A ciência em favor da saúde

Quero aproveitar este espaço do blog para repercutir uma conquista importante do Instituto Vital Brazil (IVB) nesta última semana: a produção do lote piloto da Octreotida, uma solução injetável utilizada no tratamento da acromegalia que atinge mais de sete mil brasileiros.

A acromegalia é uma síndrome rara causada pelo aumento do hormônio de crescimento (GH), que causa crescimento desordenado nas partes do corpo como mãos, pés e face. Dados do Ministério da Saúde, de 2008, apontavam para sete mil pacientes com essa doença no Brasil.

A produção de Octreotida acontece em parceria entre o IVB, a UFRJ e a Hygeia Biotech, empresa de base tecnológica, fundada em 2007, que busca atuar na transposição da escala de pesquisa para a industrial, em parceria com entes produtivos públicos e privados. E parte da pesquisa também foi financiada pelo Governo do Estado.

O medicamento é uma das parcerias de desenvolvimento produtivo assinados com o Ministério da Saúde para entrega à população por meio do SUS. A produção da Octreotida faz parte de um termo de compromisso entre o Vital Brazil e o Ministério da Saúde, firmado em abril de 2010, que garante a compra do medicamento produzido pelo instituto.

Esse acordo prevê a fabricação verticalizada, que é o desenvolvimento do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), produção e registro do medicamento. Para 2015, o projeto prevê o fornecimento dessa apresentação (injetável) para o Ministério da Saúde ainda com IFA importado e, a partir de 2018, com o IFA produzido no Brasil.

O Ministério da Saúde, por meio desses acordos de compromisso, estimula a produção nacional de insumos farmacêuticos ativos e medicamentos dentro de uma estratégia do que ele precisa comprar, que garanta a independência tecnológica. Historicamente, o Brasil depende de aproximadamente 85% de IFAs estrangeiros.

Este é, sem dúvida, mais um grande passo da ciência em benefício da saúde. Grande conquista que merece ser divulgada.

A aprovação do Plano de Cargos, Carreira e Salários na Câmara e a valorização do professor

Na última quinta (28), a Câmara de Niterói aprovou o Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) dos profissionais da rede municipal de ensino. Uma importante conquista para nossos professores, a qual não poderia deixar passar em branco.

A proposta que cria o PCCS foi aprovada por 15 votos a favor e cinco contra e prevê alguns benefícios. Entre eles um adicional ao salário do servidor de 5% a partir de janeiro do próximo ano. Em 2015, esse percentual será de 10% e, em 2016, 15%, independente da melhoria salarial que a categoria irá receber.

O PCCS também inclui as merendeiras e auxiliares de sérviços gerais que vão passar a receber insalubridade pelos trabalhos que realizam. Servidores aposentados, no entanto, só terão direito às melhorias a partir de 2017.

Sempre defendi a causa educacionista, em todas assuas esferas. É uma das principais bandeiras do PDT. Penso que educação deve ser o primeiro e maior investimento em qualquer país. Trata-se da base principal para o nosso desenvolvimento e para o fim das desigualdades sociais.

A aprovação do PCCS é uma resposta positiva aos muitos servidores que reivindicavam um plano que pudesse oferecer melhorias nos cargos e salários e que pudesse corrigir injustiças históricas. A educação é direito fundamental e essencial do ser humano. E não existe educação de qualidade sem a valorização do professor.

Lutar é questão de sobrevivência

Todos nós sabemos que sem luta não há conquista, não há amadurecimento. Se nenhum de nós lutasse pela igualdade do direito pleno, quantas pessoas estariam ainda hoje amargurando o jugo da imposição?

Lutar é imprescindível. E não é uma questão de escolha. E sim, de sobrevivência.

No entanto, nenhuma luta será bem-sucedida sem mobilização. E toda e qualquer luta necessita de determinação. Mobilização, determinação e organização são conceitos que precisam ser trabalhados ao mesmo tempo, pois eles estão interligados.

Lutar sem mobilização é luta de poucos e se torna irrelevante. Lutar sem organização é luta sem bandeira e sem proposta, portanto facilmente combalida.

Organizar-se e mobilizar-se permanentemente é o maior desafio de qualquer movimento consciente. As grandes distâncias existentes para a comunicação entre as pessoas foram rompidas. Com o advento da internet nos falamos aqui, agora, já, imediatamente, sem perda de tempo, levando nossas ideias para além dos antigos horizontes.

Não são poucos os exemplos bem sucedidos de mobilização através da rede. Temos o dever de aprender com esses exemplos e construir um caminho que possibilite ampliar nossa organização e nossa determinação. Tendo sempre em mente que nosso objetivo maior é lutar pela educação do povo do nosso Estado. Proporcionando a todos, e em especial à imensa juventude, alcançar seus objetivos, transformando-os em conquistas para um futuro digno.

Esta luta não é uma questão de escolha. É uma questão de sobrevivência.