Pé Pequeno ganha projeto Vizinhos Integrados à Polícia (VIP)

Na terça-feira (27), estive com moradores do Pé Pequenoe e o 12º BPM para, mais uma vez, discutirmos sobre o problema de segurança em Niterói. O encontro foi muito produtivo e a reunião terminou com a garantia da implantação do Vizinhos Integrados à Polícia (VIP). O projeto é atualmente usado em alguns bairros da Região Oceânica e vem apresentando resultados satisfatórios na diminuição de roubos a residências.

Para entendermos melhor, o VIP funciona com a atuação conjunta de todos os moradores do bairro, separados em grupos de até cinco residências. O principal objetivo de cada um desses grupos é a integração de todos os vizinhos para atuarem de forma mútua e comprometida. Para isso, os vizinhos precisam se conhecer, saber seus hábitos e ter seus contatos.

Como morador do bairro, acredito no sucesso dessa mobilização. A falta de segurança é algo que também me preocupa, principalmente por que tenho filhas pequenas em casa. Reuniões como essa são fundamentais para reconquistarmos o trabalho que existia anteriormente e para que possamos avançar no combate à violência.

Outra notícia positiva foi dada pela inspetora Santana que estava representando o secretário de Segurança e Controle Urbano do município, Rui França. Entre abril e maio, 100 PMs trabalharão em seus dias de folga colaborando com a guarda municipal. A partir de setembro, mais 100 PMs estarão ajudando a guarda. As contratações fazem parte do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis). Esses policiais militares vão ampliando a atuação da guarda municipal uma vez que suas atribuições vão além da permitida para os agentes municipais.

Também me coloquei a disposição dos moradores do Pé Pequeno e, em breve, irei marcar uma reunião com aqueles que foram vítimas de assaltos no bairro e o delegado da 77° DP. Agradeço a todos os presentes na reunião e, novamente, parabenizo o engajamento da população de Niterói nesta causa.

A segurança depende de cada um de nós

Há muito tempo sou um militante da área da segurança pública. Foi aos 21 anos que decidi dar início ao Movimento Niterói Com Segurança, que mobilizou a população no fim da década de 90 para cobrar melhorias para a segurança pública em nossa cidade.

Na época, obtivemos vitórias importantes. A principal delas foi trazer o policiamento comunitário para a cidade de Niterói, inicialmente implantado em Santa Rosa e depois estendido para outros bairros da Zona Sul, da Zona Norte e da Região Oceânica, com mais de 100 policiais envolvidos.

Infelizmente, com o passar dos anos, o policiamento comunitário foi sofrendo diversos revezes até ser completamente desativado. Este processo foi continuamente denunciado e cobrado em nossos mandatos.

Verdade seja dita, tudo o que conquistamos foi sempre através da mobilização e reivindicação. Quando a população se une pra dizer o que precisa, as coisas acontecem de fato. Por isso quero parabenizar o engajamento da população de Niterói que recentemente voltou a lutar por mais segurança para a cidade. Os habitantes trouxeram à tona problemas que precisavam ser enfrentados de fato.

O governador Sergio Cabral ouviu o que Niterói falou. E nossas autoridades de segurança locais também. Como resultado, estamos recebendo noticias muito positivas, como o aumento do efetivo do 12º Batalhão e a reativação do policiamento comunitário. Trinta policiais militares foram remanejados para Niterói e estão recebendo o treinamento do programa de Policiamento Comunitário coordenado pela major Íris Milena, cedida pelo Comando Geral da PM por três meses para ajudar o 12º BPM a reativar o programa.

A Prefeitura de Niterói também agiu e autorizou a contratação imediata de 100 PMs lotados no Batalhão de Niterói para trabalharem em dias de folga na Guarda Municipal, dispositivo previsto com recursos do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis). O policial que trabalha sob o sistema do Proeis é beneficiado com aumento na renda e o segundo emprego autorizado. Em contrapartida, a cidade terá mais policiais nas ruas.

Na reunião de terça-feira (20), além dessas informações serem melhor detalhadas, houve também o compromisso de trazer o Comandante Geral da PM à cidade para que ele também ouça os apelos da população.

Na oportunidade, reiterei a importância da volta dos Conselhos Comunitários de Segurança para que os representantes de cada bairro estabeleçam contato direto com o 12º BPM, vereadores e a Prefeitura, como ocorria no passado. Através dessa instância, a população terá instrumentos para continuar persistindo no retorno de antigos projetos como ponto eletrônico, comunicação por rádio e o monitoramento por câmeras que tanto fazem falta para a cidade.

Naturalmente, houve críticas ao tempo de resposta do combate à criminalidade, como também meu posicionamento em relação às ocorrências que atemorizam a cidade. Quando me dispus a ir a essa reunião com o comandante, eu sabia que ia ouvir. Sabia que era colocar a “cara a tapa”. Mas nunca foi do meu temperamento abandonar as causas que eu defendo porque A ou B não gostam de mim, não gostam que eu seja do PDT, ou não gostam do governo Cabral.

Como morador de Niterói, fico igualmente preocupado com a situação que a cidade passa. Portanto, pretendo continuar organizando reuniões em outros bairros, porque este é um assunto que domino e desejo ver resolvido. É também um pedido do próprio comandante. Ele, inclusive, gostou muito da reunião em São Francisco e reitera que está disponível para a população. A resposta completa está publicada no Facebook.

Segurança para uma Niterói mais feliz

Nos últimos dias, tenho recebido muitas mensagens de niteroienses preocupados com a segurança na cidade. Neste fim de semana, o caderno Niterói do jornal O Globo destacou ações violentas de bandidos nas regiões Oceânica e Pendotiba. Na segunda, o RJTV registrou a insegurança dos moradores do bairro de São Francisco.

No bairro onde moro, Pé Pequeno, já teve três roubos a residência nos últimos dias. Até o morro do Preventório, em Charitas, que nunca teve problemas graves de segurança, tem hoje a presença constante de homens armados.

No início da semana, entrei em contato com o governador Sérgio Cabral e pedi uma ação do Estado para restabelecer a tranquilidade de nossa cidade tão conhecida pela sua qualidade de vida. Para minha surpresa, ontem, a cidade acordou com uma megaoperação com homens do 12º BPM (Niterói), do Batalhão de Choque, do Grupamento Marítimo e da Companhia de Cães. Eles realizam blitzes e buscas em comunidades de Niterói e Maricá. Agradeço ao governador por atender ao apelo dos habitantes.

As grandes operações são importantíssimas para restabelecer a ordem, mas como são pontuais, contar apenas com elas não é o suficiente. Niterói precisa de um projeto de segurança de longo prazo. E nós já tivemos essa experiência com o policiamento comunitário. O modelo foi uma conquista dos niteroienses na década passada, mas infelizmente não teve sequência, mesma situação dos Grupamentos de Policiamento em Áreas Especiais (GEPAE) do Cavalão e do Estado.

O policiamento comunitário possui baixo custo e tem a vantagem de aproximar a Polícia dos habitantes. O sistema estabelece um círculo virtuoso onde a população se sente mais segura e os policiais são reconhecidos e trabalham satisfeitos.

O retorno desse projeto faz parte das reivindicações dos moradores de São Francisco que prometem realizar uma manifestação no próximo domingo (11). Protesto legítimo que tem meu apoio e consideração.

Mantenho a confiança de que o governador Sérgio Cabral será sensível às reivindicações dos habitantes de Niterói e que vai providenciar as ações em prol da paz da cidade.

O novo cenário da segurança pública de Niterói

Niterói passa por mudanças no setor de segurança pública. E, ao que tudo indica, para melhor.

Uma delas está no recebimento de 73 novas viaturas na semana passada. A medida faz parte do programa do Governo do Estado para renovar a frota da Polícia Militar.

Todos os veículos possuem computador de bordo e ar-condicionado. O primeiro item pretende trazer mais agilidade no serviço da polícia. O segundo vai proporcionar mais conforto para o policial que é obrigado a trabalhar fardado, inclusive durante o verão. No futuro, cada viatura vai possuir uma câmera para registrar a atuação dos policiais.

Existe hoje todo um esforço do Estado para melhorar de estrutura da Polícia. Cenário bem diferente de alguns anos atrás. Lembro a época em que era subsecretário regional de Icaraí e realizei uma campanha para arrecadar dinheiro a fim de consertar e reformar algumas viaturas que circulavam no bairro.

Outra novidade vem do comando geral da PM. Recebi com satisfação a decisão do novo comandante geral, coronel Erir Ribeiro, de evitar substituições nos comandos dos batalhões antes de um ano.

A proposta de Ribeiro é instituir um sistema de mandato aos comandantes dos batalhões. Se após um ano de gestão o resultado do trabalho for satisfatório, os comandantes receberão mais um ano para dar seguimentos aos projetos.

A resolução veio em um momento em que Niterói viu o comando do 12º BPM ser trocado três vezes este ano. Com uma rotatividade tão intensa torna-se impossível conhecer a nova área e se aproximar da comunidade adequadamente. E a boa atuação da polícia está diretamente ligada ao bom relacionamento com a comunidade.

Por isso, considero ser muito importante manter por, pelo menos, dois anos o mesmo comandante no cargo. Isso vai garantir retomar os bons projetos que Niterói já teve, mas que se perderam com o troca-troca.

O próximo passo, agora, é ver atendida uma antiga solicitação: o aumento do efetivo. Eu entendo ser hoje a prioridade do governo formar novos policiais para as UPPs, mas não se pode desconsiderar a necessidade das outras cidades. E Niterói tem demandas semelhantes às da cidade do Rio, além de fazer parte da Região Metropolitana, ser uma cidade estratégica e ex-capital do Estado. Continuamos no aguardo!

Segurança Pública: a luta pela paz continua

No mês passado falei aqui sobre minha preocupação com a segurança pública. Ontem foi realizada a segunda reunião no Pé Pequeno e pude falar que estou insistindo junto ao Governo Estadual para mantermos os 49 novos policiais militares recém-formados no efetivo do 12º BPM de Niterói. Eu mesmo telefonei para o governador Sérgio Cabral Filho e ele me garantiu que encaminharia meu pedido ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame.

Outro pedido que fizemos e tivemos resposta positiva foi em relação ao horário da ronda das duplas que fazem o policiamento comunitário no bairro. O comandante do 12º BPM, tenente-coronel Ruy França, autorizou que os agentes façam o patrulhamento até às 22 horas.

O delegado titular da 77ª DP (Icaraí), Mário Luiz da Silva, nos contou como é o funcionamento da Delegacia de Dedicação Integral ao Cidadão (DEDIC). O morador da área de abrangência desta repartição pode marcar hora para ser atendido na delegacia ou solicitar a visita dos agentes em casa. O contato pode ser feito pelo telefone (21) 2711-9434 ou pelo site da DEDIC.

Acredito que programas como o DEDIC são muito importantes, pois aproximam o Estado do cidadão e demonstram que a polícia está em consonância com os interesses da população. O ideal seria que todas as delegacias de nosso Estado tivessem programas como este.