Sobre Felipe Peixoto

Sou niteroiense com muito orgulho, casado com Graziela, pai de Clara e Mariana e presidente do PSB em minha cidade. Tenho 39 anos, todos eles vividos em Niterói. Minha paixão pela política vem desde a infância. Comecei bem cedo, aos 9 anos, instalando na garagem da minha casa, no Pé Pequeno, em Niterói, um comitê mirim para a campanha de Darcy Ribeiro a governador do Estado do Rio em 1986. Adquiri muitas experiências ao longo desses 30 anos, 18 deles dedicados ao serviço público, e todos essenciais para o meu amadurecimento e preparo para seguir firme, adiante, na luta em defesa por melhorias da qualidade de vida da população. Conheça mais sobre minha trajetória no meu site: www.felipepeixoto.com.br. Acompanhe lá detalhes das leis que apresentei na Assembleia Legislativa do Estado do Rio e na Câmara Municipal de Niterói, cidade onde nasci, sempre vivi e escolhi para continuar com minha caminhada, servindo ao povo e criando minhas filhas.

Uma análise sobre a reforma da previdência

Eu não poderia passar imune à discussão da reforma previdenciária. Antes de mais nada, vale destacar que a previdência compõe um amplo sistema de garantias de direitos – surgido das lutas populares que conduziram à Constituição Cidadã de 1988 – e que contemplam pilares, como a saúde pública, a assistência e a previdência social. E tais direitos não podem ser simplesmente apartados da vida dos brasileiros de forma tão precipitada, como fez o governo federal ao anunciar sua proposta de reforma.

Para termos uma ideia, só o INSS paga, atualmente, 33,7 milhões de benefícios, entre eles, 4,5 milhões de aposentadorias a idosos e pessoas com deficiência. E são garantidas cerca de 24 milhões de aposentadorias urbanas e nove milhões de aposentadorias rurais. Sem dúvidas, esta é a mais importante conquista social do período democrático brasileiro. 

É sabido que o Sistema de Seguridade Social sempre foi objeto de resistência por parte dos segmentos mais conservadores da sociedade, sob o argumento de que tal sistema seria oneroso demais para o país e incompatível com o equilíbrio orçamentário em âmbito nacional. Entretanto, esse mesmo sistema tem fontes de financiamento próprias, que nos últimos governos têm sido gravadas pelo mecanismo de Desvinculação de Receitas da União (DRU), que atinge 30% das receitas nas três esferas de governo. 

Minha opinião é semelhante a do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, sobre a necessidade da reforma, mas em termos diferentes dos até aqui propostos pelo governo, de forma a preservar e respeitar os direitos dos brasileiros. Por isso, vem solicitando um prazo maior para a correta apreciação da proposta de mudança. Como contribuição, o partido decidiu desenvolver um projeto alternativo, concebido na forma adequada ao trâmite legislativo, e coerente com a percepção da necessidade da reforma, contribuindo também com a superação da grave crise que assola o país. 

Nos últimos meses, presenciamos nas ruas as mais diversas formas de manifestação contra a reforma da previdência. E diversos órgãos, como a OAB  e a CNBB se posicionaram em caráter de oposição. A discussão também tomou conta das redes e sempre está em destaque na mídia impressa e na TV. Quem acompanha minha trajetória sabe que defendo os direitos dos cidadãos. Assim como luto por um sistema político ético e transparente. Acima de tudo, não se pode esquecer que a seguridade social é uma obrigação constitucional do Estado brasileiro. Uma grande conquista que é fruto da democracia. E que promoveu a justiça social depois de longos anos de exclusão. 

Eu digo não à violência contra a mulher

O relato da figurinista Su Tonani, da TV Globo, sobre ter sido assediada sexualmente pelo ator José Mayer e o suposto caso de agressão envolvendo um casal de participantes do programa Big Brother Brasil inflamaram, na mídia e na sociedade, a discussão sobre o fim do assédio e da violência contra a mulher. Embora muitos avanços tenham sido alcançados com a Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006), ainda assim, vivemos, hoje, a triste realidade de muitas mulheres que são vítimas de seus parceiros.

Recentemente, o enfrentamento à violência da mulher foi debatido na terceira edição do Brazil Conference, na Universidade de Harvard. Os números apresentados impressionam: por dia, no Brasil, 503 mulheres sofrem violência física, 13 são assassinadas em média e a cada 11 minutos uma mulher é estuprada. E o agressor, quase sempre, é um conhecido (61% dos casos). Em 19% das vezes, são companheiros atuais das vítimas e, em 16%, ex-companheiros.

Outro número igualmente alarmante aponta o levantamento do Datafolha: 40% das mulheres acima de 16 anos sofreram algum tipo de assédio, desde comentários desrespeitosos nas ruas (20,4 milhões de vítimas), assédio físico em transporte público (5,2 milhões) e ou ser beijada ou agarrada sem consentimento (2,2 milhões). Ainda conforme o estudo, a sensação de 73% dos brasileiros é de que, infelizmente, a violência contra a mulher aumentou ainda mais na última década.

Eu digo não à violência contra a mulher. Digo não a qualquer tipo de assédio e violência. Toda atitude que possa ferir a dignidade das mulheres deve ser combatida e enfrentada com rigor. A Lei Maria da Penha é a principal legislação brasileira para defrontar a violência contra a mulher – reconhecida pela ONU como uma das três melhores legislações do mundo no enfrentamento à violência do gênero. Além dela, existe a Lei do Feminicídio, sancionada em 2015.

Tão importante quanto ter leis é fazer valê-las. E mais importante ainda é o ato de denunciar a agressão sofrida. No Brasil, existe o Disque 180, um canal de atendimento à mulher vítima de agressão, criado pela Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM), e que funciona 24 horas por dia, todos os dias, inclusive aos finais de semana. No entanto, as estatísticas mostram que o número de mulheres que denunciam a agressão que sofreram ainda está abaixo do esperado.

A violência contra a mulher independe de classe social e todos nós devemos atuar juntos no combate a este crime. Nenhum tipo de agressão deve ser tolerado. E somente ações eficazes de todos os pilares da sociedade podem amenizar o problema. Segundo levantamento realizado pelo Movimento Nacional dos Direitos Humanos, em 2015, a maioria das mulheres foi assassinada por homens que as privavam de sua intimidade. É preciso dar um basta. Definitivamente.

Um ano de PSB e grandes desafios pela frente

Quero aproveitar este espaço do blog para compartilhar com vocês um momento muito especial em minha vida: hoje completo um ano no PSB, partido que me recebeu de braços abertos, pelo qual sigo na minha trajetória de lutar por uma Niterói melhor para todos.

Pelo PSB desenvolvemos programas, como a Agenda 40 – que teve a participação da sociedade trazendo suas ideias e debatendo em grupo – num modelo de gestão participativa que levamos para a campanha que disputei em 2016.

Estamos unidos em um só objetivo: construir um cenário positivo para Niterói.

Há poucos dias, abrimos as portas do novo diretório do PSB em Niterói, um espaço aberto para receber a população que quiser saber mais sobre o partido e, mais do que isso, discutir ações e projetos para a nossa cidade.

E teremos ainda grandes ações e projetos pela frente. Um deles é a criação de um núcleo de acompanhamento e fiscalização das ações municipais do atual governo. O intuito é, justamente, acompanhar de perto e cobrar respostas e soluções, sempre que necessário.

Os desafios, certamente, serão muitos. Mas, tenho certeza, que estou no caminho certo. O PSB defende as bandeiras pelas quais sempre lutei, e estou muito feliz pela minha escolha. Tenho metas, sonhos e planos, e é fundamental planejar cada passo para alcançá-los. Que venham muitos anos mais!

Barcas: nova concessionária, velhos problemas

Esta semana, o secretário de Estado de Transportes, Rodrigo Oliveira, apresentou, na Associação Comercial e Industrial, no Centro, o modelo de licitação para nova concessão das barcas, uma vez que a atual concessionária, a CCR, entrou com ação para rescisão do contrato, alegando problemas financeiros. É fato que o transporte por barcas sempre foi a melhor opção para quem precisa transitar entre Rio e Niterói. Mas, até certo ponto, as dificuldades encontradas – filas intermináveis, atrasos e superlotação – superam os benefícios.

A empresa que assumir a administração do sistema aquaviário terá desafios pela frente. Sobretudo, lidar com a insatisfação dos passageiros, uma vez que foi anunciado pelo Governo do Estado o fim da tarifa social das barcas. O desconto do Bilhete Único gera um abatimento em duas passagens por dia para os usuários. Que faz muita diferença no bolso. Mas, bem verdade, é que esse benefício vem sendo reduzido ano a ano: caiu de R$ 1,70, em 2014, para atuais R$ 0,90 sobre o valor da passagem, que custa R$ 5,90. 

Outro ponto abordado foi a negativa da implantação do catamarã social em Charitas. A justificativa é a demanda mínima de usuários. Seriam necessários 40 mil passageiros para justificar a implantação da tarifa social nesta linha, segundo estudos da Fundação Getulio Vargas (FGV). Hoje, o bilhete Charitas-Praça XV custa R$ 16,50 (sem regulamentação) e as embarcações não operam das 12h às 16h. 

Entre as minhas reivindicações, está justamente a importância de termos este período de tempo também operante. Assim como o retorno dos horários noturnos na linha Arariboia-Praça XV. Sem esquecer, claro, da necessidade de um estudo de viabilidade para implantação de uma linha ligando Niterói à Zona Sul do Rio. 

Vale destacar que empréstimo de R$ 330 milhões do Governo do Estado com o Banco do Brasil para a aquisição de nove novas embarcações e a ampliação das estações da Praça XV e Arariboia também foi alvo de questionamentos. Essas obras não foram realizadas e somente quatro dessas barcas chegaram ao Rio. Que, ainda assim, operam com tempo de viagem aumentado e com custo operacional maior do que as embarcações antigas. 

Durante o encontro, falou-se também das exigências que deverão ser cumpridas pela nova concessionária. O período de operação da empresa vencedora deverá ser de 20 anos. E, de acordo com a Secretaria de Estado de Transportes (Setrans), no prazo de um ano, deverão ser apresentados estudos de viabilidade para implantação da tão esperada linha Praça XV-São Gonçalo, e outra ligando os aeroportos Santos Dumont e Galeão. Certamente serão cobrados pela população. 

Quem acompanha minha trajetória sabe que defendo melhorias no funcionamento das barcas, principalmente, por também ser usuário do sistema. E, mais do que isso, luto por melhorias na mobilidade urbana, tema recorrente em minhas discussões. Até que a licitação esteja concluída e a nova empresa assuma a gestão das barcas, ficará a expectativa por um serviço operacional prestado com mais fluidez e conforto para seus passageiros, apesar das mudanças anunciadas. Ficarei atento e vou acompanhar de perto todo o processo, cumprindo meu papel de cidadão. 

Obrigado por tudo!

Mais de 92 mil pessoas expressaram neste domingo o desejo real de mudar Niterói, confirmando nas urnas o 40. Além dos familiares, minha base para prosseguir firme e forte, nelas estão os muitos amigos que fiz em meus 39 anos de vida, 30 deles dedicados à militância. Há também os que chamo de irmãos de caminhada, aqueles que se juntaram a nós e seguem reforçando o meu propósito de lutar por uma cidade melhor. Entre eles encontramos o nosso vice Antônio Rayol que nos enriqueceu com a sua parceria; os candidatos a vereador que estiveram lado a lado conosco; e muitos outros políticos e personalidades que apostaram na nossa empreitada pela Prefeitura.

Uma empreitada que começou em março desse ano, quando fui acolhido pelo PSB, partido que abracei com garra e muito trabalho para devolver sua importância no cenário político de Niterói. E conseguimos! Em menos de cinco meses conquistamos o apoio de outras dez legendas, reunidas na nossa coligação Cidade Limpa. Com ela vivemos intensamente os últimos três meses de mobilização nas ruas, na internet e demais redes sociais, mostrando a nossa disposição e vontade de transformar Niterói em uma Cidade realmente Limpa. Com ela vamos seguir em busca do sonho de ver Niterói de novo segura, sem corrupção e com paz! Exatamente como definimos a nossa #CidadeLimpa. Sem dúvida, objetivos muito maiores do que uma campanha.

E seguimos rumo à mudança que se faz urgente, pois é lamentável ver 148.280 pessoas votando branco, nulo ou se abstendo, simplesmente mais de 15% dos votos que reelegeram a atual administração. Isso não só revela a insatisfação generalizada com a política e com a organização da nossa democracia, como demonstra que a população está mais atenta e contra a falsas promessas. Por isso, vamos prosseguir cumprindo com o nosso dever de fiscalizar e defender a nossa cidade.

Agradeço a todos que confiaram e certamente confiam no nosso ideal de cidade, reunido no Programa de Governo colaborativo que construímos com a população e apresentamos na campanha limpa, forte e linda que fizemos. Levarei para sempre em minhas lembranças cada abraço, cada palavra de apoio, todo o carinho recebido, prova de que valeu a pena o enorme desafio que enfrentamos e nos faz sentir vitoriosos. Afinal, foi uma campanha na sola do sapato, sem dinheiro e sem o apoio dos caciques da política.

E assim continuamos trabalhando por uma Niterói melhor, acompanhando e cobrando para que os projetos não fiquem só no papel. E mais: lutando por uma Niterói com as crianças na escola, atendimento básico de saúde e projetos de mobilidade diferenciados. Uma cidade onde o povo se orgulhe verdadeiramente de viver.

Um forte abraço,
Felipe Peixoto!

Juntos em mais uma campanha!

Começa nesta terça-feira, 16 de agosto, mais uma campanha, e com ela novos desafios pela frente. Mas quem me conhece sabe que garra e disposição não me faltam para encará-los. Quem esteve comigo na convenção partidária que lotou a Câmara Municipal no início do mês pôde compartilhar um dos momentos mais especiais da minha vida desde que cheguei ao PSB. Estou pronto para concorrer à prefeitura de Niterói com toda fibra, e sei que temos grandes chances de vitória. Precisamos dar um novo rumo a esta política obscura instaurada, e a hora é essa!

Nossa cidade vive hoje um momento delicado, administrada por um prefeito que age contra os reais interesses do povo. A minha proposta é fazer política de forma ética e transparente, como sempre foi por onde passei em todos esses anos de vida pública. Para isso, conversamos muito com a população. Percorri cada canto, cada bairro de Niterói, ouvindo e discutindo os problemas com os moradores.

Realizamos também dezenas de reuniões com os mais diversos segmentos de nossa cidade, resultando em centenas de ideias e sugestões debatidas em grupo e incluídas em nosso programa de governo. É esse o modelo de gestão colaborativa que quero estabelecer, entendendo que não há melhor forma de governar se não com a participação de todos.

Quem concorre comigo como vice-prefeito é o delegado de Polícia Federal Antônio Rayol, do PSDB, figura que corrobora ainda mais com o programa de governo limpo e reto que estamos construindo para Niterói. Nossa aliança “Cidade Limpa” reúne 128 candidatos a vereador de 11 legendas: PSB, PHS (que caminha conosco na proporcional), PSDB, PTdoB, PSDC, PTC, PPL, PMN, PSD, PROS e o PSC, juntos na majoritária. Estamos todos unidos em um só objetivo: um cenário positivo para Niterói. Queremos um mandato baseado na austeridade fiscal, com enxugamento da máquina pública e sem nos descuidarmos das políticas sociais e do resgate da qualidade de vida.

Muitos sabem o quanto venho me empenhando para construir essa mudança e devolver a qualidade de vida a Niterói. Para marcar o início desta campanha, não poderia deixar de anunciá-la aqui no meu blog, espaço que mantenho há anos como mais um canal de diálogo com a população e pelo qual tenho tanto carinho. Conto com vocês em mais este desafio. Vou a campo firme, fortalecido pelo conhecimento que adquiri em 30 anos de militância política. Sem dúvida, experiências fundamentais para meu amadurecimento e que me habilitam a administrar um município do porte de Niterói, que foi capital do estado, mas acabou perdendo sua identidade, seus valores e marcas.

Vamos com tudo rumo à vitória nas urnas. Uma vitória que não será só minha, mas de todos os que apoiam, lutam e desejam uma cidade com mais qualidade de vida, da qual possamos de novo nos orgulhar. Niterói pode, sim, ter um futuro melhor. E esse futuro começa agora.

Minha eterna gratidão

Há quase meio século, em momentos de profunda crise política e ideológica vivida por nosso país, dona Lúcia Gonçalves e marido Dalton, dois grandes educadores, foram irreverentes contra o poder hegemônico da época, semeando com ousadia e muita determinação um diferencial no segmento da educação: a querida Aldeia Curumim. No último dia 14, dona Lúcia nos deixou fisicamente, indo provavelmente se juntar ao seu Dalton que partiu primeiro…

Com toda a sua sabedoria, dona Lúcia nos deixa um rico legado de coragem, inovação e determinação. Sem dúvida, seu projeto uniu muitas vidas e uma família inteira a outras tantas famílias e vidas, todos juntos enraizados para alimentar o sonho de tantas crianças que buscavam ser únicos, saboreando conhecimentos com liberdade, responsabilidade e alegria, alinhados ao convívio da natureza que se fez viva dentro de cada um.

Dona Lúcia incentivava que se olhasse fundo nos olhos dos alunos, percebendo cada alma para se conhecer os seus sonhos e suas necessidades, desvelando suas grandes potencialidades em um clima humanitário de muita solidariedade. Uma prática educativa ancorada em estudiosos do ser humano, como Maria Montessori, Jean Piaget e Paulo Freire. Como uma grande árvore, a Aldeia foi acolhendo amorosamente muitos corações ávidos de escuta e partilhas sinceras, como o meu.

Na Aldeia, aprendemos a viver na integralidade, a ser cidadãos éticos e sensíveis, a agirmos de forma política e participativa, respeitando cada um em sua diferença. Éramos alertados para isso o tempo todo, até mesmo nas pequenas caminhadas, quando nos convidavam a observar atentamente a fila de formigas trabalhadeiras em sua longa trajetória. Muito bom aprender assim, tendo responsabilidades com tudo ao nosso redor e entendendo o real sentido da própria vida. À dona Lúcia, vencedora no seu projeto de vida, a minha eterna gratidão.

Decisão difícil e novos caminhos

Em março deste ano, tomei uma das decisões mais difíceis da minha vida: sair do PDT, partido com o qual me identifiquei ainda criança e pelo qual trabalhei nesses 30 anos de vida política. Há algum tempo já vinha divergindo da orientação do PDT, mas relutava em deixar o partido por sua história e pela afinidade com a memória de grandes líderes como Brizola, Darcy Ribeiro e João Sampaio, que já nos deixaram, e com outros que igualmente fizeram história e também mudaram de rumo, como Cristovam Buarque.
A gota d’ água para esta difícil decisão foi perceber que lideranças do PDT estavam negociando apoio ao candidato do PT em Niterói. Dito e feito: a negociação foi oficializada no último dia 7, numa bizarra reunião que selou um acordo inimaginável. Depois de quatro anos atacando e falando mal de Jorge Roberto Silveira, Rodrigo Neves é aclamado como candidato apoiado pelo PDT! Felizmente não tive que passar por este constrangimento, com a certeza do acerto da minha decisão e mais uma vez confirmando que nem sempre o caminho mais curto é o caminho correto.

No entanto, não me cabe mais fazer qualquer julgamento sobre os caminhos que o PDT quer tomar. O povo é que deve avaliar. Meu compromisso é com a população de Niterói, e honrarei este compromisso por meio do PSB, partido que tem uma bela e coerente trajetória, identificada com a justiça social e com a democracia. Partido que me acolheu com entusiasmo e me delegou a tarefa de organizá-lo em Niterói.

É por isso que trouxe para nossa cidade a Agenda Niterói, importante ferramenta do PSB que vai nos ajudar a construir um programa de governo com você e para você. Seguimos em frente acreditando numa Niterói mais humana e com gestão eficiente, com a sociedade colaborando com ideias e propostas. Esse sempre foi o meu jeito de fazer política. Na semana passada mesmo iniciamos a série de 22 encontros com diversos segmentos, tratando de temas como mobilidade, turismo e gestão em grupos de trabalho muito proveitosos.

A Agenda Niterói prossegue esta semana com reuniões que vão discutir assistência social, trabalho e renda, urbanismo e cultura. Acompanhe a programação completa em minhas redes sociais e nos nossos sites, e agende-se para participar. Não podemos permitir que práticas políticas retrógradas continuem sendo adotadas em Niterói. Venha nos ajudar a planejar a cidade dos nossos sonhos, a cidade que merecemos. Contamos com você!

 Grande abraço,

Felipe Peixoto

Agenda Niterói – Um programa de governo construído com você.

Uma gestão participativa é muito mais eficiente. Sempre acreditei e pratiquei isso. Quem me conhece sabe que por onde passo minha principal preocupação é ouvir o cidadão. Afinal, uma sociedade mais justa e igualitária é, sem dúvida, a que tem voz ativa nos rumos de um município. E agora, como pré-candidato à Prefeitura de Niterói, não seria diferente. Caminho incentivando e fortalecendo essa participação para, quando eu chegar lá, ter a certeza de que ouvi os anseios de toda Niterói, e assim de ser um legítimo representante de nossa cidade.

Para tal, defendo um programa de governo construído com você, cidadão niteroiense. Estou ouvindo representantes de cada segmento de Niterói com a atual leitura da cidade, assim como especialistas acadêmicos e também os que vivem o dia a dia da cidade e têm uma rica contribuição a dar. É com foco nessa importância que esta semana damos início à Agenda Niterói, um programa da Fundação João Mangabeira, entidade sem fins lucrativos criada pelo PSB com foco na formação política e na formulação de políticas públicas do partido.

A Agenda Niterói começa com 22 reuniões, 14 delas temáticas e oito regionais. Com o lema “Cidadania Ativa, Cidade Inclusiva”, vamos promover debates com especialistas e cidadãos niteroienses, e assim construirmos juntos as propostas para a nossa cidade. Convido você a participar da primeira dessas 22 reuniões que acontece já nesta terça-feira, dia 7, para tratar de Trânsito, Transporte e Mobilidade. Todas as ideias serão registradas e culminarão na nossa proposta de programa de governo.

Fique atento ao nosso calendário de encontros em nossos sites e redes sociais. Escolha as reuniões que possa contribuir de maneira mais enriquecedora e convide amigos e conhecidos para também colaborar com as discussões dos temas.

Calendário da primeira semana de encontros:

Espero você para juntos planejarmos uma Niterói melhor!

Grande abraço,

Felipe Peixoto.

Rumo aos 40 com muitos planos, sonhos e metas

Depois de um período ausente para reflexão e reposição de energias, estou retomando o meu blog esta semana. Estava com muita saudade de parar para escrever… Aqui posso expressar minha opinião sobre temas até mesmo fora do eixo político, em retorno do que leio e entendo como de interesse para a população. Considero o blog quase como uma válvula de escape. Como é bom estar de volta!

Minha ideia sempre foi fazer do blog um espaço aberto, democrático. Quero escrever, mas também quero ler, saber o que as pessoas pensam… Por isso, toda semana vamos debater aqui um tema diferente. Vamos falar de saúde, mobilidade, cultura, meio ambiente, segurança, educação, bandeiras pelas quais sempre lutei. Conto com sua participação comentando, trazendo ideias, sugerindo temas, interagindo.

Em 2015 vivi o maior desafio de minha vida, mas quem me conhece e acompanha minha trajetória sabe que, como sempre, me mantive firme e de cabeça erguida. E assim sigo em frente, agora voltado unicamente para minha cidade que tanto amo. Tenho sonhos, planos e metas, e quero realizá-los. Acabei de completar 39 anos e vivo um momento de muitas mudanças. Depois de 30 anos militando pelo PDT, decidi que era chegada a hora de escrever uma nova história ao lado de novos companheiros. O PSB é um partido que me acolheu de braços abertos e defende as mesmas causas que acredito e sempre defendi. Rumo aos 40, vou com mais força ainda para seguir atrás dos meus objetivos.

Tenham a certeza de que garra e disposição não me faltam. Como sabem, sou pré-candidato à Prefeitura de Niterói pelo PSB e sigo trabalhando por uma cidade melhor para todos. Recentemente, visitei o projeto Olodum Mirim, no Jacaré, na Região Oceânica, e participei da ação de plantio e preservação das espécies locais do manguezal do Parque Estadual da Serra da Tiririca, onde pude fazer o que mais gosto: ouvir. Tenho também participado de reuniões em que conversamos sobre o que desejamos e queremos para a nossa cidade.

Não poderia também deixar de aproveitar este espaço para agradecer às inúmeras mensagens de carinho e apoio que tenho recebido. Essas palavras me fortalecem e me mostram que fiz a escolha certa, que estou no caminho certo. A minha luta por uma política ética e transparente continua. Estou bastante confiante!

Um abraço,

Felipe Peixoto