Luiz Fernando Pezão para Niterói: a mudança só começou

Começou a circular o caderno de campanha do Pezão com as propostas de governo voltadas para Niterói. Com orgulho, quero falar de três ações em especial, que são frutos de causas que sempre defendi, e que foram agregadas ao Plano de Governo.

O policiamento comunitário, por exemplo, é luta antiga minha para a área de segurança pública. Uma iniciativa inicialmente implantada em Santa Rosa e depois estendido para outros bairros da Zona Sul, da Zona Norte e da Região Oceânica, mas que com o passar dos anos sofreu revezes até ser desativado.

Além das três Companhias Destacadas, as Delegacias Legal e a Divisão de Homicídios instaladas em Niterói intensificando as ações de segurança na região, com Pezão eleito, além de três Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) implantadas, vamos ter o retorno do policiamento comunitário nas ruas da cidade.

Outra grande proposta é a revitalização do Horto, no Fonseca, que vai ser transformado em uma extensa área de lazer para a população. O Palácio Euclides da Cunha será restaurado e vai abrigar uma Biblioteca Parque, nos mesmos moldes das que existem na Rocinha e em Manguinhos, com acervo literário, oficinas e plataformas multimídia.

A reforma do Caio Martins também está em pauta. Com Pezão, o estádio vai ser revitalizado e transformado em um parque para a toda a família. Esse novo espaço terá atividades de lazer e de esportes gratuitas para todas as idades, além de ampla infraestrutura com vestiários, acesso à internet, pistas de skate e quadras diversas. Niterói terá um complexo de lazer e esporte.

Esse, inclusive, é um desejo antigo meu, que trouxe pra discussão quando concorri à prefeitura de Niterói. O Caio Martins é importante para o esporte, para a cidade e faz parte da nossa história. E de vital importância na formação de atletas. Essa reconquista é um direito dos niteroienses!

É por esses e outros motivos que é importante elegermos Pezão. E para que isso aconteça, é essencial estarmos juntos, unidos nesse objetivo. Eleger Pezão é fundamental para garantir que sigamos no rumo certo. É a continuidade de um processo de mudanças profundas e grande relevância no nosso estado. A mudança só começou.

O desencanto dos jovens pela política

Os mesmo jovens que, há um ano, foram às ruas pedir mudanças na política do Brasil, são os mesmos que não tiraram título de eleitor e deixarão de exercer sua cidadania nas próximas eleições de outubro. Ou, pelo menos, parte deles. Segundo informações do IBGE, apenas 25% dos brasileiros com 16 e 17 anos regularizaram sua situação e poderão votar.

Desde 2006, esse índice vem registrando quedas sucessivas. Naquele ano, o grupo de eleitores facultativos (menores de 18 anos) representava 39% da população nessa faixa etária. Em 2010, encolheu para 32%. Hoje, esses 25% representam apenas um quarto da população nessa faixa etária. Um resultado que mostra o quanto a juventude brasileira está indiferente em relação às urnas.

Ao que parece, aqueles que agora teriam o direito de eleger seus representantes demonstram não acreditar no direito de escolha como meio de transformação do país. Eis, então, que surge um cenário totalmente novo na história. Pela primeira vez o Brasil terá mais eleitores idosos, com mais de 60 anos, do que com idades entre 16 e 24 anos. O que pode influenciar os rumos das políticas públicas.

A conclusão que fica ao analisar a queda do número de títulos tirados pelos adolescentes de 16 e 17 anos é que os jovens parecem desinteressados pela política. Há um descontentamento. A política nacional não está conseguindo atingi-los. Eles não se sentem representados politicamente. Preferem ganhar tempo.

Penso que a participação ativa e construtiva do jovem na busca por um novo tipo de comprometimento político é um motor potente para a sociedade, que ganha em democracia e na capacidade de enfrentar os problemas que a desafiam. Se por um lado há o descrédito dos jovens brasileiros nos políticos, por outro existe a certeza do quanto esse voto pode fazer a diferença nas urnas.

Os jovens precisam acreditar que podem mudar a política e escolher o futuro do nosso país. Se todos se conscientizarem que só participando intensamente conseguirão mudar este estigma, a esperança irá prevalecer.

Estamos na reta final do recadastramento biométrico

Estamos há poucos dias .para o término do prazo do recadastramento biométrico em Niterói. Até o dia 31/10, aqueles que ainda não regularizaram sua situação, devem procurar o posto de atendimento mais próximo, munidos com identidade, comprovante de residência, título de eleitor e o CPF.

Importante lembrar que o recadastramento é uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e, nas urnas, o sistema vai substituir o título de eleitor. Quem não comparecer até a data de encerramento, não poderá votar em 2014 e terá o documento automaticamente cancelado. Não poderá tirar passaporte e CPF, nem prestar concursos públicos e obter empréstimos em bancos oficiais.

Desde abril, a medida do recadastramento biométrico está sendo realizada em diversos pontos estratégicos da cidade. No Ginásio Caio Martins, o atendimento acontece de segunda à sexta, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 14h. No Fórum da Região Oceânica, o serviço é oferecido das 11h às 18h. A Central de Atendimento ao Eleitor (CAE), no Centro, funciona durante a semana das 11h às 19h.

Tem ainda o atendimento realizado no Centro Cultural da Justiça Eleitoral, no Centro do Rio, que acontece também de segunda à sexta, das 11h às 19h. Para agilizar o processo, dois ônibus do Tribunal Regional Eleitoral (TER) do Rio de Janeiro ficarão à disposição dos eleitores no Horto do Barreto até o dia 31. O atendimento vai acontecer de segunda à sexta, das 9h às 17h.

No próximo ano, vamos eleger novos governantes para o Brasil. Não deixe de participar do processo de recadastramento. Não perca o direito de exercer a sua cidadania.

Não esqueça o recadastramento biométrico!

No dia 31 de outubro se encerra o prazo para o recadastramento biométrico em Niterói. E uma considerável parcela dos moradores ainda não regularizou sua situação. Nas urnas, esse sistema vai substituir o título de eleitor. E que quem não adotar o novo sistema terá o documento automaticamente cancelado.

Com isso, o eleitor de Niterói além de ficar impedido de votar nas próximas eleições, não poderá tirar passaporte e CPF, nem prestar concurso público e obter empréstimos em bancos oficiais. Se for funcionário público, não poderá receber remuneração, nem renovar matrícula em universidades. Por isso é importante ficarmos atentos!

A medida do recadastramento biométrico é uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e está sendo realizada desde abril em pontos estratégicos da cidade e também no Centro do Rio.

Além do posto instalado no Caio Martins, que funciona de segunda à sexta, das 9h às 17h, e no sábado, das 9h às 14h, há ainda três outros postos de atendimento. A Central de Atendimento ao Eleitor (CAE), na Rua Visconde de Sepetiba, no Centro, fundos da Prefeitura, funciona durante a semana das 11h às 19h. No Fórum da Região Oceânica, o serviço é oferecido das 11h às 18h. E no Centro Cultural da Justiça Eleitoral, no Centro do Rio, o horário de funcionamento é das 11h às 19h.

Votar é mais que um exercício de cidadania. É a garantia da participação popular no sistema político brasileiro, um tema tão em voga nos últimos meses.

Atenção para o recadastramento biométrico

Hoje vou chamar atenção para um ponto importante que os eleitores de Niterói devem estar atentos: o recadastramento biométrico. A medida é uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e está sendo realizada desde abril em pontos estratégicos da cidade e também no Centro do Rio. No entanto, são poucos os que já procuraram os postos para cadastrarem suas digitais.

Três meses depois de dar início ao processo de cadastramento, foram contabilizados 154 mil registros, mas o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), calcula que ainda faltam 200 mil eleitores. Uma das possibilidades analisadas pelo órgão para estimular as pessoas é redefinir os locais dos postos de atendimento. Mas o prazo para o recadastramento prevalece. Vai até o dia 31 de outubro.

Nas urnas, esse sistema vai substituir o título de eleitor. Lembro que quem não adotar o novo sistema não poderá votar em 2014 e terá o título automaticamente cancelado. Votar é, além de um exercício de cidadania, a garantia da participação popular no sistema político brasileiro, um tema tão em voga nos últimos meses.

Os eleitores podem se cadastrar no Caio Martins, das 9h às 17h; no Fórum da Região Oceânica, em Pendotiba, das 11h às 18h; e no Centro Cultural da Justiça Eleitoral, no Centro do Rio, das 11h às 19h. Sendo que nos dois últimos, é necessário agendamento pelo site www.tre-rj.jus.br. Não esqueça de levar identidade, comprovante de residência, título de eleitor e o CPF.

Muito obrigado!

Agradeço a todos pelo voto de confiança depositado em mim hoje na urna. Exatos 88.660 eleitores acreditaram na renovação, na possibilidade de começar uma nova história em Niterói. Com 32,96%, conquistamos o direito ao segundo turno.

Fiquei muito feliz com o resultado. Até maio, não imaginava participar desta eleição. Com a desistência do atual prefeito em disputar a reeleição, os meus fiéis eleitores e os militantes do partido pediram a minha candidatura e se mobilizaram para viabilizar o meu nome nesta disputa.

Muitos obstáculos estavam neste caminho. A cidade não me conhecia, a atual administração conta com aprovação baixíssima e nosso principal adversário já vinha construindo sua campanha há 5 anos. Digo com convicção que todas as barreiras estão sendo ultrapassadas com o apoio de cada um de vocês.

Muitos cantaram vitória achando que iam nadar de braçada. Não acreditaram que a cidade desejava uma alternativa de gestão e de política. A votação de hoje mostra, mais do que a vontade de mudar, que dinheiro não é tudo.

É por esse motivo que convido a todos que agora leem este texto a participar junto comigo desse processo de renovação. Participe desta onda propositiva e ajude a levar a cada canto de Niterói minha história de luta pela cidade e as minhas propostas. Vamos juntos tornar a cidade mais transparente, mais eficiente e mais humana. Vamos para a vitória! Niterói é 12!

2012: o ano da Ficha Limpa

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) propôs, esta semana, uma parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil e os presidentes das seccionais da OAB, a fim de garantir a efetiva aplicação da Lei da Ficha Limpa durante as Eleições 2012. O objetivo é atuar em todos os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e conscientizar o cidadão de que a aplicação da lei só depende dele.

A Lei da Ficha Limpa surgiu por iniciativa popular. Concordo com a ministra Carmen Lúcia Antunes Rocha, presidente do TSE, quando disse que “todas as leis do mundo não substituem a honestidade e a dignidade de cada pessoa”. Por isso é importante essa atenção maior no eleitor para que o voto seja comprometido com o interesse público, que seja um voto limpo.

A transparência está longe de acabar com a corrupção, mas pode ajudar os eleitores a tornarem o cenário político um pouco mais honesto. O voto consciente é garantia da eficácia da lei e representa a concretização dos objetivos dessa nova legislação.

A importância dos jovens no processo eleitoral

Em outubro, teremos eleição para prefeito, vice-prefeito e vereadores. Momento oportuno para o cidadão participar da política de sua cidade. Mais que um direito, o voto é um dever. Dever de exercer a cidadania. Tivemos conquistas, como a aprovação da Lei da Ficha Limpa, que já ampliam as condições para que as pessoas voltem a acreditar na política.

Há, no entanto, um certo desencanto dos jovens pela política até em função do que está sendo apresentado com tantos casos de corrupção. Se por um lado há o descrédito nos políticos, por outro existe a certeza do quanto esse voto pode fazer a diferença nas urnas. Os jovens precisam acreditar que podem mudar a política e escolher o futuro do nosso país. Se todos se conscientizarem que só participando intensamente conseguirão mudar este estigma, a esperança irá prevalecer.

Você jovem tem até o dia 9 de maio para tirar o título pela primeira vez, fazer a transferência do domicílio eleitoral ou atualizar o cadastro. Basta comparecer ao cartório eleitoral com um documento de identidade com foto e comprovante de residência. Não deixe para a última hora!

Saiba melhor como funciona o processo eleitoral por meio da Cartilha do Jovem Eleitor, excelente iniciativa elaborada pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo.

A vitória é sua

Suor, lágrimas, gritos, sorrisos. Tudo isso se misturava enquanto comemorávamos o resultado das urnas no último domingo. Reunido com amigos na mesma casa que funcionou de comitê nas minhas 2 eleições anteriores, estava eufórico e tranquilo ao mesmo tempo: o trabalho foi bem feito, o resultado foi positivo.
Na última semana antes das eleições eu estava contemplando a evolução da campanha: começamos com algumas dezenas de apoiadores; chegamos à reta final com centenas de voluntários, além das equipes remuneradas. O que tornou isso possível não foi nenhuma “máquina eleitoral”. Foi a conscientização dessas pessoas do papel que elas podem exercer na política.
É difícil definir o momento exato, mas quando percebemos, nossa campanha já havia se tornado um movimento pela transformação da política como conhecemos. E se isso aconteceu foi porque as pessoas se identificavam com uma campanha da qual elas podiam fazer parte: uma campanha transparente, militante e agregadora.
Sempre afirmei que só acredito em política com participação. Não há outra forma de buscar a transformação da nossa realidade.
Não é à toa que nossa campanha foi vitoriosa, quando toda a classe política de Niterói nos dava como vencidos. Não é à toa que tivemos 32.855 votos, espalhados por 85 municípios, provando que por todo o Estado do Rio existem pessoas ansiosas pela mudança na forma de se fazer política.
Se a partir de agora estaremos na Assembléia Legislativa lutando pela transformação do nosso Estado, é graças a pessoas como você.
Por isso, mais uma vez, receba o meu muito obrigado.
Um abraço, Felipe Peixoto.