A primeira das nove novas barcas

Em março do ano passado, publiquei aqui um artigo sobre um importante investimento do Governo do Estado para somar na mobilidade. Falava da aquisição de nove novas barcas. Sete delas estão sendo construídas pela empresa China Shipping Group, e as outras são do estaleiro cearense Inace.

A boa notícia é que a primeira desse lote nacional já passou pelo primeiro teste no mar e caminha para a finalização da montagem. Com 70% da sua estrutura pronta, ela deve entrar em circulação em março do ano que vem.

A segunda fabricada no Brasil também está em fase de montagem, com previsão de entrega para agosto de 2015. As duas vão atender passageiros no trajeto Mangaratiba-Ilha Grande-Angra dos Reis. Modernas e mais confortáveis, as duas embarcações nacionais beneficiarão mil passageiros por hora.

Entre as sete da produção chinesa, a primeira deve chegar ao Rio no fim do ano, reforçando a linha Praça XV-Araribóia. Com capacidade para transportar 2 mil passageiros cada uma, elas terão ar-condicionado, janelas panorâmicas e dois andares: um destinado ao embarque e outro, ao desembarque. E mais: idosos e deficientes vão contar com entradas especiais nas laterais.

E em 2015, confirmando o prazo previsto para a entrega, todas as nove embarcações estarão integradas à frota da CCR Barcas. Estamos falando de um investimento da ordem de R$ 273 milhões, que possibilitará dobrar a quantidade de passageiros transportados nos horários de pico em cada sentido, saltando de 12,8 mil para 24 mil passageiros.

Em um segundo momento, serão adquiridos da China mais quatro novos catamarãs para integrar as linhas de Paquetá e Cocotá, cada um deles com capacidade para 500 lugares. Para o Governo, a parceria com a China é muito importante, uma vez que nas concorrências públicas o país oferece mais qualidade, preço e prazo. Além disso, essas embarcações são 70% mais eficientes energeticamente. Um exemplo é um dos modelos movido a gás, o que reduz a poluição a zero. Essa nova aquisição é parte de uma série de investimentos em curso no sistema, assim como a modernização e ampliação das estações de embarque, processo já bastante avançado.

Essas novidades visam solucionar alguns dos problemas que mais afligem os passageiros, como a superlotação das embarcações e a demora no tempo de espera entre as travessias, principalmente nas horas de maior movimento. O transporte por barcas é a melhor alternativa para quem precisa transitar entre Rio e Niterói. E como usuário das barcas, também espero por melhorias.

Postado em Mobilidade Urbana e tageado com , , por Felipe Peixoto. Favorite o link.

Sobre Felipe Peixoto

Sou Felipe Peixoto, niteroiense com muito orgulho, casado com Graziela, pai de Clara e Mariana e vice-presidente do PSB. Tenho 40 anos, todos eles vividos em Niterói. Minha paixão pela política vem desde a infância. Comecei bem cedo, aos 9 anos, instalando na garagem da minha casa, no Pé Pequeno, em Niterói, um comitê mirim para a campanha de Darcy Ribeiro a governador do Estado do Rio em 1986. Adquiri muitas experiências ao longo desses 30 anos, 18 deles dedicados ao serviço público, e todos essenciais para o meu amadurecimento e preparo para seguir firme, adiante, na luta em defesa por melhorias da qualidade de vida da população. Conheça mais sobre minha trajetória no meu site: www.felipepeixoto.com.br. Acompanhe lá detalhes das leis que apresentei na Assembleia Legislativa do Estado do Rio e na Câmara Municipal de Niterói, cidade onde nasci, sempre vivi e escolhi para continuar com minha caminhada, servindo ao povo e criando minhas filhas.

2 comentários em “A primeira das nove novas barcas

  1. Será que um dia teremos barcas de Charitas a preços populares? Com a conclusão do túnel Charitas-Cafubá , as pessoas vão passar por esse túnel para ir ao centro de Niterói , isso não vai resolver o problema , apenas uma pequena parte dele, com a barca de Charitas a preços populares praticamente toda a população da região oceânica e da região do Largo da Batalha, que trabalha no centro do Rio usara essa barca , inclusive as pessoas que vão ao trabalho de carro pela ponte , isso sim seria bom para população.

  2. Melhorando sem dúvida mas falta fazer o óbvio: metrô ligando Rio e Niterói.

    Por exemplo em Portugal, as cidades de Porto e Vila Nova de Gaia, que são muito menores, possuem 2 pontes e 1 metrô ligando ambas..

    Como pode Rio e Niterói estarem ligadas por apenas uma ponte e barcas. Anos e anos parado no tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>