Seja com o retorno do policiamento comunitário e a ampliação do VIP, ou o reforço do efetivo do 7º BPM, todas são iniciativas de grande ganho para o nosso estado. A insegurança é um problema de todos. E a solução é para todos!