Vi de perto um sistema de ônibus que funciona, e bem

Esta semana embarquei com o governador Sergio Cabral para Medellín, na Colômbia, para conhecermos mais sobre projetos muito interessantes que são desenvolvidos no país e que em muito se assemelham ao que desenvolvemos para o Rio de Janeiro. Entre eles está o BRT (Bus Rapid Transit), desenvolvido inicialmente no Brasil, mas que evoluiu com os colombianos e hoje estamos aprendendo com seus avanços.

Na terça-feira (17), participei de uma reunião com os técnicos da MetroPlus, uma empresa pública que opera o metro, o BRT e os Metro Cables (teleféricos). Momento único e muito útil para ver como, de fato, funciona um sistema de transporte integrado a vários modais. O cidadão pode andar de BRT, metro e teleférico com uma tarifa única de R$ 1,50, cruzando toda a cidade. O teleférico, inclusive é um projeto muito interessante que o Governo do Estado adotou no Complexo do Alemão integrado ao sistema de trens da Supervia. Quem não conhece, deve conhecer!

O sistema BRT agrega um modelo específico de transporte coletivo. São veículos articulados ou biarticulados que trafegam em canaletas ou em vias elevadas. Só para se ter uma ideia, o BRT de Bogotá, por exemplo, transporta 1 milhão de pessoas, diariamente. Essa é a meta que o Governo do Estado espera atingir com a melhoria do sistema de trens do Rio.

O município do Rio saiu na frente. Já possui o sistema BRS (Bus Rapid System), que destina um corredor exclusivo para ônibus, cuja prioridade é a organização do tráfego, gerando mais fluidez no trânsito e mais comodidade para os usuários. Além disso, está construindo a TransOeste e irá implantar os projetos TransBrasil e TransCarioca.

Niterói também terá esse sistema, desenvolvido por Jaime Lerner, mesmo criador do BRT. Para a cidade, ele apresentou um belo projeto de readequação do sistema viário que deve sair do papel com a implantação do BRS na Roberto Silveira e Gavião Peixoto, em Icaraí, que logo deve se expandir para toda a cidade.

Estar em contato com países que vivenciam experiências semelhantes às nossas é muito positivo. Primeiro pela identificação. Depois, porque nos deparamos com os mesmos desafios e buscamos inspiração para superá-los. Continuamos em viagem. Está sendo uma experiência ótima.

Viagem à França – relatos dos primeiros dias

A viagem está muita cansativa. Saímos na noite de terça do Rio e quase não dormi no vôo. Ao chegar em Paris, pegamos um vôo para Renes na hora do almoço e a Air France deu apenas um biscoitinho para matar a fome. Levamos mais 1h de viagem até Saint Malo onde fomos conhecer uma bela escola de pesca, o Liceu Marítimo.

Depois que chegamos no hotel, por volta de 20h (em pleno sol), tivemos 15 minutos para tomarmos banho. Em seguida, saímos para conhecer a cidade. Uma linda cidade cercadas por muralhas medievais. Ela foi toda reconstruída depois da 2ª Guerra. Às 21h fomos almoçar/jantar com a vice presidente de assuntos do mar da Região da Bretanha (tipo uma Secretaria de Estado para Assuntos do Mar). O Sol se pôs às 21:30h.

Fomos dormir à 1h da manhã. Mas tivemos que acordar às 6h (1h da manhã no Brasil), pois nossa agenda começava às 7h. Fomos conhecer o Polo do Mar em Brest (3h de viagem de onde estávamos). Uma bela experiência de centro de pesquisa e formação profissional na Região com sinergia entre empresas e Estado. Depois tivemos um belo almoço com autoridades de Brest e fomos conhecer o Instituto Francês de Assuntos do Mar. Um fantástico complexo de pesquisa. Só vendo para acreditar. Depois fomos conhecer uma empresa de tecnologia de sondas e radares para exploração de petróleo e pesca.

Depois nos deslocamos para Loriet às 21h. Lá, tivemos só 20 minutos para chegar no hotel, tomar banho e sair para um jantar com diversas autoridades locais e regionais, além de empresários do setor da pesca e construção de submarinos. Por volta de 0h, fomos conhecer o porto de pescados de Loriet. Apesar do frio na beira do mar e nos frigoríficos, tivemos a oportunidade de conhecer uma belo exemplo de estrutura de apoio a pesca. Chegamos às 2h no hotel.

Hoje, já tive que acordar bem cedo novamente. Não sobra tempo para nada! É uma agenda atrás da outra. A viagem é bem puxada, mas esta sendo uma ótima experiência para conhecer o que existe de melhor no mundo.

Abraços a todos.