Uma boa gestão começa com transparência pública

A transparência e o acesso à informação são fatores essenciais para uma boa gestão pública. Ampliar a divulgação do trabalho desenvolvido na prefeitura a todos os moradores, além de contribuir para o fortalecimento da democracia, prestigia e desenvolve as noções de cidadania. Penso que ações como essa fortalecem as ações de governo.

Além disso, são medidas seguras de prevenção da corrupção. Incentivam os gestores a agirem com mais responsabilidade e eficiência, e são fundamentais para possibilitar a participação popular. A página da prefeitura de Niterói, na minha gestão, vai ter espaço para que todos possam enviar sugestões, tirar dúvidas e acompanhar passo a passo a solução de suas solicitações.

Através do Portal Transparência Niterói, vou modernizar a prefeitura com o uso da tecnologia da informação, agilizando processos, minimizando os custos e aproximando os órgãos públicos dos moradores do município. Cada cidadão poderá conferir na internet como estão sendo aplicados os recursos. Esse, aliás, é um direito de todos.

Todo governo, para executar bem suas tarefas, precisa de uma sociedade civil organizada e fiscalizadora. Um administrador público da nova geração não apenas fornece à população as informações que deseja, mas também cobra dela que continue cumprindo seu papel de fiscalização.

O Portal da Transparência será o canal para garantir que essa fiscalização popular aconteça. Este é o caminho para colocarmos a prefeitura no século 21.

Lei da Ficha Limpa: É hora de renovar a Política!

Após ser revista e aprovada pelo Supremo Tribunal Federal no dia 23 de março, a Lei da Ficha Limpa vive mais um capítulo. Dessa vez, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) avisou que vai ajuizar uma ação cobrando do STF uma decisão definitiva sobre a validade da Lei. A norma tem pontos que podem vir a ser considerados inconstitucionais por candidatos nas eleições municipais de 2012.
Não bastou a frustração da notícia de que a Lei não tem empregabilidade para o pleito de 2010, agora, assistimos com preocupação a luta por sua legitimidade. Para quem não sabe, a Lei da Ficha Limpa proíbe a candidatura de políticos condenados em decisões colegiadas e que renunciaram a mandato eletivo para escapar de cassação.
Apesar do resultado, enquanto a Lei vigorou, sustentada pela Justiça Eleitoral, ela provocou um amplo debate onde se discutiu profundamente os antecedentes dos candidatos. Inclusive, dentro dos partidos políticos. Em muitas situações, candidatos que entendiam que possivelmente seriam barrados, renunciaram à candidatura ou sequer se candidataram.
Essa é uma conquista que não deve ser abandonada. Esta Lei foi criada pela população que se organizou e reuniu mais de 2 milhões de assinaturas e teve o ampla divulgação nos veículos de comunicação. Precisamos manter a pressão e garantir a validade da Ficha Limpa. A sociedade já mostrou que não tolera mais os maus políticos. É hora de renovar a Política!

Como escolher um candidato

Nas eleições de 2010 os escândalos e casos de corrupção no cenário político são alguns dos fatores que afastam os adolescentes das urnas. Indignados, eles afirmam que a maioria dos estudantes, com idades entre 16 e 18 anos, não vai votar no próximo domingo, dia 3 de outubro, porque não acredita em mudanças.

Há no meio estudantil certo desencanto dos adolescentes pela política até em função do que está sendo apresentado com tantos casos de corrupção. Por isso as escolas devem desenvolver o processo de reflexão nos estudantes desde pequenos para fazê-los acreditar o quanto a participação dessa faixa etária é importante.

Quando os adolescentes pensam em eleições, educação é a área que mais merece atenção de todos. Se por um lado há o descrédito nos políticos, por outro existe a certeza de que área como a educação precisa ser urgentemente melhorada. E ela é fundamental para que todas as pessoas desenvolvam o pensamento crítico, exigindo ética e transparência dos candidatos a cargos públicos, para que os jovens possam retornar à política e começar a cobrar seus direitos.

E essa política vem perdendo o foco por causa de tanta corrupção, em todas as esferas; mas acredito que ainda há um futuro promissor. Se todos os jovens se conscientizarem que só participando intensamente conseguirão mudar este estigma, a esperança irá prevalecer.

Gosto e faço política desde os 9 anos. Reconheço que os canais de tevê para jovens quase nunca abordam o assunto. Nem mesmo as escolas dão informações sobre eleições ou ensinam, por exemplo, quais as funções de cada político em sua cidade e em seu estado.

Os jovens precisam voltar a acreditar que podem mudar a política e escolher o futuro do nosso país. Sou candidato a deputado estadual no Rio de Janeiro.

Espontaneidade: um voto de alegria

O que faz com que as pessoas dêem um toque de originalidade numa campanha política é a espontaneidade como apresentam ao público o seu candidato. Este vídeo mostra seis moças com placas, no sinal de transito fechado, convidando o transeunte a conhecer, de forma descontraída e alegre, o candidato Felipe Peixoto.

E tem sido assim nossa campanha. Com transparência, ética e muita dedicação procurando o melhor caminho.

Venha. Participe. Vote numa mudança para a melhoria de todos. Agora somos eu e você, juntos, transformando nosso Estado.