O Brasil de Darcy Ribeiro

O Brasil de Darcy Ribeiro é um documentário muito bacana produzido pela TV Brasil, com direção de Ana Maria Magalhães. O trabalho mostra as diversas facetas deste grande cidadão brasileiro que, através da incessante busca pelo conhecimento, se tornou um dos principais atores da construção da identidade nacional. Também graças a ele, acabei me tornando político.

Uma das características marcantes de Darcy foi a sua facilidade em várias áreas de conhecimento. Como antropólogo e etnólogo indigenista, desbravou nosso país como nenhum outro, vivendo nas aldeias indígenas do Pantanal e da Amazônia por mais de dez anos. Como educador, Darcy doou o que possuía de mais belo para o nosso país. Investiu contra o analfabetismo e lutou pela reforma universitária. Queria construir um novo Brasil para as futuras gerações através da educação.

Além de antropólogo e educador, Darcy era um “fazedor”, como ele mesmo se definia. Como político, lutou pelos mais necessitados e pela construção de um país mais justo e desenvolvido. Foi um dos grandes responsáveis pela concepção dos CIEPs. Tinha certeza que através da educação contínua e de qualidade, poderíamos ter uma nova geração de cidadãos conscientes e engajados. Durante sua vida pública, Darcy foi ministro da Educação e ministro-chefe da Casa Civil do governo João Goulart. No exílio, foi assessor de Salvador Allende. Ao retornar ao Brasil, foi vice-governador do Rio de Janeiro em 1982, secretário de Cultura e coordenador do Programa Especial de Educação, no governo Leonel Brizola. Também foi senador da República de 1991 até sua morte, em 1997.

Darcy nos inspira até hoje por seu legado e preocupação constante com um Brasil igual para todos. Assistam o documentário e conheçam mais sobre a vida desse grande brasileiro: http://tvbrasil.ebc.com.br/o-brasil-de-darcy-ribeiro

Dia Nacional da Saúde

Hoje é o Dia Nacional da Saúde. Essa data tem que ser comemorada, sim. Quando fui convidado, no início do ano, pelo governador Pezão para assumir a Secretaria de Estado de Saúde, sabia que não seria fácil. Mas sou movido a desafios. Aceitei o convite, pois tive a certeza de que poderia ajudar as pessoas. É isso o que me fortalece e me enche de orgulho.

A crise financeira está aí e não é um problema exclusivo do nosso estado. Enfrentamos um momento econômico difícil. Mas mesmo com esse cenário nacional, não paramos serviços, nem fechamos unidades. Há duas semanas escrevi aqui os avanços da saúde em nosso estado em 2015, os quais eu gostaria de ratificar. Inauguramos, só neste ano, três Clínicas da Família, com capacidade para fazer 36 mil atendimentos por mês.

As 58 UPAs acabam de registrar mais um recorde, com 29 milhões de atendimentos, 24 milhões de exames realizados, 1,2 milhão de atendimentos odontológicos e 191 milhões de medicamentos distribuídos à população. Em 2007, antes das UPAs, os hospitais de emergência faziam, juntos, cerca de 2,5 mil atendimentos por dia. Atualmente, graças ao aumento da nossa capacidade, são realizados cerca de 20 mil atendimentos, diariamente, nas UPAs e emergências hospitalares.

O Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, de suma importância para a Região Metropolitana II, acaba de completar 70 anos, com a marca de 55 mil partos em sua história. Somente este ano, mais de 350 mil atendimentos já foram feitos por lá, um crescimento de cerca de 70% em relação ao ano passado. Prova que estamos avançando. A unidade conta com funcionários que dedicaram mais de 30 anos de suas vidas ao atendimento dos que ali procuram assistência médica.

Com os avanços que vêm sendo solidificados nos últimos anos, o Rio passou a ocupar o segundo lugar do país no ranking da doação de órgãos. Os serviços móveis de imagem (como tomografia, ressonância e mamografia) têm ajudado os municípios a economizar mais de R$ 42 milhões. Acabamos de expandir o número de leitos de UTI, credenciando mais 250 leitos, além da Reuni (central de regulação), que foi o pontapé inicial para a integração de serviços estaduais, federais e municipais, ampliando o acesso da população à saúde pública. Esses investimentos não podem e não vão parar. Trabalhar para implementar um programa de gestão eficiente nas unidades da rede estadual de Saúde é meu grande objetivo. Quero deixar claro para você, que sempre me acompanha aqui, que o compromisso que assumi foi com a saúde e o bem-estar da população.