Trilhas e circuitos da Serra da Tiririca

Depois de falar dos investimentos em segurança para a Serra da Tiririca que, recentemente, recebeu uma Unidade de Policiamento Ambiental (UPAm) que vai intensificar o combate aos crimes ambientais e manter a segurança no entorno do local, é a vez de falar das muitas opções de lazer e aventura que o parque oferece aos visitantes e aventureiros.

É muito importante a aproximação das pessoas com a natureza e o incentivo ao desenvolvimento do turismo na região, por meio de trilhas que atraem os moradores locais, regionais e até estrangeiros.

A primeira delas é a trilha no Morro das Andorinhas, de aproximadamente um quilômetro, com 45 minutos de duração que tem vista para a praia de Itacoatiara. Outra boa dica é a escalada no Morro do Tucum (Costão), com 330 metros de altitude, e vista para a praia de Itacoatiara, o Morro das Andorinhas e o Rio de Janeiro.

A Pedra do Elefante é o ponto mais alto de Niterói com vista para as cidades do Rio, Niterói e Maricá, onde é possível chegar depois de 1h30 de caminhada. Na Enseada do Bananal, cercada por rochas que adentram o oceano e formam uma espécie de “castelo das rochas”, são apenas 25 minutos de trilha, também acessível a crianças.

Tem também o Mirante de Itaipuaçu, um dos principais cartões postais do parque que proporciona uma vista única da baixada litorânea de Maricá e da praia de Itaipuaçu. E, por fim, a trilha plana pelo Córrego dos Colibris, com 10 minutos de caminhada de nível leve. O acesso é pela Estrada do Engenho do Mato.

O Parque Estadual da Serra da Tiririca, demarcado em 2007 e administrado pelo Inea, é um grande polo de ecoturismo e lazer de Niterói e Maricá. Uma área muito querida pelos niteroienses e sua preservação vai além de manter a flora e a fauna que a compõe. Niterói tem tudo para se tornar uma cidade onde se possa engrandecer o turismo.

Policiamento Ambiental para a Serra da Tiririca

Ontem foi inaugurada a Unidade de Policiamento Ambiental (UPAm) do Parque Estadual da Serra da Tiririca, a oitava implantada no território fluminense.

Esse novo patrulhamento vai intensificar o combate aos crimes ambientais, manter a segurança no entorno do local, realizar fiscalizações nas ocupações irregulares e monitorar a presença de caçadores.

A UPAm é fruto de uma parceria entre o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), a Secretaria Estadual de Segurança, a Secretaria Estadual do Ambiente (SEA) e a Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca).

Os 28 soldados que vão cobrir a área, todos com experiência no combate aos crimes ambientais, estarão distribuídos em dois turnos para atender as demandas de irregularidades. E uma das principais repressões será contra a invasão de moradores em área de proteção ambiental.

A questão da preservação ambiental é um tema recorrente no meu blog Sempre defendi projetos e ações ligadas à área verde de Niterói. Sou autor, por exemplo, da lei que propõe a criação da Área de Proteção Ambiental da Água Escondida (APA).

Assim como o projeto de lei que propõe o tombamento da Chácara do Vintém, no Bairro de Fátima, que guarda o primeiro manancial de água potável da cidade.

O Parque Estadual da Serra da Tiririca é muito querido pelos niteroienses e sua preservação vai além de manter a flora e a fauna que a compõe, é um ato de cidadania.

Mais ações para o Parque Estadual da Serra da Tiririca

Incentivar a visitação e a prática de atividades ambientais são algumas das ações que deverão acontecer este ano no Parque Estadual da Serra da Tiririca. A ideia é criar um Centro Cultural para que turistas e moradores tenham acesso à arte, fotografia e filmes relacionados ao meio ambiente, com foco na educação ambiental.

Uma série de melhorias já foram realizadas na infraestrutura do parque para receber melhor seus visitantes. E, no primeiro trimestre do ano, vamos ter inaugurada a  Unidade de Polícia Ambiental (UPAm), que vai cobrir toda a área de Niterói e Maricá.

A organização da estrutura do parque é fundamental, também, para oferecer boas condições para a prática do ecoturismo na região, facilitar o trabalho de fiscalização e ajudar na preservação ambiental da área.

A questão da preservação ambiental, inclusive, é um tema recorrente no meu blog. Sempre defendi projetos e ações ligadas à área verde de Niterói. Sou autor, por exemplo, da lei que propõe a criação da Área de Proteção Ambiental da Água Escondida (APA).

É de minha autoria, também, o projeto de lei que propõe o tombamento da Chácara do Vintém, no Bairro de Fátima, que guarda o primeiro manancial de água potável da cidade.

O Parque Estadual da Serra da Tiririca é muito querido pelos niteroienses e sua conservação é um ato de cidadania.

Darcy Ribeiro a um passo de virar parque estadual

Se depender do secretário Carlos Minc, a Reserva Ecológica Darcy Ribeiro passará para a tutela do Governo do Estado. Secretaria de Estado do Meio Ambiente, através do Inea, fazia algum tempo, estava elaborando um estudo para avaliar a possibilidade de anexar a área ao Parque Estadual da Serra da Tiririca.

E isso só ocorreu em função da pressão popular que desejava a conservação da área. Desde que a reserva foi criada, em 1997, por lei municipal, moradores e ambientalistas lutam pela sua preservação. A Reserva Ecológica Darcy Ribeiro é um resquício de Mata Atlântica em nosso estado. É a maior unidade de conservação da cidade de Niterói com mais de 12 Km² o que representa 10% do município. Em alguns locais da reserva, a mata ainda está intocada.

Em meus últimos encontros com o Minc, sempre lembrava a importância da Darcy Ribeiro e pedia sua intervenção enquanto secretário. Sei o quanto Minc é engajado nas questões do meio ambiente e observando as ações que vem sendo realizadas no Parque da Tiririca, tenho a certeza que o melhor para a reserva é estar sob os cuidados do Estado.

Proteger a Reserva Ecológica Darcy Ribeiro vai além de manter a flora e a fauna que a compõe. Provém dela algumas nascentes de rios que deságuam na Baía de Guanabara e na Lagoa de Piratininga. Assim como é uma área intocada da APA da Região Oceânica. Ao se instituir o Parque Darcy Ribeiro, haverá o combate aos desmatamentos, o controle de acesso de pessoas, a manutenção do bioma, o que vai converter em qualidade de vida para toda a população.

Agora, falta apenas o decreto.