Mais um passo para a remoção das embarcações abandonadas e a recuperação da Baía de Guanabara

Na quarta (21), estive presente em mais uma ação para a retirada das 53 embarcações esquecidas na Baía de Guanabara. Essa é uma operação do Governo do Estado que vai remover todas as carcaças dos barcos abandonados na entrada do Canal de São Lourenço, no Barreto, em Niterói.

Em 2011, quando assumi a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca (Sedrap), tomei como prioridade a ação de permitir o acesso do pescador ao Centro Integrado de Pesca Artesanal (Cipar), pois não faz sentido ter uma estrutura como essa sem que se faça o devido uso. Quando visitei o local para vistoriarmos a área onde seria preciso realizar a dragagem para garantir esse acesso, observei ali os barcos largados, em processo de deterioração.

Percebemos logo que não havia como dar continuidade ao projeto sem antes retirar essa sucata do mar. Foi, então, que fizemos o levantamento desses barcos, fotografamos, marcamos a localização de cada um e entregamos um relatório completo sobre a situação ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e à Capitania dos Portos. Fornecemos dados concretos e fundamentais para a execução do processo hoje em andamento.

Do total dessas embarcações, 28 já foram retiradas. Oito pelo próprio Inea e 20 por iniciativa privada, depois do leilão que aconteceu em julho deste ano, em lote único, no Leiloeiro João Emílio, no Recreio dos Bandeirantes. Quem arrematasse o montante teria até o final do primeiro semestre para retirá-las e ficar com o valor delas.

Essa ação conjunta da Sedrap com a Secretaria de Estado de Ambiente (SEA), o Inea, o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e a Capitania dos Portos faz parte de uma das 12 iniciativas do Plano Guanabara Limpa para a melhoria da qualidade das águas da Baía de Guanabara.

O processo de dragagem começará tão logo sejam retiradas todas as carcaças e está orçado em R$ 15 milhões, divididos entre o Estado do Rio, com participação de R$ 3 milhões, e o Governo Federal com o restante. Com isso, teremos espaço para o tráfego das embarcações e garantiremos a atividade pesqueira que por muitos anos permaneceu ignorada.

Essas embarcações formam um conjunto de problemas para Niterói. Elas atrapalham as manobras dos barcos, oferecendo riscos para a navegação, poluem o ambiente e representam um péssimo cartão de visita. A retirada desse material da Baía de Guanabara será um grande ganho para Niterói que tem 35% do desembarque pesqueiro do Estado do Rio.

Também uma conquista para a população da cidade para a dinamização das atividades do Porto, possibilitando que o pescador possa desembarcar seu peixe, amparado pelas normas sanitárias, até que o produto chegue com qualidade ao consumidor.

Sinal verde para a revitalização do Canto de Itaipu

Assim como foi publicado no jornal Globo Niterói deste domingo, conseguimos sinal verde para dar início ao processo de requalificação urbana das colônias de pescadores no Canto de Itaipu, um dos lugares mais bonitos da Região Oceânica. Esse projeto, estimado em R$ 18 milhões, que terá quatro eixos de ação e deve começar no segundo semestre do ano, será a primeira experiência da Secretaria de Desenvolvimento Regional no sentido de oferecer mais qualidade de vida e trabalho para os pescadores do Estado.

O Canto de Itaipu é tombado pelo Instituo do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e já foi objeto de inúmeros estudos e projetos de revitalização, mas poucos chegaram ao estágio de execução. Por isso estou engajado em tornar realidade o desejo antigo dos pescadores e dos frequentadores do local, que vive sob a ameaça de perder as possibilidades de recuperação. Por isso é tão importante promover o seu desenvolvimento, incentivando suas potencialidades, considerando os aspectos socioeconômicos, culturais e ambientais.

Muitos que procuram na pesca artesanal o sustento de suas famílias, esbarram em condições adversas para o desenvolvimento do seu trabalho, como a precariedade da infraestrutura de apoio à atividade, por exemplo. Boa parte dos assentamentos no entorno das áreas pesqueiras, inclusive, são inadequados. Nosso projeto irá não só aprimorar as condições de vida e trabalho desses profissionais, como, também, preservar e fortalecer a tradição dessas colônias.

O formato aprovado para esse processo de requalificação se baseia em quatro eixos. O primeiro trata da adequação logística e de novas instalações na infraestrutura de apoio à atividade pesqueira. O segundo eixo foi definido após uma avaliação dos assentamentos da comunidade de pescadores de Itaipu que comprovou a necessidade de realocação dessas famílias.

O terceiro eixo consiste no uso sustentável do solo e a na recomposição do conjunto paisagístico e ambiental. Por último, será construída uma praça com quadras poliesportivas e campo de futebol na área onde hoje funcionam estacionamentos irregulares, mudando o acesso à praia. Os motoristas vão poder estacionar seus carros nas 800 vagas que serão criadas nas ruas de Itaipu.

Jurujuba será a próxima contemplada com a reurbanização. Nossa meta é estender esse programa para as colônias de pescadores do Estado do Rio. Os projetos para cada uma delas estão em desenvolvimento.

Niterói festeja São Pedro

Mais uma vez estou participando das festividades em comemoração a São Pedro, o santo padroeiro dos pescadores. O dia começou com a Alvorada Festiva às 5h com a comunidade local, em Jurujuba.

Às 9h assisti a missa celebrada pelo Padre Jô, da Paróquia de São Francisco, com a benção das chaves. Essa missa aconteceu no palco principal da festa e foi uma cerimônia muito bonita.

Em seguida, acompanhei a procissão terrestre. Os pescadores saíram em barqueata até a Urca, onde também ancorou a procissão marítima que veio da Ilha da Conceição. Os barcos seguiram todos enfeitados.

Este ano, durante minha atuação na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, consegui viabilizar uma barca para transportar os fiéis que sempre desejaram seguir em procissão com os pescadores. Foi muito emocionante. Os participantes demonstraram muita devoção e alegria durante o percurso.

E a programação do dia continua. Às 19h30 tem a celebração de uma outra missa e às 21h estarei presente no show católico. Logo depois acontece a queima do quadro de São Pedro. A festa vai até o dia 1º de julho!

Notícias do Norte e Noroeste

Ontem, recebi mais um e-mail da médica veterinária e técnica da Fiperj, Caroline Lisboa, que bravamente está correndo atrás de informações sobre a situação dos municípios e dos pescadores locais para a Fundação e a Secretaria. Como ela, vários outros funcionários do estado que residem nas cidades atingidas passaram o dia em busca de notícias, trocando informações entre eles.

Meus sinceros agradecimentos a toda equipe local pelo empenho e trabalho em não deixar a população desamparada neste momento difícil.

Segue seu relato.

Estamos entrando em contato com as entidades e localidades afim de levantar informações sobre possíveis famílias  de pescadores desalojados, necessitados de apoio.
Conseguimos entrar em contato com a Presidente da Colônia z 21, que nos informou que a situação em Itaperuna está sobre controle. Porém, a situação em Aperibé, Laje do Muriaé e Porciúncula é bastante crítica.
Já em São Fidélis, contactamos a Colônia Z 20, que nos informou que ainda não tiveram problemas com as cheias, mas estão em alerta pois o Rio Paraíba do Sul continua acima do nível.
Em Paraoquena, contactamos o Presidente da Associação, e a informação foi que existem pescadores desalojados e estamos seguindo para a localidade para dar apoio e suporte necessários, assim que obtivermos melhores informações repassaremos as mesmas.
Em todos os contatos, colocamos o Escritório Regional da Fiperj à disposição, lembrando que as eles podem nos telefonar quando for preciso.
Em Santo Antônio de Pádua, a situação é crítica, as ruas já escoaram, porém o nível do Rio Pomba continua alto. Ainda não saímos de estado de alerta, recebemos informações de que o nível da água vai voltar a subir, deixando todos preocupados. Algumas ruas já tem passagem, porém estão repletas de lama. No centro da cidade nada funciona, apesar de não ter mais água nas lojas e bancos. No momento, as pessoas estão limpando e contabilizando os prejuízos.

Niterói festeja São Pedro, padroeiro dos pescadores


Bom Dia Rio (29/06/2011)

Estou desde cedo na Festa de Jurujuba participando de toda a festividade em comemoração ao santo padroeiro dos pescadores, São Pedro. Meu dia começou às 6h assistindo a primeira missa na paróquia de Jurujuba com a comunidade local. Depois fui para Ilha da Conceição assistir a uma outra missa junto com integrantes da Sindicato dos Armadores de Pesca (SAPERJ).
Às 9h, voltei à Jurujuba para assistir a missa com o bispo auxiliar de Niterói Dom Roberto Francisco. Ao final, segui em procissão terrestre até os barcos para partir junto com os pescadores em barqueata até a Urca atravessando a Baía de Guanabara.
Já participei várias vezes da barqueata da Festa de Jurujuba. É ótimo. Os barcos são enfeitados para a procissão marítima e os participantes demonstram muita devoção e alegria durante todo o percurso.
Dessa vez, participei do evento como secretário de Estado, apoiando diretamente a organização. Como gestor da pasta da Pesca, posso articular em favor dos pescadores do Rio de Janeiro e contribuir para desenvolvimento do setor.
Agradeço muito a presença do superintendente estadual do Rio de Janeiro do Ministério da Pesca e Aquicultura, Jayme Tavares, que veio representando o ministro Luiz Sérgio.
E meu dia não acabou. Às 23h, estarei presente na queima do quadro de São Pedro em Jurujuba. Até amanhã!

RJTV 1ªEdição (29/06/2011)

Pescadores do Rio em festa pelo dia de São Pedro

Nos próximos 20 dias, os pescadores do Estado do Rio estarão em festa para celebrar o dia  de seu padroeiro São Pedro (29). É sempre nessa época que os pescadores comemoram os resultados do seu trabalho. Através de feiras e exposições eles se reúnem, trocam experiências e apresentam para a população amostras do que há de melhor na culinária regional.

Com o apoio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca, por exemplo, Angra dos Reis vai realizar, neste feriado, a Festa do Peixe. O evento busca divulgar as atividades de pesca e maricultura da cidade. O resultado os visitantes poderão não somente ver como também provar.  Diversos restaurantes locais especializados em frutos do mar estarão reunidos na Praça Zumbi dos Palmares, também conhecida como Praça do Mercado do Peixe. Para saber mais basta ir ao site oficial da Festa do Peixe.

Na semana que vem, dia 29, será a vez de Niterói iniciar as festividades para o santo padroeiro. A Festa de Jurujuba leva o nome do bairro onde abriga uma das mais conhecidas vila de pescadores da cidade. O dia de São Pedro será comemorado com uma programação religiosa que inclui uma procissão marítima. Nos outros dias até domingo (3), haverá uma tradicional festa junina com direito à música típica e quadrilha.

Na semana seguinte, entre os dias 8 e 10 de julho, a secretaria estará presente na Festa de São Pedro em Itaipú, outro bairro tradicional dos pescadores de Niterói.

Essa é uma boa oportunidade para população do Rio de Janeiro conhecer melhor a vocação pesqueira do Estado e as suas iguarias. Então, tome nota dessas datas e divirta-se!

Naufrágio em Maricá

Lamentável o que ocorreu ontem durante a resseca que atingiu o litoral do Rio de Janeiro. As grandes ondas viraram uma embarcação de pescadores em Maricá quando os mesmo estavam retornando para sua base em Macaé às 3h de domingo. Dos quatro tripulantes, um morreu. Os sobreviventes foram resgatados 8h após o naufrágio.

A informação que tenho é que os pescadores pertencem à Colônia de Macaé. O barco possuía 12 metros de extensão e foi completamente danificado pela força da maré indo à pique. Já fizemos contatos com as colônias de pesca de Maricá e Macaé e a estamos enviando um técnico da Fiperj até Araruama onde está o corpo do pescador. Até onde sabemos ele tinha mais 55 anos.

Lamentamos o falecimento do pescador e estamos buscando a família para dar toda a assistência necessária.