Embarcações esquecidas na Baía de Guanabara serão leiloadas

Foi anunciado para o fim deste mês o leilão das embarcações esquecidas na Baía de Guanabara, na entrada do Canal de São Lourenço.

Em 2011, estive presente na operação de início da retirada dessas embarcações. Fizemos o levantamento de todos os barcos, fotografamos, marcamos a localização de cada um e entregamos um relatório sobre a situação para o INEA e a Capitania dos Portos. Fornecemos dados concretos e importantes para a efetivação do processo que ocorre hoje.

Essa análise foi entregue completa com a localização geográfica, fotos e a descrição das embarcações. Ou seja, bastava a ação para a retirada.

As embarcações foram mapeadas e os proprietários notificados, mas, somente 12 foram removidas. Tiveram prioridade as carcaças que estavam em frente o Centro Integrado de Pesca Artesanal (Cipar), que será reativado quando forem concluídas as obras de dragagem do Canal. Os estaleiros também deram recursos, porque há interesse na melhoria da navegação.

No fim do mês, acontece o leilão para que as 41 carcaças restantes sejam arrematadas e retiradas do mar. O leilão público será em lote único e quem arrematar terá o prazo de até o final do primeiro semestre para retirá-las e ficar com o valor delas.

Essas embarcações formam um conjunto de problemas para Niterói. Elas atrapalham as manobras dos barcos, oferecendo riscos para a navegação, poluem o ambiente e representam um péssimo cartão de visita. A retirada das carcaças é de grande interesse do setor naval, principalmente pela dinamização das atividades do Porto. E também somam um grande ganho para a cidade, na melhoria de sua aparência.

Postado em Fiperj, Secretaria de Desenvolvimento Regional e tageado com , , , , , por Felipe Peixoto. Favorite o link.

Sobre Felipe Peixoto

Sou Felipe Peixoto, niteroiense com muito orgulho, casado com Graziela, pai de Clara e Mariana e vice-presidente do PSB. Tenho 40 anos, todos eles vividos em Niterói. Minha paixão pela política vem desde a infância. Comecei bem cedo, aos 9 anos, instalando na garagem da minha casa, no Pé Pequeno, em Niterói, um comitê mirim para a campanha de Darcy Ribeiro a governador do Estado do Rio em 1986. Adquiri muitas experiências ao longo desses 30 anos, 18 deles dedicados ao serviço público, e todos essenciais para o meu amadurecimento e preparo para seguir firme, adiante, na luta em defesa por melhorias da qualidade de vida da população. Conheça mais sobre minha trajetória no meu site: www.felipepeixoto.com.br. Acompanhe lá detalhes das leis que apresentei na Assembleia Legislativa do Estado do Rio e na Câmara Municipal de Niterói, cidade onde nasci, sempre vivi e escolhi para continuar com minha caminhada, servindo ao povo e criando minhas filhas.

6 comentários em “Embarcações esquecidas na Baía de Guanabara serão leiloadas

  1. Infelizmente amigos, apesar de todo interesse dos pescadores em criar estes locais para melhoria do ambiente marinho da costa do Rj, sabemos que nunca irão acontecer. A industria da pesca e muito mais forte do que nos, pescadores seja artesanal ou esportivo. Fui a um tempo atrás em florianopolis e me senti em outro mundo, tamanha a preservação e consientização das colonias de pescadores para manterem sempre um ciclo de vida e reprodução marinha.
    Aqui no RJ nem as Cagarras apos serem tombadas, estão seguras, a noite vemos km e mais km de rede entre as Ilhas, dizimando tudo o que tem, ou ainda resta da fauna aquatica da Região.
    Poderiamos ser um local de grande riqueza, tendo esporte aquaticos, como o mergulho e a pesca esportiva gerando renda para os pescadores, espero que um dia o Governo se conscientize e lute por isso. Quem sabe não seremos uma “Florianopolis” ou até mesmo um novo Panamá, onde a preservação é extremamente executada com competência. Todos em prol da natureza e o que vem de bom em conseqüência desta preservação.

  2. em nome de Jesus Cristo que todo o fundo submarino da Baía de Guanabara se transforme em matéria-prima industrial

    em nome de Jesus Cristo que seja afundada 100% umas carcaças de navios-rebocadores dentro da enseada da Marina da Glória para estimular a pesca e o turismo submarino

  3. em nome de Jesus Cristo que seja construída uma siderurgica em Magé-RJ para reciclar todas as embarcações abandonadas na Baía de guanabara!!

    em nome de Jesus Cristo que sejam afundadas 100% carcaças de navios velhos nesses lugares para estimular a pesca e o turismo submarino: praias do Leme e de Copacabana,praias do Arpoador e de Ipanema,praias do Leblon e de São Conrado,praias da Barra da Tijuca e do REcreio dos Bandeirantes,inclusive afundar uma carcaça de porta-aviões atrás do Clube Costa Brava em nome de Jesus Cristo

  4. Gostaria que o Dep. Felipe Peixoto emcomendasse uma pesquiza aos órgãos competentes ou a alguma universidade federal uma pesquisa sobre a segurança do consumo do pescado chamado “Peixe Ponga” que está sendo comercializado por grandes redes de supermercados no rio de Janeiro,quanto a várias notícias que são postadas sobre a contaminação do produto,visto que é um peixe asiático e encontrado em vários rios com grande nível de poluição.

  5. Concordo com Mirinho Braga, pesco por diversão e o pescado esta escasseando na costa do Rio e de Niterói.Os recifes artificiais já são usados hà muito tempo no Japão e outros países da Ásia,e lá eles proíbem a pesca numa determinada distância em volta desses recifes.Com isso a flora e a fauna marinha podem se regenerar ,eles afundam grandes embarcações em locais onde só tem areia e em torno de 10 anos mais ou menos já pode se ver a proliferação de corais e algas.

  6. Felipe, boa tarde!
    Se é tão difícil fazer o leilão desses barcos, vcs deveriam montar uma estratégia , junto com a secretaria do ambiente, para transforma-los em recifes artificiais em nossa costa, pois os mesmos seriam transformados em atrações para o mergulho ( turismo) e ao mesmo tempo ponto de pesca para os pescadores de nosso Estado. Nos EUA e vários países da Europa fazem esse procedimento.
    Forte abraço!
    Mirinho Braga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *