Sobre Felipe Peixoto

Sou niteroiense com muito orgulho, casado com Graziela, pai de Clara e Mariana e presidente do PSB em minha cidade. Tenho 39 anos, todos eles vividos em Niterói. Minha paixão pela política vem desde a infância. Comecei bem cedo, aos 9 anos, instalando na garagem da minha casa, no Pé Pequeno, em Niterói, um comitê mirim para a campanha de Darcy Ribeiro a governador do Estado do Rio em 1986. Adquiri muitas experiências ao longo desses 30 anos, 18 deles dedicados ao serviço público, e todos essenciais para o meu amadurecimento e preparo para seguir firme, adiante, na luta em defesa por melhorias da qualidade de vida da população. Conheça mais sobre minha trajetória no meu site: www.felipepeixoto.com.br. Acompanhe lá detalhes das leis que apresentei na Assembleia Legislativa do Estado do Rio e na Câmara Municipal de Niterói, cidade onde nasci, sempre vivi e escolhi para continuar com minha caminhada, servindo ao povo e criando minhas filhas.

10 Minutos Salvam Vidas

Evitar a proliferação do Aedes aegypti é o objetivo de todos. Por isso, esta semana lançamos a campanha 10 Minutos Salvam Vidas, no Palácio Guanabara, com a presença do governador Luiz Fernando Pezão e do ministro da Saúde, Marcelo Castro. O objetivo é conscientizar a população sobre a importância de dedicar pelo menos 10 minutos da sua semana para eliminar os focos do mosquito, que além da dengue, transmite o zika vírus e a chikungunya. Convocamos todos os municípios e estamos juntos traçando planos de ação contra o Aedes. A primeira medida, já realizada, é a doação de 170 veículos para reforçar a frota dos agentes de cada cidade. Os veículos serão distribuídos da seguinte forma: cidades com população superior a 160 mil habitantes receberão 3 carros; municípios com população entre 23 mil e 160 mil habitantes ganharão 2 veículos e cidades com população inferior a 23 mil habitantes receberão 1 carro.

Também estive em Brasília reunido com secretários de saúde de outros estados, discutindo o assunto. Estamos todos trabalhando em prol de um só objetivo, que é a redução do número de casos e controle de possíveis surtos.

Mas muito além das campanhas entre governos, a participação da população é essencial. É através da conscientização que vamos conseguir vencer essa batalha. Portanto, se você me lê agora, peço a sua colaboração. Bastam 10 minutos por semana para eliminar possíveis focos do mosquito. Chame seus parentes, amigos e vizinhos e vistorie sua casa, rua, e bairro. Vamos todos juntos combater esse mal.

Doação de sangue: embarque nessa!

Todos os anos a Secretaria Estadual de Saúde promove, em parceria com o Hemorio, uma campanha pela Semana Nacional do Doador de Sangue. Essa campanha sempre me emociona porque sou doador e podemos salvar milhares de vidas com apenas um gesto. Uma tenda está na Cinelândia, no Centro do Rio, e ontem foi a abertura desse evento que é uma festa. A festa da solidariedade.

Cada uma das pessoas que se dispõe a vir doar sangue contribui diretamente para que muitas vidas sejam salvas. A verdade é que além do paciente que recebe a transfusão, o benefício desta ação é estendido aos familiares e amigos. Ou seja, a doação de sangue faz com que o bem seja multiplicado . A população do Estado do Rio está comparecendo e contribuindo muito para que os estoques de sangue, que nesta época de festas sempre ficam sempre baixos, sejam renovados. Mas é uma luta diária.

Tivemos no primeiro dia a presença de 456 voluntários. Vamos ajudar, vamos doar. O Hemorio é o responsável pelo abastecimento de sangue e derivados de cerca de 200 unidades de saúde. Antes, durante e depois da campanha, faço questão de frisar que o nosso Hemorio, que funciona na Rua Frei Caneca 8, no Centro do Rio, recebe doações diariamente, inclusive nos feriados e finais de semana, sempre das 7h às 18h. Esse é um belo gesto e vamos continuar essa corrente pelos outros 365 dias do ano.

Anime-se!

Ouvidoria Itinerante

O que a população acha dos serviços e unidades de saúde do Estado? Tem alguma queixa ou reclamação? Alguma sugestão para melhorar esse atendimento? Pois, a partir de agora, eu quero ouvir, cidadão fluminense, o que você tem a dizer para, a partir daí, melhorar o atendimento para quem precisa do serviço público de saúde.

Quem me conhece sabe que eu gosto de estar na rua, visitar hospitais e UPas. Com esse objetivo, nós criamos na Secretaria de Estado de Saúde a Ouvidoria Itinerante. Primeiro, estive na Central do Brasil lançando o projeto. Depois em Nova Iguaçu. Hoje, fui a São Gonçalo e, em breve, estarei em Niterói. Vamos percorrer todas as regiões do nosso Estado com esse objetivo: aproximar a secretaria de Saúde da população e melhorar nosso atendimento. Por isso, a sua participação é fundamental para sabermos onde está o erro e o que precisa melhorar.

Para mostrar como levo essa parceria a sério, porque acredito na gestão participativa e no olho no olho, já fizemos 180 atendimentos e resolvemos 85% dos problemas relacionados diretamente à Secretaria de Estado de Saúde (SES) e 49% para aquelas demandas que envolvem o Sistema Único de Saúde (SUS) nos municípios.

Eu garanto que tudo será encaminhado aos setores responsáveis para resolvermos os problemas. Contamos com uma equipe de profissionais competentes que vai atender a população sempre das 9h às 15h numa van criada especialmente para isso. Fique ligado porque, em breve, a Ouvidoria Itinerante estará na sua cidade. Participe com suas críticas e sugestões!

Forte abraço

Novo recorde no número de exames feitos pelas unidades móveis de diagnóstico por imagem do Governo do Estado

Falar de números positivos que refletem os avanços na área da saúde, me deixa muito feliz. Dessa vez, gostaria de compartilhar com vocês esta excelente notícia: as unidades móveis de diagnóstico por imagem do Governo do Estado estão perto de registrar a marca recorde de 200 mil exames em seus seis anos de funcionamento. Isso é fantástico! Sempre acreditamos que o mais importante é prover o acesso à saúde pública de qualidade. Não é porque é público que tem que ser ruim. Muito pelo contrário! Se é público, tem que ser bom! E esse lema é levado a sério na minha gestão. Essas unidades itinerantes percorrem todo o estado, possibilitando que todos tenham acesso à medicina preventiva e ao diagnóstico por imagem. Atualmente, a frota conta com dois tomógrafos, uma ressonância magnética e um mamógrafo móvel, reunindo investimentos de R$ 13,4 milhões. A marca de 200 mil exames, que será alcançada nas próximas semanas, é inédita no país.

Além das unidades móveis, a população fluminense ganhará em breve, o Rio Imagem II, que está sendo erguido em Niterói, e atenderá toda a Região Metropolitana e interior. Ele funcionará nos moldes do Rio Imagem I, localizado no Centro do Rio, e contará com uma moderna infraestrutura e equipamentos de ponta. E o melhor: será totalmente gratuito.

Outra prioridade, no momento, é aumentar a cobertura de atenção básica nos municípios. E temos conseguido, através das Clínicas da Família. São 18 unidades espalhadas por vários municípios do estado. Nela, o cidadão recebe acompanhamento médico contínuo, próximo da sua casa e com profissionais especializados em saúde da família. É por meio delas que acontecem os diagnósticos precoces e tratamentos crônicos, evitando o agravamento das doenças e diminuindo assim o tempo de espera nas emergências hospitalares.

Sabemos que ainda há muito por fazer, pois nosso objetivo é a excelência. Buscamos sempre o melhor para garantir o bem-estar da população e isso não vai parar. É isso que nos motiva a continuar nesse desafio. Quando recebi o convite para assumir a Secretaria de Estado de Saúde, tive a certeza de que é possível levar saúde pública de qualidade a todos do nosso estado. Este é e continuará sendo meu principal objetivo: saúde acessível, gratuita e de qualidade.

Conferência Estadual de Saúde

Amigos, hoje quero abordar com vocês a importância do diálogo entre sociedade civil e governos. Um bom exemplo disso foi a 7ª Conferência Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, que aconteceu entre os dias 1º e 4 de outubro, no Maracanãzinho, com a presença de mais de 1000 pessoas. O evento, que contou com palestras, debates e rodadas de conversas, culminou na formulação de diretrizes e propostas que serão levadas à 15ª Conferência Nacional de Saúde, que ocorrerá em dezembro, em Brasília. Todas essas definições são resultados de discussões iniciadas nos conselhos municipais de saúde de diversos municípios.

Em quatro dias de muito debate, as propostas e diretrizes foram aprovadas com mais de 70% de adesão dos presentes. Para a Conferência Nacional, foram aprovadas 7 diretrizes e 35 propostas; além disso, 13 diretrizes e aproximadamente 32 propostas aprovadas serão incorporadas ao Plano Estadual de Saúde do Rio de Janeiro. Tenho absoluta certeza de que as propostas deste encontro serão essenciais para consolidar um sistema de saúde cada vez mais aperfeiçoado e acessível. É assim que se constrói um SUS forte, com uma gestão participativa.

UPAs: 30 milhões de atendimentos

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) são uma revolução no atendimento médico do estado e do país. Na última quarta-feira (09/09), essas unidades atingiram a marca de 30 milhões de atendimentos. Só para se ter uma ideia, esse número é equivalente às populações de países como Nepal, Peru e Malásia. Ao todo, já foram distribuídos mais de 200 milhões de medicamentos e realizados quase 25 milhões de exames. Conseguimos aumentar nossa capacidade de atendimento nas unidades, com apenas 0,5% dos casos necessitando de transferência. É um motivo de orgulho para o estado do Rio ter criado um modelo de atendimento que cresceu pelo país e foi levado até para a Argentina.

Quando o projeto foi iniciado, há oito anos, nossa prioridade era diminuir a demanda nas emergências dos hospitais, com as UPAs ficando responsáveis por atendimentos de baixa e média complexidades. Os hospitais estaduais de emergência realizavam, juntos, 2,5 mil atendimentos por dia. Hoje, contando com o funcionamento das UPAs, o número saltou para 20 mil em toda a rede. De todos os casos atendidos nas UPAs, 99,5% são resolvidos nas próprias unidades.

Fico muito feliz de ver esses resultados. Isso é um indicador que estamos no caminho certo. Tenham a certeza que o trabalho não para por aqui. Estamos trabalhando cada vez mais para ampliar esses números. Nosso objetivo é tornar esse modelo de atendimento ainda mais acessível para todos.

O Brasil de Darcy Ribeiro

O Brasil de Darcy Ribeiro é um documentário muito bacana produzido pela TV Brasil, com direção de Ana Maria Magalhães. O trabalho mostra as diversas facetas deste grande cidadão brasileiro que, através da incessante busca pelo conhecimento, se tornou um dos principais atores da construção da identidade nacional. Também graças a ele, acabei me tornando político.

Uma das características marcantes de Darcy foi a sua facilidade em várias áreas de conhecimento. Como antropólogo e etnólogo indigenista, desbravou nosso país como nenhum outro, vivendo nas aldeias indígenas do Pantanal e da Amazônia por mais de dez anos. Como educador, Darcy doou o que possuía de mais belo para o nosso país. Investiu contra o analfabetismo e lutou pela reforma universitária. Queria construir um novo Brasil para as futuras gerações através da educação.

Além de antropólogo e educador, Darcy era um “fazedor”, como ele mesmo se definia. Como político, lutou pelos mais necessitados e pela construção de um país mais justo e desenvolvido. Foi um dos grandes responsáveis pela concepção dos CIEPs. Tinha certeza que através da educação contínua e de qualidade, poderíamos ter uma nova geração de cidadãos conscientes e engajados. Durante sua vida pública, Darcy foi ministro da Educação e ministro-chefe da Casa Civil do governo João Goulart. No exílio, foi assessor de Salvador Allende. Ao retornar ao Brasil, foi vice-governador do Rio de Janeiro em 1982, secretário de Cultura e coordenador do Programa Especial de Educação, no governo Leonel Brizola. Também foi senador da República de 1991 até sua morte, em 1997.

Darcy nos inspira até hoje por seu legado e preocupação constante com um Brasil igual para todos. Assistam o documentário e conheçam mais sobre a vida desse grande brasileiro: http://tvbrasil.ebc.com.br/o-brasil-de-darcy-ribeiro

Dia Nacional da Saúde

Hoje é o Dia Nacional da Saúde. Essa data tem que ser comemorada, sim. Quando fui convidado, no início do ano, pelo governador Pezão para assumir a Secretaria de Estado de Saúde, sabia que não seria fácil. Mas sou movido a desafios. Aceitei o convite, pois tive a certeza de que poderia ajudar as pessoas. É isso o que me fortalece e me enche de orgulho.

A crise financeira está aí e não é um problema exclusivo do nosso estado. Enfrentamos um momento econômico difícil. Mas mesmo com esse cenário nacional, não paramos serviços, nem fechamos unidades. Há duas semanas escrevi aqui os avanços da saúde em nosso estado em 2015, os quais eu gostaria de ratificar. Inauguramos, só neste ano, três Clínicas da Família, com capacidade para fazer 36 mil atendimentos por mês.

As 58 UPAs acabam de registrar mais um recorde, com 29 milhões de atendimentos, 24 milhões de exames realizados, 1,2 milhão de atendimentos odontológicos e 191 milhões de medicamentos distribuídos à população. Em 2007, antes das UPAs, os hospitais de emergência faziam, juntos, cerca de 2,5 mil atendimentos por dia. Atualmente, graças ao aumento da nossa capacidade, são realizados cerca de 20 mil atendimentos, diariamente, nas UPAs e emergências hospitalares.

O Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, de suma importância para a Região Metropolitana II, acaba de completar 70 anos, com a marca de 55 mil partos em sua história. Somente este ano, mais de 350 mil atendimentos já foram feitos por lá, um crescimento de cerca de 70% em relação ao ano passado. Prova que estamos avançando. A unidade conta com funcionários que dedicaram mais de 30 anos de suas vidas ao atendimento dos que ali procuram assistência médica.

Com os avanços que vêm sendo solidificados nos últimos anos, o Rio passou a ocupar o segundo lugar do país no ranking da doação de órgãos. Os serviços móveis de imagem (como tomografia, ressonância e mamografia) têm ajudado os municípios a economizar mais de R$ 42 milhões. Acabamos de expandir o número de leitos de UTI, credenciando mais 250 leitos, além da Reuni (central de regulação), que foi o pontapé inicial para a integração de serviços estaduais, federais e municipais, ampliando o acesso da população à saúde pública. Esses investimentos não podem e não vão parar. Trabalhar para implementar um programa de gestão eficiente nas unidades da rede estadual de Saúde é meu grande objetivo. Quero deixar claro para você, que sempre me acompanha aqui, que o compromisso que assumi foi com a saúde e o bem-estar da população.

Minha visita às obras da RJ-100

Ontem (30/07) visitei um trecho das obras da RJ-100 (Estrada Velha de Maricá), e conversei com moradores e motoristas. A recuperação asfáltica entre a localidade de Paciência e a 75ª DP (Rio do Ouro) segue a todo vapor. A obra foi possível graças ao meu pedido de reestadualização da via ao então governador Sérgio Cabral, o que permitiu a elaboração do projeto de revitalização, que prevê, em sete quilômetros da via, drenagem, terraplanagem, pavimentação, alargamento de pistas e, em um segundo momento, a duplicação de mais de um quilômetro do trecho entre a localidade de Boqueirão e o viaduto de Maria Paula. Todos sabemos que o Estado e o país enfrentam uma crise. Mas o governador Pezão e eu, que sou da região, estamos atentos à importância dessa obra que terá, sem dúvida, reflexos positivos na vida de milhares de pessoas.

A Saúde avança no estado

O jornal O DIA publicou, no dia 18/07/2015, um artigo que eu escrevi . Gostaria de compartilhar com vocês que acompanham meu blog.

São 20 mil atendimentos, todo dia, nas UPAs e emergências. Como estaria a população sem esse atendimento?

Rio – Sou movido a desafios. Estamos trabalhando para implementar programa de gestão eficiente nas unidades da rede estadual de Saúde. Fácil? Claro que não. E é isso que me faz ter a certeza de que estamos no caminho certo e trabalhando em todas as frentes para dar o melhor atendimento à população, manter as Emergências funcionando 24 horas por dia.

A crise financeira está aí e não é um problema exclusivo do nosso estado. Temos enfrentado esse momento difícil da economia, municípios vêm fechando suas unidades, e há, por isso, de fato, sobrecarga. Mas é isso o que quero: mesmo assim, todos os pacientes são atendidos. E é assim meu gabinete, sempre de portas abertas. Respeito e sempre serei parceiro do Cremerj e de toda entidade de classe que lutar por uma Saúde melhor.

Tenho muito orgulho do trabalho que vem sendo feito e conseguindo, mesmo com dificuldades, avançar. As 58 UPAs acabam de registrar mais um recorde, com 29 milhões de atendimentos, 24 milhões de exames realizados, 1,2 milhão de atendimentos odontológicos e 191 milhões de medicamentos distribuídos à população. Em 2007, antes das UPAs, os hospitais de emergência faziam, juntos, cerca de 2,5 mil atendimentos por dia. Atualmente, graças ao aumento da nossa capacidade, são realizados cerca de 20 mil atendimentos, diariamente, nas UPAs e emergências hospitalares. Sempre pergunto: como estaria a população sem esse atendimento?

Mesmo com o cenário nacional, não paramos serviços nem fechamos unidades. Inauguramos, só neste ano, três Clínicas da Família, com capacidade para fazer 36 mil atendimentos por mês.

Com os avanços que vêm sendo solidificado nos últimos anos, o Rio passou a ocupar o segundo lugar do país no ranking na doação de órgãos; os serviços móveis de imagem (com tomografia, ressonância e mamografia) ajudam os municípios a economizar mais de R$ 42 milhões. Acabamos de expandir o número de leitos de UTI, credenciando 250 leitos, além do Reuni, que foi o pontapé inicial para a integração de serviços estaduais, federais e municipais, ampliando o acesso da população à saúde pública.

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2015-07-18/felipe-peixoto-a-saude-avanca-no-estado.html