Contribua com a campanha de Natal da Associação Pestalozzi

A Associação Pestalozzi de Niterói (APN) começou mais uma campanha de arrecadação de presentes para o Natal das cerca de 600 crianças e adolescentes assistidos pela tradicional instituição filantrópica, pioneira na promoção da inclusão há mais de 60 anos.

Os presentes arrecadados para o Natal da Pestalozzi podem ser doados por qualquer pessoa até o dia 5 de dezembro. É preciso apenas entrar em contato com a instituição para solicitar uma ficha com os dados da criança que deseja presentear.

Na ficha (que pode ser solicitada da página da APN na internet ou pelo telefone 2199-4436) terão informações como o local onde a criança faz o tratamento, o nome, a idade, e a indicação do presente que ela deseja ganhar. Sua participação é muito importante!

A festa de Natal da Associação Pestalozzi – que terá presença do Papai Noel oficial de Niterói – está marcada para o dia 18 de dezembro, a partir das 10 horas, no ginásio de esportes da instituição, que fica na Estrada Caetano Monteiro, 857, em Pendotiba.

A Associação Pestalozzi de Niterói realiza, desde 1948, um belíssimo trabalho de inclusão social pautado pela ética e transparência, com uma trajetória de sucesso reconhecida nacional e internacionalmente. Vale a pena conhecer mais sobre as ações e os projetos e a história da APN.

Dupla escola: um diferencial na formação do aluno

Alunos com maior foco de atenção e mais bem preparados para o futuro são alguns dos benefícios do ensino de uma segunda língua nas escolas. E em 2014 as escolas bilíngues ganharam um reforço vindo da rede pública: a Dupla Escola. Um projeto que tem dado certo.

O CIEP 449 Governador Leonel de Moura Brizola, em Charitas, foi o pioneiro do projeto e abriu suas portas em janeiro deste ano para ganhar o título de primeira escola pública bilíngue de ensino médio do país, fruto da parceria entre os governos estadual e francês.

Com aulas das 7h às 17h, em tempo integral, o CIEP 449 Governador Leonel de Moura Brizola, por enquanto, possui três turmas de 1º ano que, por meio do ensino médio intercultural, assistem a duas aulas dadas em francês: a de biologia e a de cidadania.

Em agosto, acompanhando Pezão em uma agenda de campanha em Niterói, visitamos o CIEP 449 e vimos o quanto os alunos estão felizes e aproveitando essa oportunidade. A Dupla Escola é uma importante relação de troca, e uma grande conquista para a nossa Educação, referência para todo o estado.

O CIEP 449 é uma das 26 unidades do programa Dupla Escola. Um importante passo na promoção da educação de mais qualidade. E, sem dúvidas, é um grande diferencial na formação dos nossos alunos. Um projeto que merece o nosso prestígio e que sempre terá espaço no meu blog.

Um salto na Educação do Rio

Quando o Governo do Estado assumiu o compromisso de nos colocarmos entre os cinco primeiros classificados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (o Ideb), eu acreditei. E chegamos lá! O Rio passou do 15º para o 4º lugar no ranking, recebendo a terceira melhor nota de todo o país. Um grande salto na educação que merece o nosso aplauso.

Recebi essa notícia com muita felicidade. A educação sempre esteve entre minhas frentes de atuação desde a época de vereador. Esse resultado é fruto de muito trabalho. Um trabalho que não pode parar. Sabemos que ainda há muito a ser feito pela nossa educação. Mas estamos crescendo e isso é o mais importante.

A nível de conhecimento, o Ideb é um indicador geral da educação nas redes pública e privada, criado em 2007, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). São levados em conta dois fatores que interferem na educação: o rendimento escolar e as médias de desempenho na Prova Brasil. O resultado é divulgado a cada dois anos, com metas projetadas até 2022.

A qualificação profissional em destaque

Hoje fiz uma visita especial ao Núcleo Avançado de Educação em Tenologia de Alimentos e Gestão de Cooperativismo (NATA), implementado no Colégio Estadual Comendador Valentim dos Santos Diniz, no Colubandê, em São Gonçalo.

O NATA é um projeto realizado por meio da parceria entre o Governo do Estado e o Grupo Pão de Açúcar, que une educação, pesquisa e indústria. Um novo modelo de ensino integrado com formação profissional no setor alimentício.

Os cursos oferecidos pelo NATA têm duração de três anos em horário integral, das 7h às 17h30. A primeira formação profissional oferecida, Leite e Derivados, surgiu em agosto de 2009, hoje com 240 alunos.

Em 2010, a escola passou a oferecer também a formação profissional em Panificação e Confeitaria, que conta atualmente com 120 matriculados. E estão em planejamento mais duas formações profissionais: Manipulação de Vegetais e de Embutidos.

A estrutura do colégio conta com salas de aula multimídia, sala de informática, sala de artes, quadra poliesportiva, espaços para convivência dos alunos, refeitório, laboratório de microbiologia, laboratório de físico-química, usina piloto de laticínios e usina piloto de panificação.

Os profissionais formados pelo NATA são jovens concluintes do Ensino Médio que participaram da formação profissional na área de alimentos e possuem conhecimento especializado para ingressar no mercado de trabalho como técnicos.

A escola, que foi classificada em 1º lugar no município de São Gonçalo e em 3º no Rio, no ranking de escolas estaduais do Enem 2012, formou seus primeiros 91 alunos em técnicos de alimentos em 2011. E no ano seguinte, foram mais 94 formandos.

Com as oportunidades geradas pela formação no NATA, os novos técnicos chegam a duplicar a renda mensal de suas famílias, além de incentivar muitos ex-alunos a seguirem para o ensino superior. Dentre eles, 45% ingressaram em diversas universidades do Rio de Janeiro. É educação de qualidade fazendo a diferença.

Uma nova conquista para os moradores do Preventório

Os moradores do Morro do Preventório, em Charitas, que, no início de agosto, foram contemplados com a regularização das suas casas por meio dos títulos de posse que foram entregues pelo Governo do Estado, ganharam agora um espaço para cursos profissionalizantes.

É o Centro de Oportunidades e Cidadania (COC), iniciativa da Prefeitura de Niterói em conjunto com o Instituto Sete, uma ONG que, há sete meses, atua na comunidade ministrando cursos para alunos da comunidade.

Com esse novo espaço, o instituto poderá ampliar o número de vagas (de 60 para 200) e aumentar a oferta de cursos, em parceria com o Senai e o Senac. E, além de cursos como de panificação e eletrônica, serão oferecidas aulas de música e pré-vestibular comunitário.

Uma iniciativa como essa vai beneficiar, e muito, quem mora no Preventório. Há todo um trabalho de integração social e prevenção, também, já que oferece aos jovens – por vezes sem quaisquer perspectivas de futuro – um campo de oportunidades que podem fazer toda a diferença.

Conhecendo o Projeto Mais Leitura

Recentemente comentei em um artigo sobre o Projeto Mais Leitura, iniciativa muito interessante promovida pela Imprensa Oficial do Estado, que propõe a venda de livros novos a preços populares. Pude saber mais sobre essa ideia durante o 4º Salão da Leitura de Niterói, que aconteceu em junho, no Caminho Niemeyer.

Cada estande, com 48 metros quadrados, tem capacidade para mais de 10 mil livros e 700 títulos. O área conta com expositores, computadores e balcões. No “lojão”, como ficou conhecido o espaço, são vendidos livros novos que podem variar entre R$ 2 e R$ 4. Tem pra todos os gostos e todas as idades.

A média de venda é de 15 mil livros por mês em cada unidade. E mais de 100 mil cidadãos são titulares do “Cartão do Leitor”, que garante um “livro-brinde” a cada 10 livros comprados. Ao todo, foram mais de 2 milhões de títulos vendidos, publicados por 40 editoras associadas.

O Mais Leitura deu tão certo que tem se espalhado pelo estado. O projeto, que tem uma versão itinerante, já passou por 50 municípios do estado, além das agências fixas em Niterói, no Bay Market; e nas unidades do Rio Poupa Tempo de São Gonçalo, Bangu, São João de Meriti. Uma grande proposta de democratização do acesso à leitura. Uma ideia que merece ser conhecida e reconhecida.

O sucesso da Dupla Escola em Niterói

Na última quinta-feira, dia 21, acompanhando Pezão em uma agenda de campanha em Niterói, pude voltar ao CIEP 449 Governador Leonel de Moura Brizola, em Charitas, que desde janeiro oferece ao alunos o curso de Ensino Médio Intercultural Brasil-França.

O que mais me chamou atenção foi ver o brilho nos olhos e o sorriso estampado no rosto de cada aluno. Pude ver neles a certeza de um futuro melhor vindo da educação. Isso é recompensador. E mostra que estamos no caminho certo investimento na educação, e de qualidade.

Termos, em Niterói, uma unidade de ensino como essa é motivo de orgulho. É uma grande conquista para a Educação, e serve de referência para todo o estado. Uma importante relação de troca, já que as escolas francesas são nossas parceiras e também estudam a nossa cultura.

O CIEP 449 é uma das 26 unidades do programa Dupla Escola e a primeira escola bilíngue de nível médio em horário integral no Brasil. Antes apagada e sem vida, a nova fachada da unidade traz as cores da bandeira da França. A escola está linda!

Um grande feito que merece o nosso prestígio!

Mais Pezão para Niterói

Dando continuidade ao artigo que publiquei na semana passada sobre algumas das propostas de governo de Pezão para Niterói, hoje quero falar sobre seus objetivos para a Saúde, Mobilidade e Qualificação Profissional, áreas tão importantes e essenciais para que Niterói continue no caminho certo.

Com Pezão teremos um novo Hospital Azevedo Lima, que será totalmente reformado. Teremos uma unidade do Rio Imagem, com modernos laboratórios de exames radiológicos gratuitos, a exemplo da que existe no Centro do Rio, que completou dois anos de atividade em 2013, realizando mais de 270 mil exames, sendo referência para a população e para os médicos.

E por falar em médicos, teremos mais seis mil profissionais contratados para ampliar o Médicos de Família. Além de mais duas UPAs que serão construídas para garantir assistência integral e de qualidade a todos os moradores, agora com atendimento pediátrico e para a terceira idade. Assim como serão implantadas mais três Clínicas da Família.

Para alavancar a mobilidade de Niterói, Pezão vai investir na aquisição de mais nove barcas até 2015. Há também projetos como o BRT Corredor RJ-104 (ligando Niterói a Manilha, em Itaboraí, passando por São Gonçalo), e o BRT Corredor BR-101 (também ligando Niterói a Manilha). Projetos difíceis de tirar do papel, mas que a exemplo do Arco Metropolitano, com muita disposição, foi possível realizar.

Oportunidades de qualificação profissional serão oferecidas nas mais diversas áreas preparando os jovens para disputar uma vaga no mercado de trabalho. E para continuar avançando na facilidade de acesso ao emprego, Pezão vai criar mais quatro Centros Vocacionais Tecnológicos (os CVTs), atuando em parceria com a Faetec.

Com Pezão a mudança só começou.

‘Desculpe, David Luiz’, por Cristovam Buarque

Hoje quero repercutir um artigo muito interessante escrito pelo senador Cristovam Buarque para o jornal O Globo, na coluna Opinião. Cristovam fala de tragédias mundiais como a Guerra Civil dos Estados Unidos que deixou 600 mil mortos, e terremotos que abalaram estruturas de outros países. Situações muitas vezes banalizadas, ou que caíram no esquecimento.

Paralelo a esses fatos, o autor faz uma comparação com o futebol e as perdas do Brasil em Copas do Mundo. Estas sim, situações que jamais deixarão de ser mencionadas. Cristovam as trata até mesmo como traumas e lamenta o quanto não somos capazes de cobrar dos nos nossos líderes políticos a “cura” de tantos problemas sociais que vivenciamos, o mesmo que exigimos dos jogadores e técnicos brasileiros.

‘Desculpe, David Luiz’ chama atenção pelo simples fato de ser um texto tão verdadeiro. Uma leitura obrigatória para todos nós.

Desculpe, David Luiz

Nós, políticos, não estamos ganhando a Copa do Bem-Estar

Os EUA tiveram uma guerra civil que custou cerca de 600 mil vidas. A Alemanha foi derrotada duas vezes no período de 27 anos e a França foi ocupada pelos alemães. Outros países tiveram grandes traumas por terremotos e maremotos. Nossos traumas foram derrotas no futebol: para o Uruguai, em 16 de julho de 1950, e Alemanha, em 8 de julho de 2014. Sofremos por causa dos 7 a 1 no futebol, mas esquecemos dos 103 a zero para a Alemanha em Prêmios Nobel.

A realidade social não nos traumatiza porque nossos grandes problemas foram banalizados.

Consideramos tragédia ter o quarto melhor time de futebol do mundo, mas não nos traumatiza quando, no dia 1º de março de 2011, a Unesco divulgou que estamos em 88º lugar em educação; nem quando, em 15 de março de 2013, o PNUD divulgou que estamos em 85º lugar no Índice de Desenvolvimento Humano; ou quando o Banco Mundial nos coloca como o oitavo pior país em concentração de renda; ou ainda quando soubemos que somos o 54º país em competitividade no mercado mundial; ou quando o IBGE divulgou, em 27 de setembro de 2013, o aumento no número de adultos analfabetos de 2011 a 2012.

Nenhum trauma aconteceu quando a Transparência Internacional nos reprova em corrupção; ou quando vemos que, no ano passado, 54 mil brasileiros foram assassinados no país e outros 50 mil mortos no trânsito. Não nos traumatiza o fato de que 50 milhões de brasileiros — desalojados históricos pelo modelo econômico — passariam fome se não fossem as pequenas transferências de renda, como se eles fossem abrigados depois de uma inundação. Não nos choca a destruição de 9% a mais de florestas em 2013 do que em 2012.

Sofremos com as derrotas no futebol porque elas não foram banalizadas, são exceções na nossa trajetória de vitórias. Não nos traumatizam os desastres sociais porque nos acostumamos a eles e nos acomodamos. Por isso, não exigimos de nossos líderes políticos o mesmo que exigimos dos jogadores e técnicos.

Ao ouvir David Luiz pedir desculpas porque não foi “capaz de fazer seu povo feliz, pelo menos no futebol”, pensei que deveria pedir desculpas a ele, porque sou parte da seleção brasileira de líderes políticos e não consigo fazer o necessário para facilitar a vida de cada brasileiro em busca de sua felicidade.

O político não proporciona felicidade, como um artilheiro que faz gols, mas deve eliminar os entulhos sociais, tais como transporte público ineficiente, fila nos hospitais, escolas sem qualidade e violência descontrolada, que dificultam o caminho de cada pessoa em busca de sua felicidade pessoal. Esses entulhos sociais que povoam o Brasil provam que nós, os políticos brasileiros, não estamos ganhando a Copa do Bem-Estar, base necessária, embora não suficiente, para a felicidade de cada pessoa.

Por isso, eu e todos os políticos com mandatos, não David Luiz, devemos pedir desculpas por não eliminarmos os entulhos que dificultam a busca da felicidade pelos brasileiros.

Luiz Fernando Pezão para Niterói: a mudança só começou

Começou a circular o caderno de campanha do Pezão com as propostas de governo voltadas para Niterói. Com orgulho, quero falar de três ações em especial, que são frutos de causas que sempre defendi, e que foram agregadas ao Plano de Governo.

O policiamento comunitário, por exemplo, é luta antiga minha para a área de segurança pública. Uma iniciativa inicialmente implantada em Santa Rosa e depois estendido para outros bairros da Zona Sul, da Zona Norte e da Região Oceânica, mas que com o passar dos anos sofreu revezes até ser desativado.

Além das três Companhias Destacadas, as Delegacias Legal e a Divisão de Homicídios instaladas em Niterói intensificando as ações de segurança na região, com Pezão eleito, além de três Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) implantadas, vamos ter o retorno do policiamento comunitário nas ruas da cidade.

Outra grande proposta é a revitalização do Horto, no Fonseca, que vai ser transformado em uma extensa área de lazer para a população. O Palácio Euclides da Cunha será restaurado e vai abrigar uma Biblioteca Parque, nos mesmos moldes das que existem na Rocinha e em Manguinhos, com acervo literário, oficinas e plataformas multimídia.

A reforma do Caio Martins também está em pauta. Com Pezão, o estádio vai ser revitalizado e transformado em um parque para a toda a família. Esse novo espaço terá atividades de lazer e de esportes gratuitas para todas as idades, além de ampla infraestrutura com vestiários, acesso à internet, pistas de skate e quadras diversas. Niterói terá um complexo de lazer e esporte.

Esse, inclusive, é um desejo antigo meu, que trouxe pra discussão quando concorri à prefeitura de Niterói. O Caio Martins é importante para o esporte, para a cidade e faz parte da nossa história. E de vital importância na formação de atletas. Essa reconquista é um direito dos niteroienses!

É por esses e outros motivos que é importante elegermos Pezão. E para que isso aconteça, é essencial estarmos juntos, unidos nesse objetivo. Eleger Pezão é fundamental para garantir que sigamos no rumo certo. É a continuidade de um processo de mudanças profundas e grande relevância no nosso estado. A mudança só começou.