Inauguramos o Caminho do Futuro

Julho começou com o pé direito. No primeira dia do mês, demos um grande salto na mobilidade urbana do estado com a inauguração do Arco Metropolitano, uma obra aguardada há 40 anos, mas que só em 2008, depois de ser incluído no Programa de Aceleração do Crescimento (o PAC 2), começou a ser construído. Seu nome oficial é Rodovia BR-493/RJ-109.

São pouco mais de 70 quilômetros prontos, inaugurados, que vão influenciar diretamente a produtividade das indústrias do estado, com reflexos nos fronteiras vizinhas e até na economia do país. Serão via de escoamento do tráfego pesado da região metropolitana, desafogando a Avenida Brasil, Rodovia Presidente Dutra e a Rodovia Washington Luís (a BR-040).

Com o Arco, serão mais de 35 mil veículos, sendo 10 mil caminhões de carga, que deixarão de circular por essas vias, por dia. O trecho inaugurado hoje liga Itaguaí, na Região Metropolitana, a Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que faz conexão com a Rio-Petrópolis (BR-116) até Magé, e de lá, a BR-493 até Manilha, em trecho que está sendo duplicado. Ao todo são 145 quilômetros de estrada.

Produtor e consumidor também ganham com o Arco Metropolitano. O frete fica mais barato. A estimativa é que a obra reduza em até 20% os custos de transporte de mercadorias entre o Porto de Itaguaí e os estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, e o Distrito Federal. O impacto do PIB do Estado será de R$ 1,8 bilhão. E mais de 10 mil empregos diretos gerados.

Durante as obras foram realizadas três mil desapropriações. Sítios arqueológicos também foram descobertos com as escavações, 68 pra ser mais exato. E foi preciso, ainda, construir oito viadutos sobre dutos da Petrobras e dois outros sobre um lago em Seropédica, para não pôr em risco o habitat da rã Physalaemus soarei, espécie rara, ameaçada de extinção.

Foram retiradas e catalogadas pelo Instituto de Arqueologia Brasileira mais de 50 mil peças inteiras e fragmentadas no decorrer do trajeto e nas cercanias da rodovia, entre carimbos africanos, louças europeias dos séculos XVI, XVII, XVIII e XIX, sambaquis, louças chinesas e até urnas funerárias na cultura tupi-guarani. Peças com mais de até dois mil anos de existência.

Ainda é preciso a construção de 25,5 quilômetros de rodovia sob responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), que devem ficar prontos em 2016. O Arco Metropolitano é o maior desafio rodoviário do estado. Numa ponta tem o Comperj, na outra, o Porto de Itaguaí, que deve se tornar o segundo maior porto do Brasil.

Um fim de semana de ações

Esse fim de semana, com certeza, foi marcado de grandes e importantes realizações em Niterói e no Rio de Janeiro.

No sábado, dia 28, ao lado do governador Pezão, pude ver o quanto os moradores do Morro do Cavalão, em São Francisco, ficaram satisfeitos com a inauguração da 5ª Companhia Destacada da Polícia Militar na comunidade. Mais um reforço na segurança da cidade, que soma no combate à violência em Niterói.

Depois foi a vez de inaugurarmos no Fonseca, na Rua Teixeira de Freitas, a Clínica da Família Doutor Antônio Peçanha, construída com recursos de mais de R$ 1,3 milhão do Governo do Estado, que vai atender cerca de 10 mil pessoas por mês nas áreas de Clínica Médica, Ginecologia, Cardiologia Pediatria e Urologia. Essa é a sétima das 59 Clínicas da Família que que deverão ser inauguradas.

E ainda inauguramos 15 novas ruas em Piratininga que foram contempladas pelo Programa Bairro Novo, da Secretaria de Estado de Obras. Ao todo, serão 25 vias asfaltadas, numa extensão de aproximados sete quilômetros e investimento de mais de R$ 11 milhões do Governo do Rio.

Também não paramos no domingo (29). O dia começou cedo com a Convenção do PSL (Partido Social Liberal), na Tijuca. Em seguida fomos até Irajá, para inaugurarmos, junto com prefeito Eduardo Paes, o Morar Carioca, projeto da Secretaria de Habitação, que vai beneficiar quem mora na Comunidade Vila São Jorge (Para Pedro). Uma bela iniciativa que vai dar aos moradores mais dignidade e qualidade de vida.

De lá, fomos a Belford Roxo onde comemoramos, junto com a população, 12 ruas do Bairro Nova Aurora, que receberam pavimentação, drenagem e asfalto do Programa Bairro Novo. Mais qualidade de vida para os moradores da Baixada Fluminense!

E ainda pudemos prestigiar a Convenção do PMN (Partido da Mobilização Nacional), no Centro. Só paramos depois de uma vistoria nas obras do Arco Metropolitano, uma das maiores e mais importantes obras viárias do estado, que será inaugurada na terça-feira, dia 01.

Bom mesmo é assim, quando o dia nos rende grandes ações!

Estado e União negociam novo trecho para o Arco Metropolitano

Na terça-feira (26), o jornal O Globo repercutiu a matéria sobre o pacote de obras que o Estado está negociando com a União. Entre os projetos, está a possível ampliação de um dos maiores empreendimentos do Governo do Estado até o momento, o Arco Metropolitano.

Na tentativa de aliviar o intenso tráfego de veículos e os enormes congestionamentos nos principais acessos da cidade, o projeto pode ser estendido em 15 quilômetros até Venda das Pedras, na junção com a RJ-114, fechando um trajeto até Maricá, em vez de terminar em Manilha, Itaboraí, como havia sido planejado anteriormente.

Além de desafogar o trânsito, outra vantagem será um tempo mais curto de viagem para os motoristas que terão uma alternativa para evitar os congestionamentos de rodovias federais que cruzam o Estado, como BR-116 e BR-101, por exemplo. Melhorias que irão favorecer também os produtores rurais que precisam escoar sua produção para o centro urbano.

O Arco Metropolitano representa um impacto muito positivo para o município do Rio porque vai livrar o tráfego intenso de caminhões. Estima-se que no primeiro ano de operação, 900 mil caminhões deixem de circular pela Ponte Rio-Niterói e a Avenida Brasil, única passagem para o Porto de Itaguaí.

Esse pacote de obras que inclui ainda a duplicação da Rio-Santos até Mangaratiba e um ramal ferroviário ligando o Porto do Rio ao Porto do Açu representa um investimento de R$ 4 bilhões no Estado.

Recuperação de estradas vai beneficiar fluminenses do interior

Há alguns dias, o Governo do Estado do Rio anunciou o investimento de R$ 520 milhões de reais na pavimentação e recuperação das estradas estaduais, principalmente as do interior. O dinheiro provém de um empréstimo do Banco de Desenvolvimento da América Latina.

É a primeira vez na história do Estado que recursos internacionais estão à disposição do Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro (DER-RJ) para realização de obras. A grande novidade será a utilização do asfalto borracha, ecologicamente correto e com durabilidade 60% maior do que o material tradicional.

O empréstimo vai beneficiar também a conclusão do Arco Metropolitano que vai ligar Itaguaí até Itaboraí. A nova via vai tirar o fluxo de veículos de carga e de passagem de dentro da Região Metropolitana.

Fico feliz pela iniciativa e empenho do vice-governador Pezão em recuperar nossas rodovias. Por ser um homem do interior, ele tem a percepção das necessidades dos fluminenses. A boa qualidade das estradas é fundamental para o trânsito das pessoas entre os municípios e para a Região Metropolitana. As melhorias vão favorecer especialmente os produtores rurais que precisam escoar sua produção para o centro urbano.

Outra vantagem será o aumento da segurança. Rodovias em bom estado preservam vidas. E também diminui o custo do transporte de cargas.