Minha eterna gratidão

Há quase meio século, em momentos de profunda crise política e ideológica vivida por nosso país, dona Lúcia Gonçalves e marido Dalton, dois grandes educadores, foram irreverentes contra o poder hegemônico da época, semeando com ousadia e muita determinação um diferencial no segmento da educação: a querida Aldeia Curumim. No último dia 14, dona Lúcia nos deixou fisicamente, indo provavelmente se juntar ao seu Dalton que partiu primeiro…

Com toda a sua sabedoria, dona Lúcia nos deixa um rico legado de coragem, inovação e determinação. Sem dúvida, seu projeto uniu muitas vidas e uma família inteira a outras tantas famílias e vidas, todos juntos enraizados para alimentar o sonho de tantas crianças que buscavam ser únicos, saboreando conhecimentos com liberdade, responsabilidade e alegria, alinhados ao convívio da natureza que se fez viva dentro de cada um.

Dona Lúcia incentivava que se olhasse fundo nos olhos dos alunos, percebendo cada alma para se conhecer os seus sonhos e suas necessidades, desvelando suas grandes potencialidades em um clima humanitário de muita solidariedade. Uma prática educativa ancorada em estudiosos do ser humano, como Maria Montessori, Jean Piaget e Paulo Freire. Como uma grande árvore, a Aldeia foi acolhendo amorosamente muitos corações ávidos de escuta e partilhas sinceras, como o meu.

Na Aldeia, aprendemos a viver na integralidade, a ser cidadãos éticos e sensíveis, a agirmos de forma política e participativa, respeitando cada um em sua diferença. Éramos alertados para isso o tempo todo, até mesmo nas pequenas caminhadas, quando nos convidavam a observar atentamente a fila de formigas trabalhadeiras em sua longa trajetória. Muito bom aprender assim, tendo responsabilidades com tudo ao nosso redor e entendendo o real sentido da própria vida. À dona Lúcia, vencedora no seu projeto de vida, a minha eterna gratidão.

Dupla escola: um diferencial na formação do aluno

Alunos com maior foco de atenção e mais bem preparados para o futuro são alguns dos benefícios do ensino de uma segunda língua nas escolas. E em 2014 as escolas bilíngues ganharam um reforço vindo da rede pública: a Dupla Escola. Um projeto que tem dado certo.

O CIEP 449 Governador Leonel de Moura Brizola, em Charitas, foi o pioneiro do projeto e abriu suas portas em janeiro deste ano para ganhar o título de primeira escola pública bilíngue de ensino médio do país, fruto da parceria entre os governos estadual e francês.

Com aulas das 7h às 17h, em tempo integral, o CIEP 449 Governador Leonel de Moura Brizola, por enquanto, possui três turmas de 1º ano que, por meio do ensino médio intercultural, assistem a duas aulas dadas em francês: a de biologia e a de cidadania.

Em agosto, acompanhando Pezão em uma agenda de campanha em Niterói, visitamos o CIEP 449 e vimos o quanto os alunos estão felizes e aproveitando essa oportunidade. A Dupla Escola é uma importante relação de troca, e uma grande conquista para a nossa Educação, referência para todo o estado.

O CIEP 449 é uma das 26 unidades do programa Dupla Escola. Um importante passo na promoção da educação de mais qualidade. E, sem dúvidas, é um grande diferencial na formação dos nossos alunos. Um projeto que merece o nosso prestígio e que sempre terá espaço no meu blog.

Um salto na Educação do Rio

Quando o Governo do Estado assumiu o compromisso de nos colocarmos entre os cinco primeiros classificados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (o Ideb), eu acreditei. E chegamos lá! O Rio passou do 15º para o 4º lugar no ranking, recebendo a terceira melhor nota de todo o país. Um grande salto na educação que merece o nosso aplauso.

Recebi essa notícia com muita felicidade. A educação sempre esteve entre minhas frentes de atuação desde a época de vereador. Esse resultado é fruto de muito trabalho. Um trabalho que não pode parar. Sabemos que ainda há muito a ser feito pela nossa educação. Mas estamos crescendo e isso é o mais importante.

A nível de conhecimento, o Ideb é um indicador geral da educação nas redes pública e privada, criado em 2007, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). São levados em conta dois fatores que interferem na educação: o rendimento escolar e as médias de desempenho na Prova Brasil. O resultado é divulgado a cada dois anos, com metas projetadas até 2022.

A qualificação profissional em destaque

Hoje fiz uma visita especial ao Núcleo Avançado de Educação em Tenologia de Alimentos e Gestão de Cooperativismo (NATA), implementado no Colégio Estadual Comendador Valentim dos Santos Diniz, no Colubandê, em São Gonçalo.

O NATA é um projeto realizado por meio da parceria entre o Governo do Estado e o Grupo Pão de Açúcar, que une educação, pesquisa e indústria. Um novo modelo de ensino integrado com formação profissional no setor alimentício.

Os cursos oferecidos pelo NATA têm duração de três anos em horário integral, das 7h às 17h30. A primeira formação profissional oferecida, Leite e Derivados, surgiu em agosto de 2009, hoje com 240 alunos.

Em 2010, a escola passou a oferecer também a formação profissional em Panificação e Confeitaria, que conta atualmente com 120 matriculados. E estão em planejamento mais duas formações profissionais: Manipulação de Vegetais e de Embutidos.

A estrutura do colégio conta com salas de aula multimídia, sala de informática, sala de artes, quadra poliesportiva, espaços para convivência dos alunos, refeitório, laboratório de microbiologia, laboratório de físico-química, usina piloto de laticínios e usina piloto de panificação.

Os profissionais formados pelo NATA são jovens concluintes do Ensino Médio que participaram da formação profissional na área de alimentos e possuem conhecimento especializado para ingressar no mercado de trabalho como técnicos.

A escola, que foi classificada em 1º lugar no município de São Gonçalo e em 3º no Rio, no ranking de escolas estaduais do Enem 2012, formou seus primeiros 91 alunos em técnicos de alimentos em 2011. E no ano seguinte, foram mais 94 formandos.

Com as oportunidades geradas pela formação no NATA, os novos técnicos chegam a duplicar a renda mensal de suas famílias, além de incentivar muitos ex-alunos a seguirem para o ensino superior. Dentre eles, 45% ingressaram em diversas universidades do Rio de Janeiro. É educação de qualidade fazendo a diferença.

Uma nova conquista para os moradores do Preventório

Os moradores do Morro do Preventório, em Charitas, que, no início de agosto, foram contemplados com a regularização das suas casas por meio dos títulos de posse que foram entregues pelo Governo do Estado, ganharam agora um espaço para cursos profissionalizantes.

É o Centro de Oportunidades e Cidadania (COC), iniciativa da Prefeitura de Niterói em conjunto com o Instituto Sete, uma ONG que, há sete meses, atua na comunidade ministrando cursos para alunos da comunidade.

Com esse novo espaço, o instituto poderá ampliar o número de vagas (de 60 para 200) e aumentar a oferta de cursos, em parceria com o Senai e o Senac. E, além de cursos como de panificação e eletrônica, serão oferecidas aulas de música e pré-vestibular comunitário.

Uma iniciativa como essa vai beneficiar, e muito, quem mora no Preventório. Há todo um trabalho de integração social e prevenção, também, já que oferece aos jovens – por vezes sem quaisquer perspectivas de futuro – um campo de oportunidades que podem fazer toda a diferença.

O sucesso da Dupla Escola em Niterói

Na última quinta-feira, dia 21, acompanhando Pezão em uma agenda de campanha em Niterói, pude voltar ao CIEP 449 Governador Leonel de Moura Brizola, em Charitas, que desde janeiro oferece ao alunos o curso de Ensino Médio Intercultural Brasil-França.

O que mais me chamou atenção foi ver o brilho nos olhos e o sorriso estampado no rosto de cada aluno. Pude ver neles a certeza de um futuro melhor vindo da educação. Isso é recompensador. E mostra que estamos no caminho certo investimento na educação, e de qualidade.

Termos, em Niterói, uma unidade de ensino como essa é motivo de orgulho. É uma grande conquista para a Educação, e serve de referência para todo o estado. Uma importante relação de troca, já que as escolas francesas são nossas parceiras e também estudam a nossa cultura.

O CIEP 449 é uma das 26 unidades do programa Dupla Escola e a primeira escola bilíngue de nível médio em horário integral no Brasil. Antes apagada e sem vida, a nova fachada da unidade traz as cores da bandeira da França. A escola está linda!

Um grande feito que merece o nosso prestígio!

Pela federalização da educação básica brasileira

Entrou na pauta da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado o projeto do senador Cristovam Buarque que determina a realização de plebiscito nacional para consultar o eleitorado brasileiro a respeito da transferência para a União da responsabilidade pela educação básica. A ideia é que uma pesquisa seja feita já no primeiro turno das eleições, em outubro.

Cada pessoa que for entrevistada deverá responder, com sim ou não, à seguinte questão: “O financiamento da educação básica pública e gratuita deve passar a ser da responsabilidade do governo federal?”. Atualmente, estados e municípios são responsáveis por cerca de 80% dos recursos destinados à educação, enquanto a União participa com apenas 20%.

Como consequência, há disparidades na infraestrutura escolar pelo país afora: incapacidade de diversos governos estaduais e prefeituras para honrar o piso salarial dos professores; lacunas na oferta de vagas em creches; e a inexistência de um padrão nacional mínimo de qualidade.

Se o projeto for aceito, o Congresso comunicará ao TSE, que expedirá instruções para a realização do plebiscito. Vale explicar que federalizar não significa centralizar a gerência da educação básica nas mãos do governo federal, mas garantir a responsabilidade da União pelo seu financiamento.

A luta pela federalização da Educação Básica tem o meu apoio! Só a educação é capaz de fazer com que todos os cidadãos tenham o preparo necessário para que, no futuro, possam alcançar melhores condições de uma vida digna. Educação de qualidade é um direito de todos. Uma das minhas principais bandeiras de luta. Uma luta iniciada por Leonel Brizola.

A luta pela federalização da Educação Básica brasileira tem o meu apoio!

Paralelo ao meu retorno oficial à Alerj, nesta semana, foi instalada no Congresso Nacional, na última terça, dia 8, uma frente parlamentar composta por deputados federais e estaduais, senadores e vereadores de diversos partidos em defesa da Federalização da Educação Básica.

A frente é articulada pelo senador Cristovam Buarque (PDT-DF) e pelo deputado federal André Figueiredo (PDT-CE), conta com adesão de 214 parlamentares no Congresso – sendo 32 senadores e 182 deputados – e luta pela educação de máxima qualidade para todos.

Essa frente parlamentar tem o objetivo de fomentar essa luta, para que toda criança e adolescente, independente de sua condição social e da cidade onde reside, tenha garantido o acesso à educação integral de qualidade. Uma educação que seja de responsabilidade da União.

A ideia do senador Cristovam Buarque é criar frentes estaduais de apoio a essa federalização em todo o Brasil, a fim de fortalecer a causa. Educação de qualidade é um direito de todos e, como muitos sabem, é uma das minhas principais bandeiras de luta. Uma luta iniciada por Leonel Brizola.

E como não poderia deixar de contribuir com esse ato, sem dúvidas, essencial para atender milhares de crianças e jovens, vou trabalhar para a criação de uma frente estadual que possa somar forças a esse manifesto. Um dos mais importantes no país. E tenho a certeza da sua aprovação.

Só a educação é capaz de fazer com que todos os cidadãos tenham o preparo necessário para que, no futuro, possam alcançar melhores condições de uma vida digna. Por isso é uma das principais causas que defendo. A luta pela federalização da Educação Básica tem o meu apoio!

A aprovação do Plano de Cargos, Carreira e Salários na Câmara e a valorização do professor

Na última quinta (28), a Câmara de Niterói aprovou o Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) dos profissionais da rede municipal de ensino. Uma importante conquista para nossos professores, a qual não poderia deixar passar em branco.

A proposta que cria o PCCS foi aprovada por 15 votos a favor e cinco contra e prevê alguns benefícios. Entre eles um adicional ao salário do servidor de 5% a partir de janeiro do próximo ano. Em 2015, esse percentual será de 10% e, em 2016, 15%, independente da melhoria salarial que a categoria irá receber.

O PCCS também inclui as merendeiras e auxiliares de sérviços gerais que vão passar a receber insalubridade pelos trabalhos que realizam. Servidores aposentados, no entanto, só terão direito às melhorias a partir de 2017.

Sempre defendi a causa educacionista, em todas assuas esferas. É uma das principais bandeiras do PDT. Penso que educação deve ser o primeiro e maior investimento em qualquer país. Trata-se da base principal para o nosso desenvolvimento e para o fim das desigualdades sociais.

A aprovação do PCCS é uma resposta positiva aos muitos servidores que reivindicavam um plano que pudesse oferecer melhorias nos cargos e salários e que pudesse corrigir injustiças históricas. A educação é direito fundamental e essencial do ser humano. E não existe educação de qualidade sem a valorização do professor.

Fim da greve na rede estadual de ensino

Na quinta (24), depois de dois meses, foi aprovado o fim da greve dos professores da rede estadual de ensino do Rio. O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe), no entanto, determinou parar as atividades, mais uma vez, caso não seja cumprido o acordo firmado com o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Dentre o que ficou acertado entre as partes, em 2014, será feita uma revisão do Plano Estadual de Educação. As faltas com motivo de greve serão abonadas. Será criado um Grupo de Trabalho (GT) para debater temas de relevância para a categoria como a questão da carga horária de trabalho e a criação de um Conselho Escolar (CEC) no prazo de 90 dias.

O que também ficou definido no acordo é que não haverá corte do ponto nos salários em relação aos dias parados. E que os governos estaduais e municipais terão de devolver os valores já descontados e que os professores deverão repor os dias parados. A decisão pelo fim da greve surgiu após a assembleia realizada ontem depois de mais de três horas de debates.

Pesou na decisão da maioria, também, a conclusão firmada na última terça, dia 22, num encontro entre o Sepe e o STF, em Brasília, onde foi avaliado o arquivamento, sem punição, dos processos administrativos, inquéritos ou sindicâncias contra os servidores em greve. Agora, os professores devem começar a encaminhar a forma como será feita a reposição das aulas, que poderá ser, inclusive, nos fins de semana.

Os professores da rede municipal também optaram pelo fim da greve depois de mais de cinco horas de reunião e três votações. Caberá à direção de cada escola avaliar e elaborar o plano re reposição das aulas. Os alunos que ficaram sem aulas vão receber recuperação emergencial de aprendizagem por reforço escolar e, também, de leitura e dever de casa com material preparado para a reposição.

A educação é direito fundamental e essencial do ser humano. E não existe educação de qualidade sem a valorização do professor. Penso que educação deve ser o primeiro e maior investimento em qualquer país, pois, é base fundamental para o desenvolvimento e a formação de todos os cidadãos. E para o fim das desigualdades sociais.