Policiamento Ambiental na Serra da Tiririca

Até o fim de janeiro, deve ser inaugurada no Parque Estadual da Serra da Tiririca, a Unidade de Polícia Ambiental (UPAm). O novo patrulhamento ambiental funcionará 24 horas e contará, de início, com 22 policiais para cobrir a área de Niterói e Maricá.

A base operacional terá alojamento, rancho e um telefone para denúncias, e as principais ações serão, por exemplo, de combater o desmatamento, a exploração ilegal de areias, invasões, queimadas e o tráfico de animais silvestres.

O parque protege áreas de Mata Atlântica, restinga, costões rochosos, mangue e banhados. Devido a essa vasta biodiversidade, desde 1992, a área é considerada pela Organização das Nações Unidas (UNESCO) como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

Proteger esse espaço vai além de manter a flora e a fauna que a compõe. O Parque Estadual da Serra da Tiririca é muito querido pelos cidadãos de Niterói e Maricá e a organização da estrutura do parque é fundamental para oferecer boas condições para a prática do ecoturismo na região, facilitar o trabalho de fiscalização e ajudar na preservação ambiental da área.

Postado em Meio Ambiente, Turismo e tageado com , , , por Felipe Peixoto. Favorite o link.

Sobre Felipe Peixoto

Sou Felipe Peixoto, niteroiense com muito orgulho, casado com Graziela, pai de Clara e Mariana e vice-presidente do PSB. Tenho 40 anos, todos eles vividos em Niterói. Minha paixão pela política vem desde a infância. Comecei bem cedo, aos 9 anos, instalando na garagem da minha casa, no Pé Pequeno, em Niterói, um comitê mirim para a campanha de Darcy Ribeiro a governador do Estado do Rio em 1986. Adquiri muitas experiências ao longo desses 30 anos, 18 deles dedicados ao serviço público, e todos essenciais para o meu amadurecimento e preparo para seguir firme, adiante, na luta em defesa por melhorias da qualidade de vida da população. Conheça mais sobre minha trajetória no meu site: www.felipepeixoto.com.br. Acompanhe lá detalhes das leis que apresentei na Assembleia Legislativa do Estado do Rio e na Câmara Municipal de Niterói, cidade onde nasci, sempre vivi e escolhi para continuar com minha caminhada, servindo ao povo e criando minhas filhas.

2 comentários em “Policiamento Ambiental na Serra da Tiririca

  1. Contudo, estou morando fora, porém estive no Engenho do Mato na semana passada depois de anos. Surpreendi-me, o lugar continua largado, fora isso, percebi vários crimes cometidos sem providência nenhuma, nem das autoridades muito menos da associação que deveria zelar pelo lugar, para citar dois exemplos:
    1- um haras com nome de santo, que foi demolido, cedeu lugar a uma montanha de entulho.
    2- Um Terreno onde vivia um jacaré, este em situação ainda pior, seu proprietário vendeu parte do terreno onde construirão uma hípica,no restante está fazendo um condomínio, ainda suprimiu parte da vegetação de floresta localizada atrás do terreno, que deu lugar a uma rua construída com muito aterro , lixo e entulho.Está rua já está passando atrás da mencionada hípica.Fora o descrito, aterrou também a parte da frente do terreno que tinha um brejo e um lago onde ficava o mencionado jacaré, que foi morto com um tiro para que o aterro fosse realizado, como mostrou-me através de foto um vizinho do terreno .
    Cabe então citar algumas leis que estão sendo feridas com as condutas descritas nos exemplos.
    lei municipal( Lei 1324, de 27 de setembro de 1994)
    Decreto Federal 99.274, de 06/06/90
    Resolução CONAMA 13, de 06/12/90
    Resolução CONAMA 237, de 19/12/97
    Deliberação CECA 3.586, de 23/12/96
    Lei Municipal 1.640, de 18/02/98

    Outrora, o Ilustríssimo secretário estadual de Ambiente vivia por lá, acho que isso mudou, dado os inúmeros crimes ambientais, além dos mencionados, que estão sendo praticados naquela localidade. Ademais, deveriam trocar o presidente da associação, pelo que fiquei sabendo, a presidência da associação, reveza entre duas pessoas, absurdo! Por isso o lugar não vai para frente. Associações podem fazer muito, inclusive as que se preocupam em realmente melhorar o local que representam, costumam agir não só administrativamente, mais também juridicamente. As Associações tem legitimidade para propor Ação Civil Pública, que é um instrumento poderoso que visa a garantia dos direitos difusos e coletivos, fora outras ações. Viajo bastante, e vejo associações fazerem trabalhos primorosos. Na Vai e vem, até hoje não tem transporte, impressionante! Se a Associação não briga por isso, ao menos podia colocar uma charrete para os moradores, como tem em Friburgo, Petrópolis, São Lourenço etc…, tem tudo a ver com o lugar e ainda fomenta o Turismo. Mais a população local, ainda deve ter esperança, escutei um relato sobre um pessoal que está brigando bastante pelo Engenho do Mato, inclusive conseguiu que a área fosse tombada como de interesse turístico por conta da passagem de Charles Darwin por lá, vou até pesquisar na internet, se esse pessoal for sério, já fizeram um bom trabalho conseguindo que a área fosse tombada, é a eles que a população deve apoiar.

  2. Pingback: Mais ações para o Parque Estadual da Serra da Tiririca | Blog do Felipe Peixoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>